Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Caso JBS

PF precisou chamar quatro chaveiros para entrar em imóvel de Aécio

Os agentes da Polícia Federal demoraram cerca de três horas para conseguir entrar no imóvel

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PF faz buscas no apartamento do senador Aécio Neves no Anchieta
PF faz buscas no apartamento do senador Aécio Neves no Anchieta
PUBLICADO EM 18/05/17 - 09h43

A Polícia Federal precisou chamar quatro chaveiros para entrar no apartamento do senador Aécio Neves (PSDB), no bairro Anchieta, na região Centro-Sul de BH.

Os agentes chegaram às 6h no local para cumprir mandado de busca e apreensão, mas demoraram aproximadamente três horas para entrar no imóvel que estava vazio. Por volta de 9h30, os primeiros policiais deixaram o imóvel carregando malotes com documentos do senador.

O apartamento é um dos endereços do senador que a PF cumpre mandados de busca e apreensão na manhã desta quinta-feira em Belo Horizonte.

Além disso, agentes estão em imóveis no Rio de Janeiro, em Brasília e no gabinete do político no Senado Federal.

Rio de Janeiro

Policiais federais e funcionários do Ministério Público Federal saíram às 9h20 desta quinta-feira do prédio do senador Aécio Neves (PSDB) em Ipanema, bairro nobre da zona sul do Rio. Eles ficaram por cerca de duas horas no local e saíram com um malote e uma mochila do edifício.

O grupo chamou um chaveiro para abrir o apartamento do presidente do PSDB, já que ninguém atendeu ao chamado. O imóvel estaria vazio. O prédio, que tem o nome do avô de Aécio, Tancredo Neves, está em um dos endereços mais valorizados da capital fluminense. As buscas foram feitas em companhia de uma testemunha chamada no local, no caso, o funcionário de um hotel que fica ao lado do prédio.

Entenda o caso

Nessa quarta-feira (17), foi revelado pelo jornal "O Globo" que o dono da empresa JBS, Joesley Batista, gravou declarações comprometedoras do presidente Michel Temer (PMDB) e do senador Aécio Neves (PSDB) durante conversas informais. Batista, que já possui um acordo de delação premiada com a Justiça Federal, levou as gravações ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que fossem homologadas.

Nestas conversas, o presidente teria sugerido que se mantivesse pagamento de mesada ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e ao doleiro Lúcio Funaro para que estes ficassem em silêncio. Já Aécio Neves teria pedido R$ 2 milhões para ajudar a pagar suas despesas com a defesa na Operação Lava Jato.

Devido a isso, foi deflagrada, na manhã de hoje, a operação Patmos, que prendeu a irmã do senador, Andrea Neves e outras duas pessoas após ser expedido mandados de prisão preventiva pelo ministro do Superior Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator dos processos ligados à Operação Lava Jato.

Veja mais - Caso JBS

O que achou deste artigo?
Fechar

Caso JBS

PF precisou chamar quatro chaveiros para entrar em imóvel de Aécio
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter