• PERSONAGEM LEI 100
    “O pessoal da Lei 100 é vítima, mas o concurso é a via legal. Ser nomeada é diferente de ser designada, tem férias-prêmio. Sou jovem, se o critério fosse por tempo, estaria fora.” - Karina Santos, 28, professora
  • BETIM - MG.
    “Trabalhei dez anos. Em junho descobri um câncer. Faço quimioterapia até dezembro. Em abril, faria outra cirurgia, mas tenho medo de ter que interromper o tratamento. Vou tentar um concurso quando ficar boa. O Estado dizia que não precisávamos de concurso e nos acomodamos.” - Emanuelle Silva, 36, emitida pela Lei 100
  • A-G
    “Sinto por quem perdeu o emprego, mas gostei da decisão do STF. Passei no concurso, mas estou desempregada há dois anos. Tenho esperanças de ser nomeada. O salário me faz falta. Meu filho de 8 anos tem problema de crescimento. Um dos remédios custa R$ 1.200, dura 18 dias.” - Dheis Rodrigues, 34, concursada