Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Mandalas vão percorrer o mundo

O paranormal Ivan Trilha já começou a catalogar 365 desenhos geométricos provenientes de vários países.

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 29/05/07 - 00h01

"Tudo é símbolo", profere Ivan Trilha, 50 anos, paranormal que previu a morte do presidente norte-americano John Kennedy, ao definir as mandalas, palavra sânscrita que significa círculo. Ele lembra que as mandalas entraram em sua vida de forma espontânea.

Sua tia-avó, Nicolina Trilha, de origem húngara, cigana e judia, o presenteou com um pingente-mandala, uma caixinha de prata minúscula com 200 filigranas. Essa imagem e o presente que o acompanha até hoje ficaram gravados para sempre em sua memória, enredando uma forma de se expressar no mundo.

"Tudo tem um tempo para acontecer. Certo dia, sonhei com uma casa com muitas mandalas e que elas seriam o equilíbrio do planeta. Deixei que essa linguagem onírica tivesse repercussão em minha mente. Até que compreendi que eu deveria criar uma exposição itinerante, com 365 mandalas, uma para cada dia do ano", explica o sensitivo.

Há seis anos, Trilha coleciona mandalas de todo o mundo: Tailândia, Índia, Tibete, Itália, Peru, México, Cuba, África, Europa, Estados Unidos, Argentina, Paraguai e de todos os Estados brasileiros.

A maioria foi comprada, outras são enviadas por amigos e até desconhecidos que querem contribuir com o acervo da exposição itinerante.

Trilha também cria suas próprias mandalas, de plantas, sementes, pedras preciosas, tecidos, desenhos e metal. "Minha inspiração vem da natureza. As mandalas têm uma mensagem espiritual, ecológica, econômica, de equilíbrio, cura e igualdade do homem com o planeta", enfatiza.

Desenhos traduzem inconsciente

Mandalas são desenhos criados a partir de um círculo, "uma representação geométrica da dinâmica relação entre o homem e o cosmo. De fato, toda mandala é a exposição plástica e visual do retorno à unidade pela delimitação de um espaço sagrado e atualização de um tempo divino. Elas têm um campo de força que estabelece e sustenta uma relação harmônica entre o homem e o universo", acredita Ivan Trilha.

O simbolismo da santidade e eternidade dos templos aparece claramente na estrutura mandálica dos santuários de todas as épocas e civilizações. Os templos estão associados às montanhas cósmicas e a função que elas exercem de ligação entre a terra e o céu.

Exemplos dessa arquitetura podem ser vistos no templo de Borobudur, em Java, na Indonésia e nas basílicas e catedrais cristãs da Igreja primitiva, concebidas como imitação da de Jerusalém celeste, representando uma imagem ordenada do cosmos, do mundo.

A mandala como simbolismo do centro do mundo dá forma não apenas às cidades, aos templos e aos palácios reais, mas também à mais modesta habitação humana.

A morada das populações primitivas é comumente edificada a partir de um poste central e coloca seus habitantes em contato com os três níveis da existência: inferior, médio e superior.

A habitação para ele não é apenas um abrigo, mas a criação do mundo que ele, imitando os gestos divinos, deve manter e renovar. Um exemplo brasileiro bem típico de mandala é a planta superior da catedral de Brasília.

Nas artes plásticas, a mandala apresenta sempre grande profusão de cores e representa um objeto ou figura que ajuda na concentração para se atingir outros níveis de contemplação. Há toda uma simbologia envolvida e uma grande variedade de desenhos de acordo com a sua origem.

"As mandalas levam à contemplação e reflexão. Sua construção é uma forma de meditação constante. É um processo bastante lento, com movimentos meticulosos. O grande benefício para os que meditam a partir da mandala reside no fato de que a imaginaram mentalmente em uma estrutura tridimensional", explica Trilha.

No momento, o paranormal está catalogando a sua coleção. "É um trabalho minucioso em que preciso sentir cada mandala, a energia que ela vibra, a fim de poder proporcionar a todas as pessoas que irão vê-la uma sensação de bem-estar, de retorno à sua essência e de ligação com a divindade que nos criou", ensina.

Trilha acredita que até no final do ano as mandalas já devem estar catalogadas e os contatos com os outros países já estabelecidos. A Índia, os Estados Unidos e os países árabes já sinalizaram interesse em abrigar a exposição itinerante, que o sensitivo chama de "patrimônio universal".

Informações sobre a exposição de mandalas podem ser obtidas pelo telefone 3274-2390.

O que achou deste artigo?
Fechar

Mandalas vão percorrer o mundo
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter