Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Polêmica

Deneuve critica ações anti-assédio

Em artigo assinado em um jornal francês, atriz francesa defende o direito dos homens 'importunarem' as mulheres

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Catherine Deneuve
Estrela. Catherine Deneuve se manifestou contra o que chamou de denuncismo de assédios sexuais
PUBLICADO EM 10/01/18 - 03h00

PARIS, FRANÇA. Um coletivo de mulheres, entre elas a atriz francesa Catherine Deneuve, publicou um artigo de opinião, na terça-feira (9), na França, para “defender” a “liberdade” dos homens de “importunar” e de “se opor” à “campanha de denúncias” que surgiu após o escândalo Weinstein.

“O estupro é um crime. Mas cortejar de forma insistente ou desajeitada não é um delito, assim como o galanteio não é uma agressão machista”, afirmam no jornal “Le Monde” uma centena de atrizes, escritoras, pesquisadoras e jornalistas.

Essas mulheres rejeitam o “puritanismo” que, segundo elas, se instalou após as acusações de assédio e agressão sexual contra o produtor de cinema norte-americano Harvey Weinstein. Consideram, ainda, “legítima” a “conscientização sobre a violência sexual exercida contra as mulheres, sobretudo no âmbito profissional”.

Mas, afirmam, “esta libertação do discurso se transforma hoje no contrário: somos intimadas a falar como se deve, a silenciar o que irrita, e aqueles que se recusam a cumprir tais injunções são considerados traidores, cúmplices!”.

Há homens que foram “sancionados no exercício de sua profissão, obrigados a se demitir, quando seu único erro foi ter tocado um joelho, tentado ganhar um beijo, falar de coisas ‘íntimas’ durante um jantar profissional, ou ter enviado mensagens de conotação sexual a uma mulher que não sentia uma atração recíproca”, asseguram, falando de uma “onda purificadora”.

“Enquanto mulheres, não nos reconhecemos neste feminismo”, afirma o coletivo, acrescentando que defende “uma liberdade de importunar, indispensável à liberdade sexual”.

Em março passado, Deneuve, 74, gerou polêmica ao defender na TV o cineasta Roman Polanski, acusado de ter estuprado uma menor há mais de 40 anos nos Estados Unidos.

Reações. O artigo, assinado por uma centena de mulheres, provocou reações imediatas. Em um tuíte, a ex-ministra francesa dos Direitos das Mulheres, Laurence Rossignol, lamentou “esta estranha angústia de deixar de existir sem o olhar e o desejo dos homens, que leva mulheres inteligentes a escrever enormes estupidezes”. Este é “um artigo para defender o direito de agredir sexualmente as mulheres e para insultar as feministas”, denunciou a ativista Caroline de Hass.

 

Ator é acusado de má conduta

LOS ANGELES, EUA. Um dos vencedores do Globo de Ouro foi acusado de má conduta sexual. James Franco recebeu o prêmio de ator de comédia por “O Artista do Desastre” e causou diversas reações no Twitter. A atriz Ally Sheedy, que trabalhou em “The Long Shrift”, peça off-Broadway de Franco de 2014, perguntou por que o ator participava do Globo de Ouro. “Por favor, nunca me pergunte por que deixei o negócio de cinema/TV”, escreveu. Outra mulher contou uma história sobre Franco atacando-a, e outros lembraram de um episódio em que ele tentou forçar uma adolescente a visitar seu quarto de hotel em 2014.

 

O que achou deste artigo?
Fechar

Polêmica

Deneuve critica ações anti-assédio
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (8)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter