Recuperar Senha
Fechar
Entrar

ALERTA

Saiba como funciona o 'Baleia Azul', o jogo suicída

Na Rússia, mais de 100 mortes podem ter relação com desafio da 'Baleia Azul'

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
baleia azul
PUBLICADO EM 13/04/17 - 15h51

O jogo "Baleia Azul" começou na Rússia e consiste em incitar os participantes, geralmente em grupos secretos no Facebook, a completar 50 desafios, que conduzem lentamente à morte.

Ao entrar no grupo, o jogador recebe tarefas do administrador, que envia as mensagens normalmente às 4h20. No começo, as determinações são mais simples: desenhar uma baleia em uma folha, passar a noite em claro ouvindo música triste ou vendo filme de terror. 

Depois, elas vão ficando mais perigosas: os participantes são ordenados a tatuar uma baleia no braço com uma faca ou uma lâmina de barbear.

O jovem que decidir deixar o jogo antes de concluir os 50 desafios é impedido pelo curador - administrador -, que ameaça os participantes. Essa intimidação ocorre da seguinte forma: o responsável pelo grupo mostra o endereço residencial do participante e de seus familiares e declara que se ele sair do grupo, todos serão mortos. 
FOTO: Google
jogo baleia azul
 

Crença

Há uma crença popular que diz que a baleia azul seria capaz de se suicidar indo voluntariamente encalhar na praia e isto teria inspirado a "brincadeira".

Números alarmantes 

Na Rússia, mais de 100 mortes podem ter relação com desafio da 'Baleia Azul'. No Brasil, três participantes já foram vítimas do desafio. 

Entre eles está o jovem Gabriel Antônio dos Santos Cabral, de 19 anos, que se matou nesta quarta-feira (12), em Pará de Minas, na região Centro-Oeste. 

O que achou deste artigo?
Fechar

ALERTA

Saiba como funciona o 'Baleia Azul', o jogo suicída
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (8)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter