Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Rio de Janeiro

Escolas de samba do Rio protestam contra corte de verba

Ato convocado por redes sociais levou cerca de 200 pessoas ao centro

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
0
Diante da prefeitura, sambista mostraram seu repúdio ao corte
PUBLICADO EM 18/06/17 - 03h00

RIO DE JANEIRO. O anúncio de corte de 50% da subvenção da prefeitura do Rio de Janeiro às escolas de samba levou cerca de 200 pessoas à frente do edifício do governo municipal, no centro da cidade, na tarde desse sábado (17). A prefeitura anunciou que reduzirá a verba destinada a cada uma das agremiações para R$ 1 milhão, o que valerá já para o Carnaval de 2018. A intenção era atrair cerca de mil pessoas ao protesto e que equipamentos de som fossem usados para chamar a atenção da população para a medida do prefeito Marcelo Crivella (PRB).

O evento não tinha organização definida. Ele foi convocado por meio da página do Facebook “Sambista da Depressão”, na qual 1.200 confirmaram presença no protesto. Entre as lideranças das escolas de samba, apenas dois carnavalescos da Beija Flor de Nilópolis – Laíla e Cid Carvalho – e outro da São Clemente, Jorge Silveira, compareceram à manifestação e criticaram Crivella, bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

“O que não pode é, depois de dar sua palavra nas eleições (de que não mexeria no Carnaval), o prefeito agora querer tirar 50% (da verba). Todos nós que fazemos Carnaval dependemos desse dinheiro. Sou espírita, mas espiritismo não faz mal a ninguém. Dividir o Rio de Janeiro com evangelismo é covardia”, afirmou Luiz Fernando do Carmo, o Laíla, da Beija Flor, para quem a decisão de Crivella tem motivações religiosas.

Para Silveira, da São Clemente, as mais prejudicadas com o corte de recursos serão as escolas iniciantes que desfilam na Estrada Intendente Magalhães, na zona Norte do Rio. Além de receber verba da prefeitura, elas são amparadas pelas grandes escolas, do grupo especial, que, após o corte, tendem a suspender o apoio. “A prefeitura está cortando o espetáculo na raiz, no nascedouro. Qualquer centavo retirado de quem tem pouco é muito”, disse o carnavalesco.

Secretário de Crivella ironiza crítica de escolas com meme

O secretário municipal de Conservação e Meio Ambiente do Rio, Rubens Teixeira, ironizou com um meme as críticas das escolas de samba sobre a decisão de Marcelo Crivella em cortar metade da verba destinada às agremiações no Carnaval do ano que vem. Ele postou, em sua página no Facebook, uma imagem que diz que, “com a ameaça da Liga das Escolas de Samba em não realizar o desfile na Marquês de Sapucaí, agora Crivella pode cortar 100% da verba”.

O secretário de Educação do Rio, Cesar Benjamin, também usou a rede social para argumentar que o corte possibilita o aumento de recursos para concessão de reajuste a creches conveniadas, “para que não fechem as portas”. “Criou-se um escândalo, pois crianças pobres não contam com lobbies”.

O que achou deste artigo?
Fechar

Rio de Janeiro

Escolas de samba do Rio protestam contra corte de verba
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (3)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter