Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Santa Margarida

'Tive certeza que iria morrer', conta refém levado em caminhonete

O rapaz de 21 anos, que também é sobrinho do vigilante assassinado, foi usado como escudo pelos bandidos que fugiam da polícia

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Três suspeitos de matarem policial em Santa Margarida são presos
Três suspeitos de matarem policial em Santa Margarida são presos
PUBLICADO EM 11/07/17 - 08h20

Um rapaz de 21 anos, morador da pacata Santa Margarida, cidade de 16 mil habitantes da Zona da Mata, precisará de muito tempo para superar o trauma vivido na manhã desta segunda-feira (10). Ele foi levado como refém pelo bando fortemente armado que roubou bancos, tendo inclusive que ajudá-los durante a ação, e acabou presenciando o seu tio, que era vigia no Banco do Brasil, ser baleado e morto. 

O TEMPO está na cidade e conseguiu conversar com o jovem na manhã desta terça-feira (11), durante o velório do vigilante Leonardo José Mendes, que será enterrado no município às 8h. Ele contou que estava trocando a placa de um caminhão quando os assaltantes chegaram e falaram para ele subir na caminhonete. 

"Eu e um colega subimos na hora na carroceria e eles nos levaram primeiro para a agência da Sicoob. Eles chamaram o vigia, pegaram o dinheiro e pediram que eu segurasse o valor roubado. Em seguida fomos para o Banco do Brasil, onde chegaram quebrando as vidraças. Tive que ajudar, pois eles estavam me empurrando no vidro", relatou. 

Dentro da agência que ele ajudava a invadir sob ameaças, trabalhava o seu tio. "Quando eles entraram não viram os vigilantes. Todo mundo se assustou, inclusive os bandidos, que atiraram. Vi meu tio agonizando. Voltamos para a caminhonete e eles me usaram como escudo. Eles começaram a achar que a polícia estava atirando neles e passaram a gritar que estavam com reféns. Logo em seguida passaram na esquina onde mataram o policial", detalhou a vítima. 

Veja o vídeo que mostra a ação da quadrilha: 

 

 

Os dois reféns foram soltos em uma rua da cidade, onde conseguiram carona e retornaram ao centro da cidade. "Quando cheguei só vi eles tirando meu tio e levando para o hospital. Quando me fizeram como escudo, tive certeza que ia morrer", finalizou.

Enquanto o vigilante é enterrado em Santa Margarida, o cabo Marcos Marques da Silva, lotado no 12ª RPM de Ipatinga, no Vale do Aço, será enterrado às 10h em Manhuaçu, cidade na mesma região. A cerimônia contará com honrarias militares.  

Relembre

O crime aconteceu na manhã de segunda-feira (10), quando por volta das 9h um bando de oito homens fortemente armados invadiu a cidade em uma caminhonete. Eles chegaram na porta de uma agência do banco do Brasil atirando, acertando um dos três vigias que faziam a segurança no local.

Com os barulhos dos tiros, os militares foram acionados e, quando chegaram na porta do imóvel, também foram recebidos a tiros. Um dos policiais levou um tiro na cabeça. O cabo Marcos Marques da Silva e o vigilante foram encaminhados ao hospital, mas não resistiram aos ferimentos.

Além das duas vítimas fatais, os bandidos ainda balearam dois moradores da cidade. Uma mulher, que ainda não teve a identidade divulgada, foi baleada no braço e encaminhada para um hospital de Carangola. Um homem, também não identificado, foi baleado na barriga e levado para uma unidade de saúde em Manhuaçu. O estado de saúde dessas vítimas não foi divulgado.

Segundo a Polícia Militar (PM), os criminosos estavam com armas calibre .12 e fuzis.

O que achou deste artigo?
Fechar

Santa Margarida

'Tive certeza que iria morrer', conta refém levado em caminhonete
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter