Recuperar Senha
Fechar
Entrar

em Sardoá

Homem paga o dobro para menor assassinar idoso que o queria morto

A mulher da vítima também foi morta pelos bandidos; além do mandante, os dois executores foram apreendidos pela polícia militar após o crime

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 19/04/17 - 14h19

Um homem descobriu que um fazendeiro, de 70 anos, havia pago um adolescente para matá-lo e ofereceu o dobro para que o menor executasse o homem que o queria morto. Na noite dessa terça (18), o idoso e a mulher dele, de 69 anos, acabaram assassinados com requintes de crueldade em Sardoá, na região do Rio Doce, no interior de Minas.

O adolescente infrator, um maior de 19 anos e o mandante acabaram presos após o crime. O menor será encaminhado para um Centro Socioeducativo, e os dois maiores para o sistema prisional. 

Aos militares, o menor contou que há algum tempo o fazendeiro ofereceu a ele o valor de R$ 4.000 para matar um homem, que havia executado um de seus bois. O impasse entre o mandante e o até então vítima se deu porque os dois dividem um terreno utilizado para a pastagem de seus gados. 

Porém, o alvo descobriu a trama e deu o dobro do acordado para que o adolescente tirasse a vida do idoso. Na noite dessa terça, o menor e um comparsa invadiram a fazenda da vítima.

Munidos com uma chave de roda, surpreenderam o idoso e o atingiram várias vezes. A mulher dele, que não seria morta, viu o companheiro ser agredido e acabou assassinada a tiros.

Após o crime, os suspeitos roubaram uma moto, uma arma do idoso e fugiram. Porém, eles acabaram detidos pela polícia, que foi acionada por funcionários da fazenda onde o crime aconteceu.

Um boletim de ocorrência foi registrado e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Guanhães. 

 

O que achou deste artigo?
Fechar

em Sardoá

Homem paga o dobro para menor assassinar idoso que o queria morto
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter