Recuperar Senha
Fechar
Entrar

São Sebastião do Bom Sucesso

Grupo protesta contra problemas causados por mineroduto na MG-010

Moradores do distrito de São Sebastião do Bom Sucesso reclamam de trincas nas casas causadas pela passagem do minério pela tubulação

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Protesto Mineroduto
Moradores fecharam a via por quase 9 horas
PUBLICADO EM 03/12/14 - 19h19

Um grupo de aproximadamente 70 moradores de São Sebastião do Bom Sucesso, distrito de Conceição do Mato Dentro, na região Central do Estado, fecharam a MG-010 por quase 9 horas na manhã desta quarta-feira (3) para protestar contra problemas que a passagem do mineroduto da Anglo American tem causado aos moradores da comunidade.

De acordo com Elias de Souza, de 36 anos, que é morador do distrito, a passagem do minério pela tubulação causa tremores no terreno, o que resulta em rachaduras nas casas. Além disso, segundo Souza, o empreendimento tem causado outros transtornos aos moradores. “Nós não temos como produzir na nossa terra”, explica. O problema, de acordo com o morador, se estende às localidades de Turco e Cabeceira do Turco.

“Nós fizemos um acordo com eles (representantes da Anglo American) e demos um prazo para resolverem as questões dos tremores das casas causados pelo mineroduto e as trincas”, conta. Uma reunião entre a mineradora e os moradores estava marcada para essa segunda-feira (1º), no entanto, a empresa avisou que não compareceria ao encontro por meio de uma carta, entregue 6 horas antes do início. “Eles não resolveram o problema e vão driblando a comunidade”, disse Souza.

Em nota, a Anglo American informou que participou de uma reunião realizada no dia 17 de novembro na comunidade do Turco, no município de Conceição do Mato Dentro, "que teve como objetivo manter o diálogo com a comunidade e explicar o que estava e continua sendo feito em relação às vibrações detectadas na região onde residem os moradores da referida comunidade".

Na reunião, segundo a empresa, os representantes da Anglo American explicaram que assim que a empresa tomou conhecimento dos fatos, em setembro, a companhia mobilizou especialistas de renome internacional para entender o que estava ocorrendo e verificar a intensidade das vibrações. "O problema foi identificado na estação de bombas 1 do mineroduto, localizada em Conceição do Mato Dentro, e todas as medidas cabíveis começaram a ser tomadas desde então. Os ajustes técnicos foram feitos nos equipamentos e a empresa está monitorando diariamente a região. Como resultado, os níveis de vibração caíram a ponto de não serem mais percebidos pela comunidade. Além disso, a Anglo American está realizando vistorias individuais em todas as residências da comunidade do Turco para aferir eventuais impactos causados pelas vibrações. Todas as casas que apresentarem danos causados por tais vibrações, desde que devidamente comprovados, serão devidamente reparadas. Cerca de 80% das residências já foram vistoriadas", diz o comunicado.

Ainda de acordo com a Anglo American, na reunião do dia 17, moradores pediram realocação e a empresa se prontificou a responder este questionamento até o dia 1º de dezembro. "Conforme acordado, a companhia, por meio de carta, entregue em mãos à liderança comunitária do Turco, informou que a realocação da comunidade não é cabível nem apropriada porque o problema relativo às vibrações está em fase final de solução e trata-se de uma questão temporária. Essa medida é utilizada apenas em último caso, quando não há como solucionar ou mitigar o problema detectado", diz a nota.

Contra mineroduto

Em Paula Cândido, na Zona da Mata, um grupo de manifestantes que integra a campanha Campanha Pelas Águas e Contra o Mineroduto da Ferrous marchou até a Câmara Municipal da cidade para protestar contra a instalação de um mineroduto no município. A manifestação aconteceu durante o ato oficial de assinatura do decreto da Prefeitura de Paula Cândido, revogando todos os atos administrativos referentes à passagem do mineroduto na cidade.

De acordo com o grupo, o município sofrerá muito com o impacto da instalação do mineroduto, que implicará na destruição de várias casas, plantações, córregos e nascentes.

Em nota, a Ferrous informou que obteve Licença Prévia para o projeto, concedida pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA). Além disso, a empresa “firmou  Termo de Compromisso Preliminar com o Ministério Público do Estado de Minas Gerais, no dia 5 de abril de 2013, onde se compromete a não proceder, promover ou realizar qualquer obra ou intervenção referente à instalação do Mineroduto na região da Bacia do Rio São Bartolomeu, senão mediante a apresentação ao Ministério Público de estudo técnico sobre a disponibilidade hídrica na região”.

Ainda segundo a Ferrous, não há previsão para a implantação do projeto.

O que achou deste artigo?
Fechar

São Sebastião do Bom Sucesso

Grupo protesta contra problemas causados por mineroduto na MG-010
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter