Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Na rede

Pesquisas indicam erros de estratégias 

Após 90 dias, perfis de robôs criados conseguiram se posicionar com influência diante de ferramentas de análise (Klout e Twitalyzer)

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 29/03/15 - 03h00

Um estudo da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) analisa como transformar robôs em “pessoas” influentes no Twitter. Elaborado por Johnnatan Messias, Lucas Schmidt, Ricardo Oliveira e Fabricio Benevenuto, a análise conclui que é frágil o padrão de avaliação de influência em redes sociais referenciados em artigos científicos e na mídia.

Após 90 dias, perfis de robôs criados conseguiram se posicionar com influência diante de ferramentas de análise (Klout e Twitalyzer). Outras pesquisas realizadas pela Presença Online, empresa especializada em análise de redes sociais, indicaram que eleitores estavam interessados em propostas de campanhas no ano passado e também que apenas 5% tinham como elemento para definição de voto o relacionamento virtual com o candidato.

O que achou deste artigo?
Fechar

Na rede

Pesquisas indicam erros de estratégias 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter