Recuperar Senha
Fechar
Entrar
25 de Maio - Quinta-feira - 15:00

Aliados abandonam irmãos Neves em Minas

Um dos mais deputados mais próximos dos irmãos Aécio e Andrea Neves, o tucano Marcus Pestana disse a um amigo que o ciclo aecista já acabou e defendeu uma refundação do PSDB. O caso ilustra a debandada de antigos aliados do senador após a delação da JBS.

 

25 de Maio - Quinta-feira - 14:50

Siamig e CMAA abrem com festa nova safra da cana de açúcar

Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (SIAMIG) e a Companhia Mineira de Açúcar Álcool (CMAA) 
realizaram a abertura da Safra de Cana de Açúcar com um grande evento na Fazenda Santa Vitória, em Uberaba. Compareceram autoridades mineiras e empresários do setor sucroalcooleiro, que passa por excelente momento.  Clique na fotonovela para ver e saber mais.

 

25 de Maio - Quinta-feira - 13:10

Sucessão de Temer empodera PSDB e amplia racha político no país

A sucessão de Temer já racha a classe política entre 02 grandes grupos, os pró-diretas e os pró-indiretas, e estes estão se dividindo em subgrupos, em discórdia fenomenal. A turma das diretas conta com apoio popular maciço (85% segundo Dtafolha), mas a maioria no Congresso não abre mão de indicar o novo presidente, cuja escolha em articulações de cúpula ameaça quebrar o bloco liderado por PMDB-PSDB que assumiu o poder no ano passado. O furdúncio político é tal que Temer pode ganhar uma sobrevida maior, por falta de substituto com mais condições de governabilidade.

HORA TUCANA

As principais articulações para sucessão indireta de Temer têm epicentro no PSDB, partido com ampla preferência no empresariado e no mercado financeiro por ter abraçado as reformas. Mesmo os nomes simpáticos ao capital em outras siglas, como Nelson Jobim (PMDB), estão surgindo de conversas tucanas. O PSDB passou ao comando do bloco no poder com a inviabilização de Temer. E se conseguir puxar o bloco governista em torno de uma candidatura, assumirá o Planalto.

NOMES NA BOLSA

O problema imediato do PSDB é achar um nome que passe por 02 crivos: ter apoio no Congresso, para ser eleito; e ser imune à Lava Jato, para durar no cargo. Ocorre que os crivos se conflitam: os menos vulneráveis à Lava Jato são os de menor apoio no Congresso, ou vice-versa. E nesse paradoxo, os nomes vão subindo e descendo na mesa de articulações e na bolsa das especulações. Ontem estava em alta o tucano Tasso Jereissati.

FATOR MAIA

Manter a coesão do bloco governista está difícil também pelas ambições naturais que a sucessão desperta. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), já cresceu o olho sobre a cadeira de Temer, com o cacife de ser o 1º substituto legal e de ter sido eleito recentemente pelos deputados que formam o grosso do colégio indireto. E ele pode dar trabalho. No interesse próprio, partidos do Centrão e do Baixo Clero vão se aglutinando em torno de Maia, que no mínimo vai influir na escolha, se não for candidato.

24 de Maio - Quarta-feira - 14:00

Empresariado se agarra às reformas e resiste a aceitar fim do governo

A ficha da ingovernabilidade ainda não caiu no empresariado, que segue apostando na aprovação das reformas. Com o governo quase inoperante, os reformistas voltaram suas expectativas para os presidentes do Senado e da Câmara, que prometeram empenho. Eunício de Oliveira e Rodrigo Maia não têm como garantir votos para nada. Mas, os empresários preferem apostar no improvável a aceitar o fim do governo. Tanto é que nenhuma entidade empresarial até agora pediu a renúncia de Temer.


 

24 de Maio - Quarta-feira - 12:20

Governo lança Mineiraria, projeto de gastronomia da primeira-dama

O governo começa nesta quinta-feira a reconhecer o status e a importância da gastronomia mineira com o lançamento de um programa de valorização da produção estadual. Além de centralizar recursos envolvidos na área, o + Gastronomia prevê um espaço para debates, aulas, exposição e venda de produtos: a Mineiraria, ou Casa da Gastronomia Mineira, já quase pronto.

É COISA DELA

O novo programa foi estruturado pela presidente do Servas e primeira-dama Carol Pimentel, que se inspirou em iniciativa no Rio Grande do Sul. A versão mineira prevê ações em parceria com expoentes da gastronomia por meio de um Conselho Gestor a ser criado no dia do lançamento.

SONHO GRANDE

Carol está mirando alto. Palavras dela: "Queremos criar uma identidade cultural e gastronômica. Se der certo, teremos na Mineiraria uma marca de qualidade para nacionalizar e internacionalizar nossos produtos".

 

24 de Maio - Quarta-feira - 12:10

Lava Jato abate operadores de Temer e deixa Planalto sem ação

Ontem, com a demissão dos assessores especiais Sandro Mabel e Tadeu Filippeli (este também preso), a Lava Jato já abateu 04 operadores políticos principais de Temer – os outros são Rocha Loures, o deputado da mala, e o ex-assessor José Yunes, o 1º a cair em dezembro. O presidente está ficando sem gente para atuar em seu nome. Se já era difícil aprovar reformas com o Planalto atuando a mil nos bastidores, imagine-se agora com o aparato político desmontado. Noves fora o fato de Temer não ter hoje cabeça para pensar mais nada além das investigações que se fecham em torno dele. O governo não chegou a descarrilhar, mas vai parando aos poucos como um trem após a freada brusca.

23 de Maio - Terça-feira - 15:00

PEC das Diretas com mais chance de aprovação começa a tramitar

Entra hoje na CCJ da Câmara Federal uma PEC de Miro Teixeira (Rede) propondo eleições diretas em caso de vacância da presidência até 06 meses antes do fim do mandato. A emenda permite antecipar apenas a eleição de presidente, mantendo a de governadores e parlamentares em 2018. De todas as emendas pró-diretas, é a de maior chance de aprovação. 

23 de Maio - Terça-feira - 13:00

Ausência de substituto para tocar reformas dá sobrevida artificial a Temer

A base política de Temer desmoronou no fim de semana, levando consigo as reformas que eram a sua razão de existir. Desde sábado a movimentação nos bastidores em Brasília está orientada para a discussão de alternativa ao governo morto-vivo. À exceção de um pequeno grupo no Planalto, todos já discutem o pós-Temer. E só. O que ainda segura partidos como PSDB e DEM ao presidente, e dá uma sobrevida apenas artificial à sua gestão, é a inexistência (ainda) de um nome consensual para substitui-lo. Não dá para sair de um barco sem ter para onde pular.

 

ELE EXISTE?

O grupo político que liderou o impeachment e vinha sustentando Temer foi pego de surpresa pela delação da JBS. Agora, em meio ao tumulto, precisa achar um meio de operar a substituição sem prejuízo à política econômica e às reformas. Busca-se uma solução para manter tudo como dantes, menos o presidente: ou seja, uma continuidade do governo Temer com outro titular. O problema é achar esse nome. O presidenciável terá que saber lidar com o Congresso e ter passado imune à Lava Jato, requisitos hoje contraditórios em vista da contaminação do sistema político pela corrupção. Não bastasse isso, o novo presidente terá de se dispor a tocar reformas que farão dele tão impopular como Temer. Será que esse(a) brasileiro(a) existe?

22 de Maio - Segunda-feira - 15:00

Eleição indireta de presidente pode limitar disputa a candidatos políticos

No caso de eleição indireta para sucessão de Temer, terá que ser observada a legislação geral. E as regras eleitorais no país exigem prazos mínimos de filiação partidária (06 meses) e desincompatibilização de cargos públicos (03 meses) para que candidatos possam concorrer a mandatos. Tais regras devem limitar a escolha aos membros de partidos, ou seja, aos políticos, deixando de fora ministros nomes como Carmem Lúcia e Meirelles.

NA VITRINE

Fernando Henrique Cardoso está sendo mais solicitado tanto por políticos como por empresários e pela imprensa. Ontem à noite seria sabatinado em programa da TV aberta. O interesse pelo ex-presidente é sintomático: para parte do mundo político e econômico, ele teria o ‘physique du rôle’ ou perfil apropriado para liderar um novo governo-tampão no país.

22 de Maio - Segunda-feira - 14:50

Lançamento do livro de Jô Moraes na Confraria

O livro "Política de Defesa, Caminho da Soberania", de autoria da deputada federal Jô Moraes,  foi lançado na Confraria do Fogão à Lenha, no dia 08 de maio. Clique na capa da fotonovela para saber mais.