Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Banda Eddie

Literatura a serviço da música

Grupo de Olinda presta homenagem a Victor Hugo, João Antônio, Marcelino Freire e Jorge Amado em novo álbum

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Eddie
Prestes a completar 30 anos, banda Eddie mescla vários estilos musicais e tem Cartola e Jorge Ben como algumas referências
PUBLICADO EM 16/04/18 - 03h00

O sétimo disco da banda Eddie, “Mundo Engano”, lançado recentemente, poderia servir de trilha sonora para os amantes da literatura que resolverem dar um pulo a uma livraria ou transitar pelos corredores de uma biblioteca.

A abertura do álbum, “Correnteza”, é inspirada no romance “Trabalhadores do Mar”, do francês Victor Hugo – e na obra do poeta e compositor carioca Cartola. “Brooklin”, sexta canção do trabalho, tomou forma graças à influência do livro de contos “Abraçado ao Meu Rancor”, do paulista João Antônio. Já o poema “Para Iemanjá”, do pernambucano Marcelino Freire, converteu-se na nona faixa.

“Tem discos nossos inspirados no cinema e na estética de diferentes diretores. Outros, tiveram influências musicais mesmo. Mas estou num momento em que a literatura vem sendo mais presente em minhas referências”, sintetiza o guitarrista e vocalista do grupo de Olinda, Fábio Trummer.

“Já havia essa influência da literatura no disco anterior (“Morte e Vida”, de 2015, baseado no livro “Morte e Vida Severina”, de autoria do pernambucano João Cabral de Melo Neto e lançado em 1955). E agora ela voltou com nomes como Victor Hugo, Jorge Amado, Marcelino Freire...”, completa.

O título do álbum, porém, não faz alusão a um escritor ou obra literária de forma específica. “Estava lendo muito coisas sobre mar e navegações. Passei boa parte da minha vida entre a pescaria, o surf e o lazer na praia. E esses temas estão nas letras. Porém, o nome do álbum não tem conexão com as músicas. Apenas achamos que seria um bom nome”, relata.

Engajamento. Próximo a completar 30 anos de carreira – isso acontecerá em 2019 – e conhecida por mesclar elementos de várias vertentes musicais, como rock, samba, MPB e ritmos nordestinos, a banda Eddie também investe na pluralidade de temas em suas letras. No novo disco, “Girando o Mundo” homenageia o Carnaval de rua, enquanto a já citada “Para Iemanjá” denuncia as ações do ser humano contra os oceanos.

Já “Correnteza” dialoga com a veia engajada de Cartola, e o embate do homem com as forças da natureza está presente em “Trabalhadores do Mar”. “O Cartola é um cara que tem uma imagem universal muito forte, um cronista sensacional. Também quis homenagear o Victor Hugo. A música dialoga com o que estamos vivendo”, diz Trummer.

O mais recente play conta com a participação do vocalista Jorge du Peixe e do baterista Pupillo – que também assina a produção –, ambos do Nação Zumbi; do guitarrista baiano Martin Mendonça, conhecido por seus trabalhos com a cantora Pitty, e da Orquestra de Frevo Henrique Dias. “É legal ter essa mistura toda e ver a evolução da banda. A gente começou com influências de punk rock, com bandas como Pixies, Ramones e Garotos Podres. Com o tempo, fomos tendo outras influências, como Cartola e Jorge Ben”, ressalta Trummer.

Hit. O guitarrista é um dos autores da música “Quando a Maré Encher”, que não apenas era o carro-chefe do quarto disco do Nação Zumbi, “Radio S.Amb.A” (2000), como também é um dos hits da história da banda de Recife – com direito a clipe e single. No ano seguinte, a canção ganhou uma nova roupagem na voz de Cássia Eller, no “Acústico MTV” da cantora. O que alguns podem não saber é que a música foi concebida pela primeira vez em 1995, em uma fita demo do Eddie.

“Já me encontrei no meio de 80 mil pessoas num show da Nação Zumbi, e pouquíssima gente na plateia sabia que a música era minha. Ela é um filho com vida própria”, afirma Trummer, que divide a autoria da composição com Roger Man e Bernardo Chopinho.

E falando em filho, a vida de Trummer mudou em março, depois do nascimento de Matias, primeiro fruto de seu casamento com a consultora de imagem e visagismo Natássia Diniz. “Algo legal de ter meu filho ao mesmo tempo em que saiu do forno o álbum ‘Mundo Engano’ é que o Matias, no futuro, vai saber o que o pai estava pensando e fazendo na época em que ele nasceu”, comenta.

O que achou deste artigo?
Fechar

Banda Eddie

Literatura a serviço da música
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter