Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Tecnologia

Serviços públicos via Apps facilitam o acesso do cidadão

Smartphones viram ferramenta para resolver problemas

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
0
Túlio Iannini diz que aplicativos facilitam a vida de empreendedor
PUBLICADO EM 15/07/16 - 03h00

Com a ampla popularização dos smartphones, desenvolvedores de empresas privadas e órgãos públicos estão investindo em aplicativos que auxiliam o cidadão a utilizar melhor os serviços aos quais têm direito. O governo do Estado, por exemplo, lançou, no começo deste ano, o MG App, que já teve 60 mil downloads e centraliza serviços de água, luz e trânsito, entre outros. Com o aplicativo, é possível imprimir a segunda via de cobranças, fazer reclamações ao governo e localizar unidades de atendimento. “Nossa proposta foi centralizar tudo num lugar só para facilitar para o cidadão, que não precisa descobrir a estrutura do Estado para utilizar o programa”, conta Renan Augusto, gerente de construção web e mobile da Prodemg. “Ele não tem que saber que o IPVA está no âmbito da Secretaria da Fazenda, mas apenas que tem a ver com o veículo dele”, explica.

Segundo Augusto, o desenvolvimento do MG App foi orientado por uma pesquisa interna, na qual a maior parte dos consultados afirmou que gostaria de resolver os problemas “em trânsito”. De acordo com a Prodemge, não foi preciso nenhum tipo de verba extra para a produção do aplicativo.

Quem usa o transporte público da capital também pode, com o aplicativo Siu Mobile, da BH Trans, checar os itinerários e conferir em quanto tempo tal ônibus estará em determinado ponto. O app tem agradado usuários como a estudante de jornalismo Natália Quaresma, 28. “Gosto bastante, só acho que faltam algumas linhas como de alguns circulares e suplementares”, diz.


MEI. Já os microempreendedores individuais (MEI) têm, no aplicativo conta.Mobi, a possibilidade desde emitir boletos até a criar uma conta que pode ser movimentada com um cartão de débito fornecido aos usuários. Com mais de 10 mil clientes, o app surgiu há cerca de um ano e meio com a start-up homônima, de Belo Horizonte.

“O MEI que trabalha sozinho tem que deixar de trabalhar para ir numa agência, atender com um gerente, receber uma série de documentação para depois ele passar por uma análise financeira. Isso, para o MEI, é mais um custo”, afirma Túlio Iannini, diretor de marketing do conta.Mobi. O app pode ser utilizado gratuitamente ou, em planos pagos, que vão até R$ 9,90. Na versão gratuita, por exemplo, os MEIs podem enviar perguntas para uma rede que conta com 60 mil escritórios de contabilidade. A resposta, garante Túlio, chega em até 24 horas. “É uma oportunidade pro MEI se organizar melhor e para o contador aumentar a base de clientes dele”, diz o diretor de marketing.

O que achou deste artigo?
Fechar

Tecnologia

Serviços públicos via Apps facilitam o acesso do cidadão
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter