Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Literatura

Laboratório criativo vai discutir a produção de HQs da cidade

Durante três dias, 13 artistas vão desenvolver histórias a partir de restrições criativas propostas

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Jão
Trecho de “As Aventuras de Flores, o bárbaro”, do quadrinista Jão
PUBLICADO EM 09/01/18 - 03h00

Criar, coletivamente, histórias em quadrinhos a partir de temas e restrições criativas propostas na hora. Esse é o desafio elaborado pelo quadrinista mineiro, João Felippe Gonçalves, o Jão, e apresentado a artistas da cidade, em laboratório que começa nesta quarta-feira (10), na Livraria da Rua, na Savassi.

“Já queria fazer algo coletivo. Desde que fundei a Faísca (feira gráfica da cidade) eu noto o celeiro que Belo Horizonte é para artistas gráficos. Queria fazer essa troca de estilos, temas”, comenta Jão.
Intitulada Laboratório de Quadrinhos Potenciais, a atividade reunirá, por três dias, 13 artistas, entre quadrinistas, ilustradores e designers, que vão se debruçar sobre a criação de alguma história dentro das propostas do idealizador. O público poderá assistir.

“Uma trama que não tem protagonista, narrativas sem o uso de textos, a passagem do tempo em um único cenário e um mesmo enquadramento, diálogos criados a partir de línguas inexistentes, uma história em quadrinhos sem uma ordem determinada para leitura: são algumas das restrições que penso propor”, conta Jão.

Para a criação do laboratório, o quadrinista buscou inspiração no OuBaPo, uma oficina de experimentações idealizada por um conjunto de autores na França em 1992. O grupo fundou a editora L’Association, com o intuito de desenvolver e publicar obras que fugissem das características clássicas das histórias em quadrinhos.

“Quis levantar a discussão de o que seria uma história em quadrinhos e o que não seria”, explica.

Cidade. Os temas propostos giram em torno da cidade. Para o quadrinista, Belo Horizonte é um cenário pouco explorado. “A cidade é o recorte do meu trabalho, e quis trazer esse tema para a oficina. Poucas são as histórias que exploram BH, uma cidade que, a meu ver, possui grande potencial narrativo”, ressalta o artista, que em 2015 publicou o livro “Baixo Centro”.

Depois do laboratório, o artista pretende lançar a edição número 1 da revista “Parafuso”. Diferente da edição número 0, lançada em 2016, a publicação trará uma produção coletiva elaborada no laboratório com temas referentes à cidade.


Agenda

O quê. Laboratório de Quadrinhos Potenciais

Onde. Livraria da Rua (rua Antônio de Albuquerque, 913, Savassi)

Quando. Nesta quarta (10), quinta (11) e sexta (12), das 14h às 21h

Quanto. Gratuito.

O que achou deste artigo?
Fechar

Literatura

Laboratório criativo vai discutir a produção de HQs da cidade
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter