Recuperar Senha
Fechar
Entrar
First Down
10 de Março - Sexta-feira - 15:54

DECISÃO

Por divergências, torneio acabou cancelado; plano B é estudado por cinco equipes; duelo entre Miners e Sada Cruzeiro FA está mantido para domingo, mas será em caráter amistoso

 
Por Josias Pereira e João Vitor Cirilo 

Após imbróglios quanto ao regulamento do Campeonato Mineiro e as saídas de Pouso Alegre Gladiadores e o tricampeão Minas Locomotiva, a Federação Mineira de Futebol Americano, FEMFA, confirmou nesta sexta-feira o cancelamento da edição 2017 do torneio estadual, que inicialmente contaria com seis equipes. Porém, mesmo assim, a realização da partida entre o Sada Cruzeiro Futebol Americano, apresentado oficialmente nesta sexta, e o Paraíso Miners, em São Sebastião do Paraíso, está mantida. Entretanto, a partida terá caráter amistoso, às 10h do próximo domingo (12).

O Sada Cruzeiro deve levar o grupo completo para a partida, porém, nem todos os jogadores devem atuar. O elenco deve ser rodado para evitar lesões que comprometam o restante da temporada, que terá a disputa da elite nacional.

Comunicado oficial 

De acordo com a entidade, 'depois de inúmeros esforços para encontrar um formato que atendesse a todos os times inscritos, não houve acordo para viabilizar a realização da competição', disse.

'O diálogo com os clubes foi transparente e buscou tratar com isonomia a todas as equipes. Além disso, as sugestões propostas priorizavam o interesse coletivo e o crescimento da modalidade no Estado, por meio de um campeonato forte e inclusivo', completa a nota.

Veja o comunicado na íntegra: 

Liga alternativa

Como plano B para o torneio cancelado, os clubes formulam nos bastidores a criação de uma Liga estadual para não trazer prejuízo, principalmente junto aos patrocinadores, totalmente vinculados e que compraram a ideia de um torneio nacional.

Segundo fontes ligadas ao First Down, até o momento cinco times estão inclusos nesta nova liga. São eles: Sada Cruzeiro FA, JF Imperadores, Betim Bulldogs, Paraíso Miners e Uberaba Zebus, o último que não estava inscrito no Mineiro organizado pela Femfa.

Os clubes ainda trabalham na inclusão de um novo time neste certame. O alvo em potencial é o Uberlândia Lobos. Nos próximos dias, uma definição sobre o futuro do futebol americano no Estado deverá ser divulgado. A princípio, participam das conversas sobre a nova Liga os presidentes dos times, a Femfa e também a BFA, a nova liga nacional. A ideia é gerida pelo departamento de competições da Federação Mineira de Futebol Americano e, inicialmente, seria uma competição para os times de formação no segundo semestre, quando os times principais estão disputando os torneios nacionais. No entanto, em caráter de urgência, a competição pode ser lançada nos próximos dias, contando assim com os times principais do clubes já citados. 

Em rápida conversa com o First Down, o gestor da BFA, Bruno Guilherme, declarou que o 'Brasil Futebol Americano - BFA não medirá esforços para contribuir com uma solução para a modalidade no estado'. 

 

10 de Março - Sexta-feira - 15:34

Equipamentos e estrutura

Presidente do clube, Wesley Oliveira, prevê início da comercialização em aproximadamente um mês


Colaboração de João Vitor Cirilo

Lançado oficialmente nesta sexta-feira (10), o Sada Cruzeiro Futebol Americano já mostra algumas ideias bem definidas. Porém, como é natural em inícios de projetos, questões podem gerar dúvidas sobretudo nos mais interessados nisso tudo: os torcedores.

Muitos dos cruzeirenses já perguntam nas redes sociais sobre como será possível adquirir os novos uniformes, também apresentados na cerimônia realizada na Toca da Raposa II. O presidente do time, Wesley Oliveira, teve uma visão otimista sobre essa demanda da torcida azul.

"Essas informações serão dadas posteriormente, mas a Kick Ball, nossa fornecedora de material esportivo, irá divulgar uma página com tudo isso, e todos que quiserem a camisa oficial terão um link para a venda desses produtos esportivos que já estão com procura altíssima. A empresa já está ciente dessa demanda e com certeza vão aumentar os pedidos. Na medida do possível, colocaremos nas lojas esportivas de Belo Horizonte. Já deve estar aparecendo por aí dentro de no máximo um mês", projeta.

Especulou-se também sobre a possibilidade de mudança de local de treinamentos do time, atualmente nas quadras sintéticas 1 e 2 da Arena Pitangui, para a Toca da Raposa, porém, segundo Oliveira, a logística segue mantida.

"O nosso treinamento vai continuar como já era antes. Em um primeiro momento, a parceria será somente na questão das marcas. Em um segundo momento, não sabemos a dimensão disso, então, é impossível mensurar. Mas a gente já tem nossos locais de treinos que eram antes e por enquanto manteremos a parceria assim", garante.

Quanto aos locais de jogos, o BH Eagles já utiliza vários estádios para mandar suas partidas. Estruturas como do Sesc Venda Nova, Arena do Jacaré (Sete Lagoas) e Puc Minas receberam o time em jogos recentes, não havendo ainda informação oficial se será adotada casa única.

Veja a entrevista completa com Wesley Oliveira: 

10 de Março - Sexta-feira - 10:46

OPINIÃO DO TREINADOR

Head coach norte-americano do novo time de futebol americano de Minas conversou com a reportagem do First Down sobre as mudanças que sacudiram a modalidade nos últimos dias

Por Josias Pereira

Head coach agora do Sada Cruzeiro Futebol Americano, o norte-americano Daniel Levy celebrou o anúncio da parceria do BH Eagles com uma dos clubes esportivos mais tradicionais do Brasil e do mundo. Na Europa para camps da modalidade, o treinador conversou com o First Down sobre as mudanças que sacudiram o FA Mineiro nos últimos dias e não

"Sem dúvidas, este é um dos momentos mais excitantes para o nosso time. É um passo bastante significativo para o nosso programa e eu acredito que a chegada desta nova parceria nos ajudará tanto dentro quanto fora de campo", avalia Dan Levy.

Questionado sobre seu conhecimento do Cruzeiro, o técnico enalteceu a história do clube mineiro e também da potência que é o Sada Cruzeiro vôlei, tricampeão do mundo.

"O Cruzeiro é um dos melhores times do futebol brasileiro, de fama internacional, sei a força que este clube representa em Minas e dos fanáticos torcedores que eles arrastam aos estádios", declara. "Sem contar o vôlei, um time que estabeleceu uma verdadeira dinastia nas quadras. Quase impossível de ser batido. Estamos muito bem apoiados pelo peso desta história de conquistas. Temos tudo para chegar ainda mais longe", completa Dan Levy.

Mas nem tudo é festa. O Head Coach lamentou a saída do Minas Locomotiva do Campeonato Mineiro e o verdadeiro impasse que se transformou a competição, que já havia perdido o Pouso Alegre Gladiadores por divergências no regulamento.

"As duas coisas que perdemos no Mineiro foram a cooperação e a organização. O Locomotiva fez aquilo que eles sentiram ser necessário fazer. Nós, do Sada Cruzeiro, estamos realmente focados é no torneio Nacional, a BFA (Brasil Futebol Americano), e temos certeza que vamos nos encontrar com o Locomotiva lá. Quando entrarmos em campo e jogarmos, nós vamos saber quem é o melhor time de Minas Gerais", analisou Dan Levy.

O Head Coach disse ter conversado rapidamente com John Booker, técnico norte-americano do Locomotiva, sobre a decisão tomada pela diretoria.

"Conversamos um pouco sobre o que aconteceu. Ambos somos só técnicos e preferimos ficar fora destas questões políticas que envolvem o futebol americano. Espero que o Locomotiva tenha sorte na temporada", encerrou.

09 de Março - Quinta-feira - 17:30

Desistência

Clube alega divergência esportiva entre os competidores do torneio




Por Leandro Cabido

Pouco mais de uma semana depois do anúncio da saída do Pouso Alegre Gladiadores do Campeonato Mineiro, nesta quinta-feira foi a vez do atual campeão do Minas Bowl, o Minas Locomotiva, afirmar que também está fora da disputa. A competição que começou no último dia 4, é marcado pelos problemas nos bastidores, que culminam nas desistências. Na estreia, a equipe massacrou o Betim Bulldogs por 55 a 0 na PUC.

O Locomotiva alega que há divergência esportiva entre os competidores do Mineiro. "Minas Locomotiva mantém boa relação com todas as diretorias contatadas, mas, esportivamente, os objetivos são claramente diferentes", disse.  

"Entendemos por nos retirarmos da competição, e esperamos ansiosamente, sanada a situação mencionada, pela próxima edição do campeonato, para engrandecer ainda mais o nome do Futebol Americano mineiro", completou em nota divulgada em sua página oficial no Facebook.
 

Confira o comunicado do ML anunciando a sua saída do Mineiro 2017:

 

01 de Março - Quarta-feira - 16:04

EXPERIÊNCIA À PROVA

Igor Mota celebrou retorno à capital mineira e elogiou crescimento do Eagles no país:'potência nacional'; Kawan Pivatto é o outro nome anunciado pela diretoria

Por Josias Pereira

O carnaval já se foi. Provavelmente você deve ter curtido a folia e sequer está por dentro das notícias do futebol americano. Mas durante este período de festa, a diretoria do BH Eagles andou movimentando o mercado, como já se tornou costume. Nesta quarta-feira de cinzas, a equipe anunciou em sua página oficial no Facebook o retorno de Igor Mota, capitão da seleção brasileira Brasil Onças e estrela do Cuiabá Arsenal. Inicialmente, ele vai disputar apenas o Campeonato Mineiro. 

Igor, que foi campeão da Copa América e vice-campeão mineiro com os Eagles no ano passado, falou ao First Down sobre o retorno ao time da capital mineira. A ansiedade já toma conta do atleta, que ostenta no currículo dois títulos brasileiros pelo Arsenal (2010 e 2012).

"É muito legal ter essa oportunidade novamente. Estou ansioso para encontrar os jogadores e poder ajudar o Eagles a escrever sua história. É muito bom participar disso, um time que começou com sonhos grandes e sempre com foco está se tornando uma das potências do FA nacional", analisou o versátil atleta, que atua como LB, DB e LS.

Igor também comentou ao First Down sobre sua total confiança no trabalho desenvolvido pelo técnico Dan Levy, além da experiência que adquiriu ao longo dos anos.

"Acredito no projeto do Eagles, acredito no trabalho do coach Dan Levy, e volto para ajudar o time no que for preciso. Minha presença na seleção é fruto de muito esforço com objetivo de sempre me superar. Jogo na defesa como LB/DB e, graças a Deus, tive grandes jogos pela seleção que ficarão marcados na minha memória", encerrou.

Igor é jogador da seleção desde sua criação em 2007, atuando em todos os jogos oficiais, sendo aproveitado nas posições: LB, DB e LS. Disputou o Mundial de 2015 em Ohio nos EUA sendo MVP na partida contra Austrália e foi o único brasileiro a aparecer na lista First Team All World dos 22 melhores atletas do Mundial divulgada pela International Federation of American Football – IFAF.

Kawan Pivatto também é do Eagles! 

Na sexta-feira, véspera do feriado de carnaval, a diretoria do Eagles também anunciou a contratação de outro jogador de grande expressão no futebol americano nacional. Trata-se de Kawan Pivatto, defensive tackle do Brasil Onças, nossa seleção nacional, e que estava no Juventude FA. Kawan foi revelado em 2008 pelo Coritiba Crocodiles (na época ainda Barigui Crocodiles), onde foi hexacampeão estadual, 3 vezes vice-campeão brasileiro (2010, 2011 e 2012) e bicampeão brasileiro (2013 e 2014). O defensive tackle ainda teve uma breve passagem pelo Florida Marine Raiders da X League nos EUA. Voltou para o Brasil e atuou no Juventude F.A.. Pela seleção brasileira jogou o Mundial de 2015 em Canton, OH.

01 de Março - Quarta-feira - 02:27

RANKING FIRST DOWN

Nosso Blog contou com o auxílio do coach Ítalo Mingoni para elaborar uma lista com os atletas que prometem doutrinar na nova edição do Estadual, que começa neste sábado com o duelo entre o tricampeão Locomotiva e o novato Betim Bulldog's

Por Josias Pereira e Ítalo Mingoni 

No próximo sábado, o futebol americano voltará com força total em Minas Gerais. Vai começar a quarta edição do Campeonato Mineiro, um dos Estaduais mais equilibrados do país e que, com certeza, receberá a atenção de todos os amantes do FABR. Afinal de contas, dentre outros atrativos, temos dois times na elite da modalidade, além de verdadeiros estudiosos do futebol americano na sideline. Só que nada disso seria possível sem os atletas. Estes sim, grandes donos do espetáculo.

Nesta temporada, o Blog First Down contou com a ajuda precisa e técnica do coach Ítalo Mingoni, do Minas Locomotiva, para desenvolver um ranking com os 25 jogadores mais valiosos do Campeonato Mineiro. O resultado do trabalho de pesquisa e apuração está logo abaixo.  

Confira a lista completa:

#25 - Raphael Menezes – QB – Juiz de Fora Imperadores

Raphael já atuou como quarterback no antigo Vitória Antares e desde que se mudou para Juiz de Fora, assumiu o comando ofensivo da equipe, juntamente com o HC Hamilton. Raphael é inteligente e costuma tomar boas decisões dentro de campo, detalhes que podem ser importantes para avançar para os playoffs do campeonato.

#24 - Nicholas Sandoval – C – Pouso Alegre Gladiadores

Apesar de ser um “rookie” no futebol americano, Nicholas ingressou no Gladiadores no meio do ano passado, iniciando como guard e posteriormente assumindo a posição de center, comandando a OL. Destemido e duro com os adversários, promete ser um problema para o front seven das demais equipes mineiras.

#23 - Diego Madrona – RB – Minas Locomotiva

 

Recentemente relocado de posição, Madrona vem se destacando nos treinos do Minas Locomotiva com sua destreza impecável dos atributos físicos, principalmente agilidade e velocidade. Promessa de problema se alinhado ao bom desempenho da linha ofensiva do ML.

#22 - Ryan David – LB – BH Eagles

Possivelmente o líder de tackles do BH Eagles no ano passado na Liga Nacional, o LB Ryan se destaca pela técnica. Apesar de ser um jogador relativamente novo, desempenhou papel importante no box defensivo, com excelente leitura e decisões assertivas. Pode ser um problema para as OL’s adversárias no bloqueio de segundo nível.

#21 - Valter Honório – WR – Juiz de Fora Imperadores

Vem se firmando como um dos maiores destaques no jogo aéreo entre as equipes da Zona da Mata mineira. Rápido e explosivo, se adapta muito bem em todos os tipos de rotas, pode dar trabalho. É melhor as secundárias adversárias abrirem o olho!

#20 - Gabriel Tordoya / Abraão Coelho – QB’s – Minas Locomotiva

Com um estilo mais “Peyton Manning”, Tordoya é muito inteligente e tem um foguete nos braços. Ele é o contraste do Abraão, o outro QB do Locomotiva, mais estilo Russell Wilson, avança bem pelo ar ou pelo chão. O coach Booker tem uma tarefa difícil e ainda não se decidiu sobre quem será o starter, mas vale a pena ficar de olho em ambos nesse campeonato. PS: Abraão foi o líder de jardas corridas no último campeonato mineiro.

#19 - Julio Dib – LB / DE – Paraíso Miners

Atleta bastante versátil, pode incomodar tanto no jogo corrido, realizando um bom posicionamento na sua responsabilidade de gaps, como também no jogo aéreo, na sua habilidade e agilidade cobrindo setores mais próximos do box.

#18 - Phillipe Guimarães – MLB – Pouso Alegre Gladiadores

Atleta já experiente no futebol americano, atuando pelo seu quinto ano consecutivo, Phillipe é conhecido como “ cachorro louco”, e nas palavras do seu coach, ele “bate seco, duro, castiga o adversário que carrega a bola. Com ele não tem misericórdia”.

#17 - Victor Thomé – OL – BH Eagles

Conhecido como Paçoca, Victor desembarca do Espírito Santo para reforçar a linha ofensiva do BH Eagles. Jogador muito físico e agressivo, promete ser um problema para o front seven adversário. Vale lembrar que Paçoca tem uma sintonia com Victor Quintas (OL) e Álvaro Fadini (QB), todos jogavam juntos pelo Vila Velha Tritões.

#16 - Bruno Bachur – SS – Minas Locomotiva

Conhecido como “Miss BH”, Bachur também é um novato no FA que vem se destacando. Em seu primeiro jogo do mineiro no ano passado já teve uma pick six e desde então liderou o time defensivo do Locomotiva em tackle assist. Esse não é somente um rostinho bonito para ficar de olho (rsrsrs) ...

#15 - Magnum Nascimento – LB – Juiz de Fora Imperadores

 

O experiente LB veio também do Tritões para reforçar a defesa do Imperadores. Magnum esbanja técnica no setor defensivo e chega no campeonato mineiro como o líder da defesa da equipe de Juiz de Fora.

#14 - Pedro Delour – TE – Paraíso Miners

Muito alto e atlético, Delour é possivelmente uma das armas mais letais no ataque do Miners, principalmente em rotas curtas de segurança. Também é uma ótima opção como bloqueador extra no pocket, possibilitando uma segurança maior para o seu QB.

#13 - Wagner Belarmino – DL – Betim Bulldogs

Um dos líderes do front seven do time de Betim, Belarmino une força, explosão e agilidade. Foi responsável por várias stuffed’s no último amistoso de sua equipe, com excelente leitura, dominou a OL adversária e promete dar trabalho.

#12 - João Pedro Conrado – WR – BH Eagles

No ano passado foi o recebedor principal da equipe em número de targets, recepções e touchdowns. Excelente potencial atlético, corre muito bem as rotas e causa boa separação com os DB’s adversários. Sempre foi um dos alvos preferidos do Álvaro por sua segurança e possuir boas mãos. Ele promete dar ainda mais trabalho em 2017.

# 11 – Richard Monequi – RB – Juiz de Fora Imperadores 

Mais um reforço vindo do Espírito Santo, o corredor Richard Monequi é muito físico e técnico, com bom backfield vision, pode contribuir muito pelo avanço ofensivo do Imperadores pelo chão. Também é uma excelente opção de passes curtos como válvula de escape para o QB Menezes.


#10 – Erick de Paula – WR – Betim Bulldogs

  

Deixou sua marca no último amistoso contra a equipe de Juiz de Fora marcando um belo Touchdown. Muito veloz e danoso em rotas longas, ele pode tirar o sono nas zonas deep das secundárias adversárias.

#9 - Frank Zagato – OL/FB – Paraíso Miners

Frank tem experiências por equipes paulistas e uma experiência internacional no Orlando Phantoms no segundo semestre do ano passado. O gigante de 130 kg promete trazer um grande leque de quesitos técnicos que aprendeu na sua última experiência para os campos brasileiros.

#8 - Raphael Cruz – DB – BH Eagles

Defensive Back da seleção brasileira, Rapha é muito técnico e se mantém fiel à tática. O grande diferencial será o entrosamento com os demais atletas do setor de secundária, desde o nacional do ano passado que ele já está com a equipe. Ele será responsável por organizar o fundo da defesa do BH Eagles e, se eu fosse um QB, não lançaria a bola para o lado dele.

#7 – João Chamone – WR/KR/PR – Minas Locomotiva

Sempre acima da média, é um atleta que causa estragos com a bola na mão. Atlético e inteligente, é um dos principais recebedores em Slot do Locomotiva. Também atua como retornador de chutes e seus cortes secos deixam os special teamers no chão. Se for chutar, melhor chutar para fora!

#6 – Raffael 'Baiano' Loredo – WR – Pouso Alegre Gladiadores

Atleta já experiente no futebol americano mineiro e paulista, Baiano possui excelente atleticismo e promete implementar um jogo físico capaz de incomodar os seus marcadores.

 #5 – Victor Hugo 'Mega' – WR – BH Eagles

 

Ex-Corinthians Steamrollers e convocado para o último training camp regional sudeste da seleção brasileira não recebe o apelido de “Megatron” (comparação com o ex atleta da NFL Calvin Johnson) à toa. Alto, veloz, ágil e com mãos firmes, provavelmente será o alvo primário do QB Álvaro Fadini nesta temporada. Isolá-lo será uma opção muito utilizada pelo coach Levy.

#4 – Junis Bozetti – DB – Juiz de Fora Imperadores

Defensive Back de nível técnico elevadíssimo, também foi presença confirmada no último training camp regional sudeste da seleção brasileira. Chega com os demais colegas de time do Tritões para reforçar a secundária da equipe de Juiz de Fora. Bozetti conhece muito bem o jogo aéreo do Minas Locomotiva e pretende ser um problema para o coordenador ofensivo no playcall.

#3 – Roberto Schor – LB/DL – Minas Locomotiva

Schor é um pesadelo em qualquer front seven. Com presença no último training camp regional sudeste da seleção brasileira, representando a equipe mineira com excelência, Beto dosa perfeitamente a técnica e agressividade. Já atuou também em terras estrangeiras, defendendo por um ano o Solingen Paladins na Alemanha. Possivelmente o defensor do campeonato mais danoso no box para qualquer ataque. Qualquer um que já tenha estado em campo jogando contra o esse atleta sabe que é uma boa ideia evitar o jogo terrestre para o lado dele.

#2 – Victor Vilaça – WR – Minas Locomotiva

Destaque incontestável do Minas Bowl 2016, marcou o touchdown que deu a vitória para o Minas Locomotiva no ano passado, Vilaça vem se aprimorando tecnicamente e se destacando como o principal target do jogo aéreo do Minas Locomotiva nos últimos anos. Com uma filosofia de treinos duros e constantes, o recebedor do Locomotiva busca se firmar como um dos melhores atletas do Brasil na sua posição, subindo degrau por degrau. Seja em passes curtos ou longos, as secundárias adversárias precisam ficar de olho nele.

 #1 - Álvaro Fadini – QB – BH Eagles

Álvaro é um excelente quarterback, possivelmente um dos melhores do Brasil. Une todos os seus atributos físicos com sua capacidade rápida de reação e conhecimento tático para liderar o ataque do BH Eagles. Se desloca bem no scramble fugindo da pressão, faz um escaneamento do campo de maneira excepcional para encontrar recebedores livres, onde no ano passado castigou bastante a defesa do Minas Locomotiva assim. Com reforços no corpo de recebedores e uma proteção extra na linha ofensiva, Álvaro terá maior tranquilidade e mais opções para rodar o esquema ofensivo do coach Daniel Levy.

16 de Fevereiro - Quinta-feira - 20:36

DETALHES

O Blog First Down conversou com o gestor Bruno Guilherme e fontes próximas à Confederação Brasileira de Futebol Americano

 Por Josias Pereira

Na noite dessa quarta-feira, uma bomba sacudiu o futebol americano brasileiro. Foi anunciada, de forma oficial, a criação de uma nova liga: a BFL - a Brazilian Football League. Um torneio que promete revolucionar o conceito da modalidade no país. Logo que a notícia foi divulgada, várias dúvidas e questionamentos surgiram no horizonte.

O Blog First Down vai tentar elucidar alguns destes pontos após conversa com Bruno Guilherme, um dos melhores gestores de futebol americano no país, e que encabeça este movimento. O contato com o dirigente aconteceu nesta quinta-feira.

O nome americanizado

A explicação para 'BFL' é a padronização e também investir na internacionalização da marca, seguindo os mesmos moldes das Ligas de Canadá, Bélgica e Alemanha, por exemplo.

Sobre o formato do torneio e o receio de algumas equipes quanto a uma possível elitização da BFL

'Não mudamos o formato do campeonato. Continuam os mesmos times que participaram da Superliga 2016 e os times que subiram da Liga Nacional. Quem caiu, caiu... Quem subiu, subiu... Por isso, vamos manter a chancela da CBFA', disse Bruno Guilherme ao First Down de forma categórica

Sobre a ausência de uma Conferência Norte

Foram negadas pela CBFA as especulações levantadas nas últimas horas de que a exclusão se deu por conta da distância ou da estrutura dos times do norte. A Confederação estuda colocar os times desta região do país na Liga Nacional para que depois se chegue a um consenso. No entanto, isto ainda será discutido.

Quanto ao patrocinador master

Contratos de publicidade caminham para este sentido. Eles ainda estão sendo fechados. A ideia é que eles subsidiem os times que disputarão a BFL, trazendo também condições de igualar a disputa.

Alterações em regras, padronizações de campo e etc.

Algumas alterações serão feitas, mas a nova Liga ainda está decidindo o que será feito.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 

Gestão compartilhada e conversas 'antigas' com patrocinador master 

A nova liga será gerida pelos clubes. Foi o que confirmou ao First Down fontes próximas à CBFA. Estas mesmas fontes confirmaram que os principais times do país foram sondados pelo patrocinador master da BFL nos últimos meses para que a ideia fosse vendida e comprada pelos dirigentes. Não se sabe ainda de onde vem esse dinheiro ou como ele será aplicado (isso vai para o time? Vai para a CBFA? Ou o patrocinador vai cobrir todos os gastos?). Mas, a princípio, este patrocinador bancaria alguns custos dos clubes. 

O formato da BFL está sendo discutido com as equipes desde o ano passado. Quanto às transmissões, o que se sabe é que federações pelo país afora estão fazendo um piloto de filmagem, tendo como ideia principal a padronização de imagem e qualidade de captação durante os Campeonatos Estaduais. Seria uma espécie de primeiro teste. 

15 de Fevereiro - Quarta-feira - 11:40

NOVO TEMPO

Equipes tentam fortalecer a modalidade na Zona da Mata e traçam planejamento para atingir o cenário nacional em curto prazo; Campeonato Mineiro será teste

Por Josias Pereira

A partir desta quarta-feira, dia 15 de fevereiro, JF Mamutes e JF Red Fox serão só uma equipe, que será chamada de JF Imperadores. A fusão foi confirmada pela diretoria dos clubes, antes rivais, e que agora se juntam em prol de um projeto único e que tem como objetivo atingir o nível nacional em curto prazo. Ao First Down, Laercio Azalim Junior, presidente do então JF Mamutes e diretor de esportes da Federação Mineira de Futebol Americano, contou detalhes da união que muda definitivamente o FA na Zona da Mata.

"Estamos vivendo uma realidade onde dividíamos: mídia, visibilidade, infraestrutura, investimento e atletas. Notoriedade tínhamos, uma administração muito forte, e eles, jogadores bastante experientes. Unimos o melhor de cada lado para montar uma força diferenciada. A união será imediata. Nesse fim de semana temos um training camp com os reforços que foram contratados junto a Tritões, Vasco e Botafogo, já com os atletas unificados. Ou seja, já será como Imperadores. Jogaremos o Campeonato Mineiro já como a nova bandeira", afirma Laercio.

Questionado sobre como os atletas receberam a iniciativa, o dirigente destacou que todo o processo de transição está sendo conduzido a fim de diminuir qualquer tipo de atrito.

"Eles (atletas) receberam bem melhor do que as duas antigas diretorias esperavam. A possibilidade de atingir o nível nacional em um curto espaço de tempo motivou as equipes, fazendo com que os atletas enxergassem o planejamento estratégico traçado pela nova diretoria, aguçando a visão de futuro nos adeptos", destaca.

A rivalidade também foi outro ponto de interrogação levantado pelo First Down em contato com Laercio Azalim.

"Sempre fomos rivais, porém a cordialidade sempre prevaleceu, algo que ajudou nessa integração. Um plano de integração foi traçado, a fim de mitigar os efeitos colaterais da união desses dois mundos. Diretrizes foram criadas especificamente para evitar conflitos e promover o trabalho em equipe. Como exemplo, um auditor de integração foi eleito para planejar, executar e monitorar uma série de ações que permitiram a nova equipe a atingir o principal objetivo desse início de história, que é 'Trabalhar como uma única unidade'", avaliou.

Por um Império do Esporte em Juiz de Fora 

O JF Imperadores terá as cores dourada, preta a branca. A princípio, a nova diretoria não planeja fazer uma divisão de equipes, mas trabalha com a hipótese de criar uma equipe de desenvolvimento.

"A priori não (criação de um time A e B). Iremos focar nossas forças neste início para fazer uma transição o mais tranquila possível. Contudo, faz parte do plano time de desenvolvimento, que contempla também o flag universitário, além de ampliar a categoria de base", diz Laercio.

"Queremos também ampliar nossos projetos paralelos: o Imperadores Flag football feminino, baseball Marfins Golden Gloves e a grande novidade do Império que é o projeto Rúgbi imperial", completa o dirigente, deixando claro que a grande sacada da mudança é criar uma mentalidade esportiva na cidade, mobilizando todas as modalidades em prol de um JF Imperial.

Para a disputa do Campeonato Mineiro, o JF Imperadores trouxe sete reforços. Veja a lista abaixo: 

Magnum Nascimento DE/LB - Ex-Tritões
Junis Bozetti CB - Tritões
Rafael Faria - OL - Tritões
Richard - RB - Tritões
Hollyfield LB - Vasco
Magnum DB - Vasco
Celso SS - Botafogo

A equipe de Juiz de Fora faz sua estreia no Campeonato Mineiro de Futebol Americano no dia  18 de março, contra o Betim Bulldog's, na cidade da Região Metropolitana. Na Conferência Tiradentes, o time ainda terá pela frente o Minas Locomotiva, atual tricampeão mineiro. 

09 de Fevereiro - Quinta-feira - 12:09

CONTRATADO

Novo reforço da equipe da capital mineira já está treinando com o grupo e vai disputar o Mineiro e a Superliga Nacional; aos 24 anos, ele já possui experiência internacional

Por Josias Pereira  

Seguindo sua linha de contratações no mercado do futebol americano, o BH Eagles anunciou nessa quarta-feira a chegada de mais um atleta de peso. A diretoria foi buscar no México o jogador de linha ofensiva Victor Thomé, o famoso Victor Paçoca. Ele atuou por cinco anos no Vila Velha Tritões antes de tentar a sorte no futebol americano do México. Lá, Paçoca defendeu o Correcaminos Uat Victoria e foi vice-campeão nacional.

Também no ano passado, Victor foi convidado para o training camp da seleção brasileira, o Brasil Onças.

Comandante do offensive lineman na época de Tritões, Lener Fernandes, hoje Head Coach do Uberlândia Lobos, elogiou a contratação de Paçoca. Na avaliação do técnico, o Eagles ganhou um 'dinossauro'.

"Uma grande contratação. O Paçoca sempre foi um atleta muito dedicado e agressivo. No México, pelo que ele me contou, a agressividade dele deve ter aumentado ainda mais! (risos) O cara é um dinossauro", destacou Lener.

Em entrevista ao First Down, Victor Paçoca, que já está em BH treinando com o Eagles para as disputas do Mineiro e da Superliga Nacional, agradeceu os elogios de Lener. 

"Eu Fico muito feliz com esse reconhecimento. Procuro apenas seguir fazendo o que precisa ser feito, por que o caminho do sucesso está aí, não tem segredo. A diferença é você fazer todas as etapas ou ficar em casa sentado reclamando. Não me sinto tão forte nem tão rápido, mas acho que o sucesso vem por amar e respeitar muito esse esporte. Por isso, eu sempre faço 110% , por que o esporte não merece um esforço menor que esse", analisa o atleta, de 24 anos, de 1,83m e 119kg. 

Ao First Down, Victor ainda contou como ganhou o apelido de Paçoca. "Quando eu era pequeno, na minha rua tinham varios Victor e eu sempre chegava pra brincar comendo Paçoca. Aí o apelido foi para a escola, depois para o basquete, e nunca mais deixei de ser o Paçoca (risos)", explica. 

O offensive lineman ainda falou sobre sua passagem no México, quando decidiu viver exclusivamente do futebol americano. "Foi ano passado (a decisão) quando apareceu a oportunidade de jogar no México  Lá eu não vivia de jogar Futebol Americano, mas vivia para jogar, não tinha renda apenas Bolsa na Faculdade e benefícios. Agora na verdade que estou podendo me dedicar apenas a ser atleta de FA", comenta Victor, que pretende dar sequência à faculdade de administração em Belo Horizonte. 

Na verdade, Victor nasceu na capital mineira mas se mudou para o Espírito Santo aos 10 anos. "É como uma volta para a casa", comenta o jogador. Porém, ele admite "Não sei muita coisa por aqui, mas, aos poucos, vou me adaptando", diz Victor, exaltando a estrutura que o Eagles lhe ofereceu. "O BH Eagles é um excelente time com uma ótima estrutura de diretoria. E oferecem tudo que eu preciso para viver legal e para me desenvolver absurdamente como atleta", concluiu. 

 
 

 

09 de Fevereiro - Quinta-feira - 10:49

HISTÓRICO

Equipe recebe o JF Mamutes, às 14h30, no Campo do Vera Cruz; o First Down bateu um papo com o mentor deste sonho realizado, o presidente do time betinense, Julio Cesar Ribeiro

Por Josias Pereira

Neste domingo, dia 12 de fevereiro, Betim será introduzida ao futebol americano. Pela primeira vez, a cidade receberá uma partida da modalidade e os grandes responsáveis por este novo momento no município atendem pelo nome de Bulldogs.

Betim Bulldogs. Guardem este nome.

A ainda jovem equipe, de história recente, mas de muito empenho, se prepara para a disputa do Campeonato Mineiro e terá como rival neste desafio o JF Mamutes, outro estreante no Estadual, que se inicia no mês que vem.

O Blog First Down não poderia ficar fora deste momento histórico para o FA de Minas e, portanto, decidimos bater um papo com o ninguém menos que Julio Cesar Ribeiro, presidente do Betim Bulldogs. À nossa reportagem, ele deu detalhes sobre o início do time, bem como o desenvolvimento, o atual estágio dos Bulldogs e não conteve a alegria por ver a transformação gerada pelo futebol americano na região metropolitana de Belo Horizonte.

Mais do que um time, os Bulldogs são uma família e é isto que Júlio e todos os jogadores querem passar para as pessoas que irão ao campo do Vera Cruz no próximo domingo.

Leia abaixo a entrevista completa:

First Down - Nos conte sobre a história do Betim Bulldogs

Julio - A ideia de fundar o Bulldogs veio depois de passar pouco mais de um mês na equipe de formação do BH Eagles. Deslocar de Betim para BH para treinar estava pesado devido aos horários de treinos e, principalmente, por ser difícill conciliar com a rotina de trabalho. Então, a partir de janeiro do ano passado, eu fui amadurecendo a ideia de uma equipe em Betim. Me utilizei do Facebook para chamar alguns amigos e no dia 19 de março fizemos o nosso primeiro treino. Apesar de curta, nossa história possui muitas decepções, com várias promessas não cumpridas, de, por exemplo, chegar para treinar em um campo e em cima da hora, com todos atletas presentes, sermos informados que não seria possível utilizar mais o espaço. Mas tambem temos muitas alegrias, como realizar o primeiro jogo fullpad (equipamento completo) com oito meses de fundação. Com menos de um ano, já estamos inscritos no Campeonato Mineiro. Estas coisas são pequenas vitórias para nós. O Bulldogs começou com 11 pessoas e uma bola, e agora temos 55 atletas equipados na equipe principal, 30 atletas na equipe sub 19 e mais 30 na equipe de formação.

First Down - Como vocês estão encarando este desafio de disputar um Mineiro frente a fortes times, como Locomotiva e Eagles?

Julio - Somos bem pés no chão, sabemos hoje das nossas limitações, principalmente pela falta de experiência. Mas além do jogo do dia 12 de fevereiro aqui em Betim, queremos fazer mais um amistoso antes do Mineiro. Esses jogos vão servir para dar mais rodagem aos nossos atletas. Nós temos muita confiança em nossos jogadores, existem muitos talentos aqui e acreditamos principalmente no trabalho do nosso Head Coach, o Ramon Gomes. Apesar de pouco tempo na função, ele é um estudioso do esporte e tem potencial para ser um Coach de ponta.

First Down - Quais jogadores você pode apontar como destaques do time?

Julio - É difícil apontar destaques, porque agreditamos bastante na força do grupo, mas temos uma equipe defensiva bem consistente, com alguns atletas que se destacaram nos dois jogos (amistosos que a equipe fez anteriormente), como o Rafael LB e o Danilo SS. No ataque apostamos bastante na juventude do WR Erick, no Samuel que também é WR e que possui apenas 17 anos, e no RB Matheus que acabou de completar 16 anos.

First Down - Nos conte mais sobre o perfil do Head Coach Ramon Gomes?

Julio - Ramon é uma pessoa apaixonada pelo futebol americano. Ele foi atleta do BH Eagles por mais de um ano. Apesar de não ter ido ao México, ele fez parte do grupo campeão da América e também foi vice campeão mineiro. Com a chegada dele o time mudou completamente. Para nós foi a partir do início do trabalho do Ramon que passamos de um grupo de atletas recreativos para um grupo que vai disputar uma competição tão importante como o Campeonato Mineiro.

First Down - Qual o apoio que vocês têm recebido dos principais times da Região Metropolitana - o Minas Locomotiva e o BH Eagles?

Julio - Alguns atletas do BH Eagles têm vindo compartilhar experiências com nossos atletas, e criamos uma relação muito boa com o Locomotiva, até pelo suporte que o ex-presidente Abraão Coelho me deu desde o início da equipe. O Bulldogs participou juntamente com eles de uma ação beneficente aqui em Betim.

First Down - Qual é o local que vocês têm treinado?

Julio - Estamos treinando no campo do Bueno Franco, no bairro que tem esse mesmo nome. Fechamos uma parceria recentemente com o SECAM para que lá seja o local fixo de treino do Bulldogs. Em contrapartida, nós vamos ajudar na manutenção do campo e correr atrás de investimentos para melhorar a estrutura local. Também temos um bom relacionamento com o pessoal do Vera Cruz, que é onde vamos mandar o jogo do dia 12 de fevereiro e os jogos do Campeonato Mineiro. Eles sempre estiveram de portas abertas para nós.

First Down - Como está sua expectativa para o confronto do dia 12? Quantos amistosos vocês pretendem disputar e quantos disputaram antes do duelo com o Juiz de Fora?

Julio - No dia 4 de dezembro fizemos o primeiro jogo da história do Bulldogs justamente contra o JF Mamutes. Depois, no dia 17 do mesmo mês, enfrentamos a equipe de formação do BH Eagles. Agora vamos receber para um jogo de volta o JF Mamutes. A expectativa é muito grande, até por ser o primeiro jogo de futebol americano que a nossa cidade recebe. Acreditamos que vamos fazer uma boa apresentação. Agora já passou aquele nervosismo de estreias e vai ser muito bom enfrentar uma equipe que é forte, ainda mais depois das várias contratações que fizeram para a disputa do Mineiro.

First Down - De onde surgiu seu interesse pelo futebol americano, Julio? Como tem sido conciliar sua vida fora dos campos com a presidência do Bulldogs?

Julio - Hoje eu trabalho com Planejamento Industrial em uma empresa privada. Tenho que conciliar a vida profissional com a direção dos Bulldogs, além de casamento, e outras obrigações. O que ajuda bastante é o envolvimento da minha esposa com a equipe, hoje ela é nossa diretora administrativa. Então, o apoio dela foi fundamental para equipe já ter conquistado tanta coisa. Quanto ao Futebol Americano, tudo começou em 2011, em um Super Bowl entre Green Bay Packers e Pittsburgh Steelers. Depois disso, a paixão pelo esporte foi só crescendo e hoje não consigo imaginar minha vida sem futebol americano e sem a família Bulldogs.

First Down - Qual a média de idade do Bulldogs?

Julio - Entre 25 e 26 anos, mas é engraçado que temos atletas na equipe principal com 16 anos e um atleta com 45. Além disso, temos dois casos de pai e filhos jogando juntos O Elvis que é pai do Erick e o Paulo pai do Matheus. O Elvis de Paula, 45, é fotógrafo e o Erick Henrique de Paula, 22, é estudante. Já o Paulo Duarte Junior é empresário e o Matheus Duarte, 16, é estudante.

First Down - Quais as surpresas que vocês estão preparando para o duelo do próximo dia 12? O que o público de Betim pode esperar?

Julio - Vamos ter shows com banda durante o intervalo, apresentação de cheerleaders e sorteio de brindes. Queremos fazer um belo evento para receber o pessoal de Betim. A cidade abraçou a equipe, então queremos retribuir dentro e fora de campo.

INFORMAÇÕES SOBRE INGRESSOS

As entradas para o duelo entre Betim Bulldogs e JF Mamutes estão sendo comercializadas no valor simbólico de R$ 10.

Veja abaixo os postos de venda. No dia do jogo, ingressos também serão vendidos no estádio do Vera Cruz:

ARTERIAL URGÊNCIA E EMERGÊNCIA

Av. Edméia Matos Lazarotti, 3510, Jardim Brasília - Betim (ao lado do Hopital Regional)

PONTO COM GAMES

Rua Inconfidência, 394, Centro - Betim

KANELA CHAVEIRO

Praça do Ceabe, 301, Centro - Betim (ao lado do Super Luna)

W BAETA LUBRIFICANTES E DIEGO AUTO ELÉTRICA

Av. António Monteiro Lara, 643
Bairro Tereza Cristina - São Joaquim de Bicas

LAÇOS TERAPIAS

Av. Amazonas, 1711 - Centro/Brasileia - Betim

#GoDogs
#DeusNoControle
#BetimTemFutebolAmericano
#RumoAoMineiro2017

Apoio: Arterial Urgencia e Emergencia​, HAWK Brasil​, Agência Liga​, FEMFA - Federação Mineira de Futebol Americano

O campo do Vera Cruz, local da partida, está localizado no seguinte endereço:

Rua São Geraldo, 325, Bairro Açude, próximo ao Condomínio Montserrat.

Estreia no Mineiro

O Betim Bulldogs fará sua primeira partida no Campeonato Mineiro justamente contra o atual tricampeão estadual Minas Locomotiva. O confronto está programado para o dia 4 de março.