Recuperar Senha
Fechar
Entrar

PEDIDOS CONTRA TEMER

Maia deve rejeitar todos os pedidos de impeachment, diz vice-líder

É prerrogativa de Maia analisar a admissibilidade dos pedidos; "Ele, com certeza, vai rejeitar todos os pedidos", disse Perondi

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Maia
PUBLICADO EM 18/05/17 - 17h24

O vice-líder do governo na Câmara, Darcísio Perondi (PMDB-RS), disse nesta quinta-feira (18) que o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deve rejeitar todos os pedidos de abertura de processo de impeachment contra o presidente Michel Temer. É prerrogativa de Maia analisar a admissibilidade dos pedidos. "Ele, com certeza, vai rejeitar todos os pedidos", disse Perondi.

O peemedebista afirmou ainda que o questionamento de aliados é normal, mas que Temer é habilidoso no diálogo com parlamentares. Sobre o PSDB especificamente, Perondi disse que "é óbvio que o partido tem dúvida, mas está firme no governo". "É o Brasil dos novos tempos."

Mesmo que os tucanos desembarquem do governo Temer, Perondi garantiu que o PMDB seguirá no poder. Um dos parlamentares mais próximos ao presidente, Perondi disse ainda que Temer está indignado com as acusações e angustiado. "Como não ficar angustiado num momento desses?", questionou.

"Moleque"

O vice-líder do governo na Câmara chamou o empresário Joesley Batista de "moleque" e "brasileiro escroto". Joesley Batista, um dos donos da JBS, gravou conversa com Temer em que o presidente teria dado o aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) nas investigações da operação Lava Jato

"Ele é um moleque, um brasileiro escroto", disse Perondi, logo após o pronunciamento do presidente, que afastou a possibilidade de renúncia ao cargo. De acordo com o vice-líder do governo na Câmara, Temer sequer cogitou a hipótese de deixar o posto. "Parece-me que ele tentou comprar a República", acrescentou, buscando ligar Joesley aos governos do PT.

Perondi afirmou que o andamento das reformas trabalhista e da Previdência não muda e que elas são uma necessidade. "Estamos quase chegando aos números para aprovar a reforma da Previdência na Câmara", ressaltou. "Talvez, as reformas ameacem os poderosos", acrescentou.

Nesta quinta-feira mais cedo, porém, o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) suspendeu o calendário da reforma trabalhista. A previsão era apresentar o relatório na terça-feira, 23. "Isso é normal, a reforma trabalhista vai atrasar só um pouquinho", afirmou o vice-líder do governo na Câmara.

Perondi buscou explicar como Joesley Batista se reuniu com Temer no Palácio do Jaburu, conforme mostraram as delações e foi confirmado pelo presidente nesta quarta-feira em nota oficial e nesta quinta em pronunciamento. "Esse empresário tentou agenda com Temer durante 60 dias e ele não quis recebê-lo. Aí, ele descobriu o telefone particular de Temer", disse. "Ele atendeu, Temer atende a todos. Gentil que é, ele disse: 'Venha cá'. Com certeza, foi uma cilada", continuou.

 

Veja mais - Caso JBS

O que achou deste artigo?
Fechar

PEDIDOS CONTRA TEMER

Maia deve rejeitar todos os pedidos de impeachment, diz vice-líder
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter