Recuperar Senha
Fechar
Entrar
21 de Setembro - Quinta-feira - 17:23

Cerveja é Cultura

Cervejeiro explica relação do malte com a cor das cervejas

Ouça o programa: 

Na hora de escolher uma boa cerveja artesanal você vai encontrar vários estilos, sabores e cores diversas, das claras às pretas. Mas você já parou pra pensar o que faz um rótulo ter uma cor ou outra? É o malte, um dos principais ingredientes da cerveja. Ele vai gerar o açúcar durante o processo de produção da cerveja. E, por sua vez, o açúcar vai gerar o álcool.

“A cor da cerveja está diretamente ligada ao tipo de malte que você utiliza, então se você utiliza um malte mais escuro ele vai transferir essa cor para a cerveja. A combinação dos maltes vai dar a tonalidade da bebida”, explica José Bento Vargas, sócio-responsável pelo Lamas Brew Shop, cervejeiro da Dunk Bier e sócio da Confraria do Malte, que faz parte do Centro Cervejeiro, localizado no Lourdes, em Belo Horizonte.

Além do malte, os ingredientes principais da cerveja são o lúpulo, a água e a levedura. Outros produtos também podem influenciar na cor da cerveja, como corantes e frutas.

Mas afinal o que é o malte?  

O malte é resultado da germinação de um grão. O mais comum é o grão da cevada, mas também existe o malte de trigo e o de centeio, entre outros. A maior parte do malte utilizado no Brasil é importado. O país possui algumas maltarias que oferecem o malte Pilsen que é o mais básico. Mas segundo o Bento, a maior parte da cevada também precisa ser importada para cobrir a produção de cerveja nacional.

“O Brasil não tem uma produção de cevada tão grande. Dos maltes especiais utilizados, quase 100% são importados”, afirma Bento. 

Cerveja escura é mais forte? 

Muita gente pensa que a cerveja mais escura é mais forte, mas isso não é verdade. A cor da cerveja não influencia no teor alcóolico. “A Double Ipa, principalmente, é uma cerveja que pode ser clara e muito alcóolica. Já a Stout é uma cerveja bem escura, negra, que é levinha, tem 4 ou 4,5% de álcool. Então, as cervejas escuras podem ser um pouco mais densas, mas isso não significa necessariamente que elas sejam mais fortes”, destaca.

O Cerveja é Cultura vai ao ar às terças e quintas feiras às 12h30 e às 21h da noite. Nossa missão é divulgar a cultura cervejeira para um público leigo e cada vez mais diversificado.

Siga nossas redes sociais e envie sua sugestão para o cervejaecultura@supernoticiafm.com.br. Acompanhe o post completo também no Dicas da Cabrita.

Abaixo, fotos de um malte mais claro e outro mais escuro.

12 de Setembro - Terça-feira - 17:57

Cerveja é Cultura

Verace completa um ano com 13 cervejas de linha, entre elas a premiada Lacto IPA

Ouça o programa que rolou na Super Notícia 91,7 FM:

A variedade de cervejas mineiras é enorme e a capacidade de experimentar e ousar na criação de novos rótulos também é uma característica de nossos cervejeiros. Frutas, ervas, temperos… vale de tudo. E que tal adicionar o açúcar do leite?
  
Esse é um dos ingredientes da Uai So Serious, uma Lacto IPA sedosa com caráter tropical. O rótulo mal foi lançado e já foi premiado no Concurso Brasileiro de Cervejas, realizado este ano em Blumenau, Santa Catarina, onde causou impacto, como conta o mestre cervejeiro e sócio da Cervejaria Verace, Túlio Silva.

“Produzimos uma cerveja cuja base é uma New England IPA, que leva côco e graviola. Ela foi enquadrada como experimental disputando com cervejas complexas do Brasil todo. E ela foi premiada nessa categoria experimental”, afirma Túlio.

Mas e esse nome: Uai So Serious? O Túlio explica. “Além do côco e da graviola ela leva lactose, e o fato de ela levar lactose, perante o governo, ela não pode ser considerada cerveja. Ela é uma bebida mista fermentada porque uma das matérias primas é de origem animal e aí a gente brinca: por que tão sério? É cerveja de qualquer jeito”, explica.

A Uai So Serious é uma das 13 cervejas de linha produzidas pela Verace, que comemora um ano de existência neste fim de semana. A boa aceitação dos produtos da cervejaria surpreendeu até mesmo os donos, que avaliam que este primeiro ano saiu melhor do que a encomenda.

E uma grande data pede uma grande comemoração. A festa será no sábado dia 16. na Av. Canadá, 212, no bairro jardim Canadá, em Nova Lima, de 12 às 22h. As atrações musicais ficarão a cargo das bandas: Lurex, Poison Gás e Flávio Guimarães. “Nós vamos fechar essa avenida de quarteirão a quarteirão. A expectativa é muito boa, que a festa seja memorável”, exclama o mestre cervejeiro.

Dez outras cervejarias artesanais foram convidadas para participar da comemoração. A entrada é 1 Kg de alimento não perecível que será doado a instituições carentes de Nova Lima. Também, já estão sendo vendidos pelo Sympla combos que dão direitos a taças e chopes no dia do evento.

O Cerveja é Cultura vai ao ar às terças e quintas-feiras ao meio dia e meia e às 21h. Sigas nossas redes sociais e envie sua sugestão para cervejaecultura@supernoticiafm.com.br. Esse post você lê também no DICAS DA CABRITA.

11 de Setembro - Segunda-feira - 18:32

Cerveja é Cultura

Variedade de estilos de cervejas facilita combinação com queijos diversos

Ouça o programa:

Umas das harmonizações mais tradicionais e seculares da gastronomia é a de queijos e vinhos. Por muito tempo, essa combinação dominou as mesas, as reuniões sociais e eventos. Porém, atualmente, uma outra bebida vem ganhando cada vez mais espaço quando o assunto é degustação com queijos: a cerveja artesanal. E pra essa junção ser ainda mais prazerosa, os queijos artesanais mineiros se mostram como uma excelente opção.

Quem atesta isso é o jornalista gastronômico Eduardo Tristão Girão, um grande apreciador de queijos artesanais que tem realizado harmonizações do produto de Minas tanto com vinhos quanto com cerveja. E advinha qual das bebidas é mais fácil de harmonizar?

“Com cerveja eu acho mais fácil fazer essas harmonizações pela diversidade de estilos e também por conta da carbonatação. Pelo fato de ser uma bebida com gás, ajuda a limpar o paladar”, afirma Girão.

De acordo com ele, a variedade de cervejas é tão grande que ele não ousa apontar somente um estilo específico da bebida que mais se adeque aos queijos, até porque cada queijo também possui suas peculiaridades.

“Gosto de estar com a mente aberta para tomar e sentir e ver o que se encaixa melhor. Para toda cerveja a gente consegue encontrar um queijo mineiro artesanal que seja prazeroso pra ser consumido junto com ela. Sem muita dificuldade dá pra imaginar se é um queijo de vaca ou de cabra, mais ou menos maturado, com ou sem mofo etc. Acho que é tomar na hora e ver o que a bebida pede”, destaca o jornalista.

E uma dica geral para harmonização dos queijos de tipos de queijo mais complexos é buscar cervejas mais alcoólicas e evitar as muito lupuladas, isto é, com maior amargor. “Acho que o excesso de lúpulo, em alguns casos, vai tornar a harmonização difícil, o ele pode acabar sobrando na boca, ter o retrogosto muito duradouro e tornar a harmonização desagradável quando em excesso”, diz.

E para quem está interessado em participar de uma harmonização de queijos mineiros artesanais com cervejas artesanais, o Girão recomenda acompanhar o instagram dele que é o @eduardotristaogirao onde ele anuncia os eventos!

O CERVEJA É CULTURA vai ao ar às terças e quintas feiras na Rádio Super Notícia 91,7 FM! Você também lê este post no DICAS DA CABRITA.

 

 

01 de Setembro - Sexta-feira - 13:49

Cerveja é Cultura

Neste sábado(2), será realizado curso de produção caseira no Mercado Central, em Belo Horizonte

Ouça o programa #7

Nos últimos anos, as cervejas artesanais ganharam espaço em Minas Gerais e em outras regiões do Brasil. Elas conquistaram muitos consumidores, sendo que vários deles, não satisfeitos em somente beber este precioso líquido, também decidiram fazer sua própria cerveja.

Seja para beber com os amigos ou por interesses comerciais, o fato é que cada vez mais pessoas estão produzindo (ou querendo produzir) a bebida em casa.

Mas o processo possui muitos detalhes. Não basta conhecer os quatro ingredientes básicos: água, malte, lúpulo e levedura. É preciso gostar muito de estudar. De acordo com o mestre cervejeiro da Hofbräuhaus, Carlos Henrique de Faria Vasconcelos, que começou sua carreira com um curso de produção de cerveja em casa, o conhecimento é a chave do sucesso para uma boa receita.

“Fazer cerveja não tem muito mistério. É um processo relativamente simples, porém as boas cervejas demandam muito conhecimento, cuidado e muita prática. A principal dica que eu dou é que estudem sempre e procurem um curso especializado para começar”, afirma o mestre cervejeiro

E se você se der bem nas receitas caseiras e quiser dar um passo mais alto e ser um mestre cervejeiro no futuro, Carlos Henrique explica que é preciso buscar um bom curso de qualificação e, claro, ser um bom bebedor de cerveja de estilos variados.

“Para conhecer a gama e o universo de produtos disponíveis no mercado, assim a pessoa vai entender o que ela vai produzir, mas para se profissionalizar é preciso buscar cursos específicos, os de formação em tecnologia cervejeira são os mais indicados neste caso”, destaca.

Se você tem interesse em dar o primeiro passo rumo ao mundo cervejeiro, o Carlos Henrique vai ministrar o curso de Produção de Cervejas Artesanais da Dünn Cervejaria neste fim de semana no mercado central. A aula será no próximo sábado, dia 02 de setembro (sábado), das 8h30 às 18h. As inscrições podem ser feitas no site da dunncervejaria.com.br/ ou pelo telefone: (31) 3274-9600

O curso visa expandir os horizontes e experiências cervejeiras, através do aprendizado sobre as técnicas de fabricação de cervejas em casa. As turmas são reduzidas, com no máximo 20 alunos a cada edição.

Carlos Henrique de Faria Vasconcelos é mestre cerveveiro, beer sommelier e pós graduado em tecnologia da cerveja

 

Os principais tópicos a serem abordados na aula são:

- O que é cerveja e como surgiu?

- Tipos de cerveja: Ale x Lager

- Ingredientes básicos: água, malte, lúpulo, levedura, adjuntos e outros

- Tipos Equipamentos e Técnicas

- O que é brassagem?

- Mosturação

- Mash-out

- Filtragem/Lavagem

- OG e FG (densidades do mosto)

- Fervura

- Resfriamento

- Whirlpool

- Limpeza e Sanitização

- Manipulação e cuidados com o fermento

- Oxigenação/Aeração do Mosto

- Temperaturas de Fermentação

- Maturação

- Clarificação

- Processo de envase/priming

 

Siga o Cerveja é Cultura no Instagram e de seu like na página do facebook!

O programa vai ao ar às terças e quintas-feiras às 12h30 e às 21h na Radio Super Notícia 91,7 FM.

29 de Agosto - Terça-feira - 17:00

Cerveja é Cultura

Com premiação em dinheiro, objetivo do concurso é criar identidade visual que identifique a cidade como referência em cerveja artesanal

Ouça o programa #6

Nova Lima abriga nove microcervejarias e 11 Home Brews (cervejeiros caseiros), o que torna a cidade referência na produção de cervejas artesanais em Minas Gerais. O volume da bebida produzida chega a 390 mil litros por mês e as cervejarias instaladas no município colecionam prêmios nacionais e internacionais pela inovação das receitas.

Dessa forma a cidade se consolidou como polo mineiro de cervejas artesanais. Como forma de incentivar e fomentar o desenvolvimento da cultura cervejeira e do turismo na região, a Prefeitura de Nova Lima está lançando um concurso para a criação de selo alusivo ao Polo da Cerveja Artesanal.

A ideia do selo é criar uma identidade visual definida que referencie a cidade como capital da cerveja artesanal. Para ter acesso ao edital do concurso basta acessar o link  http://www.novalima.mg.gov.br/media/uploads/edital_selo_polo_cerveja_artesanal.pdf. As inscrições estão abertas até o dia 11 de setembro e os candidatos devem procurar o setor de protocolo da Prefeitura de Nova Lima, de forma presencial ou por representante legal, no endereço Praça Bernardino Lima, n° 80, Centro. Não há limite de projetos de arte para cada concorrente, sendo necessário que os participantes realizem somente uma inscrição contendo todas as propostas.

Premiação

O vencedor do concurso receberá um prêmio no valor de 2 mil reais, além de uma diária na Pousada Águas Claras, em Macacos, uma cesta de produtos de cerveja artesanal e outros brindes.

Cerveja é Cultura vai ao ar às terças e quintas-feiras às 12h30 e às 21h, na Rádio Super Notícia 91,7 FM!

Siga o no instagram: @cervejaecultura917

Para sugestões envie um e-mail para cervejaecultura@supernoticiafm.com.br

Foto: Rodrigo Travassos/Arquivo/Divulgação

24 de Agosto - Quinta-feira - 20:35

Cerveja

Projeto é inspirado nos bares clandestinos que surgiram durante a Lei Seca nos Estados Unidos

Ouça o programa #5

Você já parou pra pensar se a cerveja fosse proibida no brasil? Parece algo impossível né? Mas isso aconteceu nos Estados Unidos na década de 1920, quando a Décima Oitava Emenda à Constituição proibiu a fabricação, a venda, a importação, a exportação e o transporte de bebidas alcoólicas em todo o país.

A “Lei Seca” norte-americana durou mais de dez anos e fez pipocar inúmeros bares secretos e clandestinos onde o povo podia beber e comer à vontade. Tinha até senha para entrar nestes locais. Ainda bem que a lei foi revogada, mas a tendência dos antirrestaurantes, como ficaram conhecidos, se espalhou pelo mundo. Em Belo Horizonte, quem segue essa linha é  “A Panela”, organizada pelo chef Zito Cavalcante, especialista em comida cervejeira. Segundo ele, o projeto é muito mais do que simplesmente comer e beber.

“Me identifiquei muito com formato de restaurante secreto por nunca me adaptar à rotina e filosofia dos restaurantes tradicionais. Não que eu tenha algo contra, vim de lá, mas sempre associei cozinha à liberdade, e naturalmente o processo de produção repetitivo traz limitações que não me cabem. Além da vontade de desconstruir o serviço comum e a relação empresa/cliente trazendo à tona diversas perspectivas e relacionando efetivamente o ato de comer ao de se emocionar”, explica Zito.

As temporadas são realizadas às 5ª feiras em um local que eu não posso revelar, para não deixar de ser secreto. Tem senha pra entrar e tudo mais. Você paga um preço fixo e vai às cegas sem sequer saber o que vai comer. Só descobre o endereço algumas horas antes. quem escolhe todas as harmonizações é o Zito. E o tchã deste encontro tem muito a ver com isso.

“A panela é dividida por temporadas e cada temporada um menu harmonizado com a cervejaria patrocinadora. Acontece 1 vez por semana e o menu, o endereço e quem são as pessoas que estão sentadas, é desconhecido”, conta.

Cerca de 500 pessoas já passaram pela panela e voltam em todas as temporadas. Para conhecer o projeto e se inscrever, acesse www.apanela.com.br e siga as instruções que receber. A Panela solicita que você preencha um formulário para conhecer melhor o cliente. É sua chance de falar os ingredientes que não gosta ou é alérgico.

“A panela não é uma prestadora de serviço, é uma prestadora de oportunidade, oportunidade de sentir, não só gostos e sabores, mas um ambiente, um lugar não-físico, diferente. Trabalhamos para oferecer uma inserção à importância de saber o que se está comendo e bebendo”, destaca Zito.



Siga o @cervejaecultura917 no Instagram e curta a página no Facebook do Cerveja é Cultura. O programa vai ao ar às terças e quintas às 12h30 e as 21h.

22 de Agosto - Terça-feira - 19:02

Cerveja

Junglebier será realizado no primeiro sábado de setembro

Ouça o programa #4 

 

 HELLOOOOO BEERLOVERS!

Minas Gerais se prepara para receber mais um grande festival de cerveja artesanal. O adorável arraial de Macacos, no município de São Sebastião das Águas Claras, abre suas portas no sábado, 02 de setembro, para seu primeiro festival beercraft: o Junglebier.

O evento vai acontecer no estacionamento do bar do Marcinho e será realizado todo primeiro sábado do mês. A cada edição, haverá rodízio de cervejarias, como explica o organizador Bruno Orsini.

“A gente vai ter em cada edição oito cervejarias, vai rolar rodízio então em todas as edições vai ter novidade para o público. Juntando as oito vamos ter aproximadamente 40 rótulos”, afirma.

Diferencial

De acordo com a organização do evento, o público estará diante de um modelo diferenciado de festival cervejeiro, com conceitos sustentáveis, layout inovador, rock`roll de todas as gerações, ações ecológicas e muita cultura cervejeira.

“Teremos lixeiras ecológicas para descarte dos copos, que serão recolhidos por uma empresa para reciclagem. Também teremos opção de caminhadas ecológicas que é uma ideia de unir natureza e cerveja”, conta Orsini.

Música

Entre as atrações musicais estão bandas mineiras consagradas como a Putz Grilla (rock nacional anos 80 e 90) e Seu Madruga (ACDC), além de apresentações de artistas locais como o grupo Couro e Cabaça de Macacos!

E para os que apreciam a arte de produzir cervejas na panela, acontecerá uma produção de cerveja ao vivo realizada pela Casa Olec.

Beer Geek

No espaço Beer Geek, que será administrado pela Cervejaria Koala (KSB), os amantes de cervejas terão oportunidade de participar de Bottle Shares, que é um compartilhamento de rótulos especiais! Esse é o local para conhecer receitas exclusivas e beber cervejas de altíssimo valor agregado, escutando música eletrônica e curtindo boas conversas cervejeiras.

Para os pequenos, o festival contará com um espaço Kids com monitores e para nossos amigos peludos, o Junglebier vai apresentar uma grande novidade: Espaço Cães, onde seu cachorro terá recreação e cuidados especiais. Esse espaço será explorado pela empresa “Perros, Spa e Hoteis Para Cães”

Se beber não dirija

E para os que forem de carro ou moto, o Junglebier irá disponibilizar estacionamento a preços justos.

Quem optar por deixar o carro em casa, haverá serviço exclusivo de traslado, saindo do Extra Hipermercado em frente à passarela que liga ao BH Shopping: www.sympla.com.br/jungleride

SERVIÇO

Junglebier – Festival de Cervejas Artesanais

Local: Bar do Marcinho. Alameda Seu João s/n. Macacos, Nova Lima – MG.

Data: 02/09/2017

Fan Page: https://www.facebook.com/junglebier

Ingressos: www.sympla.com.br/junglebier

Mais informações: https://www.facebook.com/events/148909105653959/

Desconto exclusivos para Junglers na rede hoteleira de Macacos: http://www.melhordemacacos.com.br/jungle-bier/promocao-pousadas-jungle/

18 de Agosto - Sexta-feira - 15:28

Cerveja

Atitude Artesanal será realizado neste sábado, de 12h às 22h, no Quintal do Chalé

Com informações de Jhonnie Lustoza* 

A 3ª edição do Atitude Artesanal – Cerveja e Rock n’ Roll será realizada neste sábado, 19/08, com várias novidades. O evento acontece de 12h às 22h, no Quintal do Chalé, espaço de eventos ao ar livre anexo ao Clube Chalezinho.

Nesta edição, o evento ganhou mais 2 horas de duração. Uma das atrações já confirmadas é a banda CA$H. Outra novidade é que o Clube Chalezinho também está abrindo as suas portas para o Atitude Artesanal, proporcionando ainda mais espaço e conforto para o público. O espaço interno do Chalezinho contará com stands de cervejarias, stands de gastronomia e outras atrações.

Cervejas

As cervejarias confirmadas são: Dunk, Capa Preta, Vinil, Läut, Wäls, Brücke, Verace e Küd, além das cervejarias DosCaras e Backer, que são novidades no evento.

Gastronomia

Na gastronomia, já estão confirmados: Classe A, Iguarias Hauers, Rock City (com suas batatas rústicas), PIZZaPERITIVO, Boi Truck, Brownie do Luiz, Pizza Sur, Itaoca Café e a burgeria Duke n’ Duke.

O Atitude Artesanal terá espaço kids gratuito (operador a ser confirmado). E para os que quiserem levar seus bichinhos de estimação, o evento é Pet Friendly.

Ingressos

O Atitude Artesanal teve entrada gratuita para os primeiros 1.000 ingressos com retirada no Sympla, mas já esgotou. O 2º lote tem o preço solidário de R$5,00, sendo que parte desse valor será destinado ao garoto Gabriel, um menino que possui paralisia cerebral, leucomalácia periventricular e é portador de epilepsia.

Ele foi adotado e hoje tem um tratamento mensal de alto custo! Conheça a história dele nas redes sociais: https://www.facebook.com/andalogobiel e insta @andalogobiel.

O valor da entrada será reajustado na portaria.

Para assinantes Price Beer

Quem é assinante* Price Beer terá um chope grátis de boas vindas, basta se dirigir ao stand do app, validar a promoção e receber o voucher do chope.

Além disso, os assinantes também não pagam entrada. Acesse pricebeer.com.br/atitudeartesanal e retire seu ingresso. Um e-mail de confirmação será enviado com um QR Code, o qual deverá ser validado na portaria. Cada assinatura dá direito a apenas 1 entrada gratuita.

O Price Beer é um aplicativo que dá descontos e benefícios exclusivos em vários estabelecimentos especializados em cervejas artesanais.

*Quem ainda não é assinante, é só baixar o app na App Store, Play Store ou no site (link AQUI), fazer o cadastro e assinar. A assinatura mensal do plano Premium custa R$9,90 e a economia nos estabelecimentos parceiros (confira AQUI os parceiros) pode chegar a mais de R$150,00 por mês. Os usuários da versão Free não poderão participar da promoção e para ter acesso a ela basta se tornar um assinante.

Foto: Divulgação

SERVIÇO

3ª edição Atitude Artesanal – Cerveja e Rock n’ Roll

Local: Quintal do Chalé (logo atrás do Chalezinho). Av. Mário Werneck 530, Buritis. Belo Horizonte – MG.

Data: 19/08, das 12h às 22h.

Contato: (31) 3286-3155 ou (31) 99224-4750 (wpp)

Ingressos: sympla.com/atitudeartesanal

Ingressos grátis para assinantes Price Beer: pricebeer.com.br/atitudeartesanal

Mais informações: https://www.facebook.com/events/107095426673846/


Cerveja é Cultura vai ao ar às terças e quintas-feiras às 12h30 e às 21h, na Rádio Super Notícia 91,7 FM!

Siga o no instagram: @cervejaecultura917

Para sugestões envie um e-mail para cervejaecultura@supernoticiafm.com.br

 

16 de Agosto - Quarta-feira - 20:41

Cerveja

No concurso foram avaliadas 1.900 cervejas de 36 países

Ouça o programa #3

Olá! A qualidade das cervejas mineiras está cada dia melhor. Prova disso são as várias premiações que nossos rótulos vêm ganhando nos últimos anos. As mais recentes vieram na semana passada durante a primeira etapa do World Beer Awards, realizado em Londres no último dia 10. Na ocasião foram avaliadas 1.900 cervejas de 36 países, subdivididas em 72 estilos.

A premiação aponta o Brasil como um forte mercado cervejeiro emergente. Minas Gerais teve quatro cervejarias premiadas: a Backer, a Capa Preta, a Wäls e a Krug Bier. O World Beer Awards é uma premiação global que seleciona as melhores cervejas em diferentes categorias.

Para que aconteça, primeiro são realizadas premiações continentais (Europa, Ásia, América), com cada região selecionando os rótulos vencedores de cada estilo. Os julgamentos são feitos por meio dos famosos testes cegos, realizados com experts vendados.

A partir da seleção dos melhores de cada região do globo, ocorre a etapa final na qual os vencedores de cada continente são testados novamente, uns contra os outros. Do resultado do embate internacional revelam-se as melhores cervejas do mundo.

Localizada no bairro Olhos D'água, em Belo Horizonte, a Backer teve quatro rótulos reconhecidos como os melhores: a Cabral, a Corleone, a Bravo e a Reserva do Proprietário. Vale lembrar que a Cabral, que é uma barley wine, com alto teor alcoólico, ainda nem foi lançada e já alcançou seu segundo êxito internacional. A previsão é que ela chegue ao mercado ainda este ano.

Já a cervejaria Capa Preta, situada no Jardim Canadá, em Nova Lima, trouxe para casa três premiações com a sua English Pale Ale, com a Melon Collie Ipa e com sua Porter Berry.

A Krug Bier, que também se localiza no Jardim Canadá, por sua vez, foi premiada pela Altbier Skank e pela Submissão, o sétimo rótulo da linha expressionista da empresa, que foi lançado este ano. Ela é uma cerveja sem glúten e com baixas calorias. Ambas foram consideradas as melhores do Brasil em seus respectivos estilos.

Por fim, a cervejaria Wäls, que fica na região da Pampulha e no Olhos D'água, na capital mineira, conquistou várias premiações com destaque para a Dubbel, a Brut e a Niobium (confira lista completa abaixo).

Estamos muito bem servidos de cerveja, não é mesmo? Anote os rótulos e experimente.

Confira a lista completa AQUI. E curta a página do Cerveja é Cultura no Facebook.


BRAZIL COUNTRY WINNERS - WORLD BEER AWARDS

 

BACKER

Barley Wine - Backer: Cabral (vencedor brasileiro)

Black Ipa – Backer Las Mafiosas Corleone (vencedor brasileiro)

Wood Aged - Backer: Três Lobos – Bravo (vencedor brasileiro)

Old Ale - Backer Reserva do Proprietário (vencedor brasileiro)

 

CAPA PRETA

Bitter Over 5% - Capapreta: English Pale Ale Extra Special Bitter (vencedor brasileiro)

Fruit & Vegetable - Capapreta: Porter Berry Raspberry Porter (ouro)

IPA - Capa Preta Melon Collie (ouro)

 

KRUG BIER

Pale Beer - Skank: Altbier (vencedor brasileiro)

Gluten Free - Submissão: Gluten free session IPA (vencedor brasileiro)

 

WÄLS

Belgian Style Dubbel – Wals Dubbel (vencedor brasileiro)

Belgian Style Strong – Wäls Quadruppel (prata)

Belgium Style Tripel – Wäls Trippel (prata)

Belgiam Pale Ale - Hop Corn IPA (prata)

Imperial / Douple IPA - Wäls: Niobium (vencedor brasileiro)

Pale Ale - Gold Wäls – Verano (ouro)

Session IPA - Silver - Wäls: Session Citra (prata)

Boehmian Pilsner - Wäls (ouro)

Biére Brut - Wäls Brut (vencedor brasileiro)

 

 

Cerveja é Cultura vai ao ar às terças e quintas-feiras às 12h30 e às 21h!

Siga o Cerveja é Cultura no instagram: @cervejaecultura917

 

Para sugestões envie um e-mail para cervejaecultura@supernoticiafm.com.br

 


15 de Agosto - Terça-feira - 16:38

Cerveja

Minas Gerais tem dezenas de "ciganos" que diversificam a produção cervejeira do Estado

Ouça o programa #2

Atualmente Minas Gerais produz por mês 1,3 um milhão de litros de cerveja, segundo dados do Sindbebidas. É muita cerveja, não é mesmo? O estado possui 41 cervejarias artesanais com fábrica própria. E pelo menos outras dezenas de marcas são consideradas ciganas.

Cigano é um povo com estilo de vida nômade, peregrino, que está sempre mudando de lugar. O cervejeiro cigano também. Ele é aquela pessoa que sabe como produzir a cerveja, tem receitas próprias, mas não possui os equipamentos necessários para produção em uma escala maior, como explica o cervejeiro Leo Nascimento, sócio da cervejaria Dos Caras.

"O cervejeiro cigano não tem um lugar fixo para produzir. Cada dia ele está em um lugar diferente produzindo uma cerveja diferente. Isso pode parecer novidade no Brasil, mas é um método de trabalho já adotado em outros lugares do mundo que funciona muito bem”, afirma.

O Leo e o Ramon Garcia, que são sócios, produziam cerveja em casa por hobby. Em 2015, eles enviaram o rótulo California Common para o concurso brasileiro de cervejas caseiras (Concurso Nacional das Acervas) no qual conquistaram uma medalha de prata. Esse foi o impulso para a criação da cervejaria Dos Caras.

“Um modelo melhor pra gente não fazer um grande investimento, não ficar com muito dinheiro imobilizado era produzir por encomenda. Então, nós mapeamos algumas cervejarias para realizar nossa produção e ficamos assim durante um ano”, destaca.

Com o crescimento da cervejaria, a Dos Caras deixou de ser cigana e agora integra uma nova modalidade de cervejaria: o contract brewer. "Ao invés de ficar mapeando cervejarias e cada dia fazer cerveja em em uma fábrica diferente agora nós temos um contrato de produção. Sabemos os dias determinados no ano para produzir e quantos litros serão produzidos, além de conseguirmos manter vários parâmetros da cerveja por produzir sempre na mesma fábrica”, conta Leo.

E pra quem pensa em fazer cerveja em casa e já está pensando em virar cigano, saiba que não é tão simples. O Leo explica que é preciso muito planejamento. "É necessário um estudo aprofundado, a construção de um plano de negócios e estudar a cerveja. Porque é muito fácil chegar na fábrica e pedir pra fazer sua cerveja, mas o produto vai ficar bom? Vai ter repetibilidade, você vai conseguir penetração no mercado?”, questiona o cervejeiro.

O Cerveja é Cultura vai ao ar às terças e quintas-feiras às 12h30 e às 21h!

Siga o Cerveja é Cultura no instagram: @cervejaecultura917

Para sugestões envie um e-mail para cervejaecultura@supernoticiafm.com.br

A California Common foi produzida de forma "cigana" durante um ano. (Foto: Divulgação)