Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Literatura

Páginas de energia positiva 

Autor infantil norte-americano Todd Parr vem a Belo Horizonte hoje para falar sobre sua obra de “reforço positivo”

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
A-G
Espírito infantil. Obcecado por seus cachorros, Parr afirma que dialoga bem com crianças porque “eu mesmo sou uma criança grande”
PUBLICADO EM 06/05/14 - 03h00

Todd Parr cresceu em uma pequena cidade no interior do Wyoming, no meio-oeste dos EUA. Com dificuldades de aprendizagem, ele foi reprovado na 2ª série. “Isso fez de mim diferente. As outras crianças riam de mim”, recorda. Mesmo seu sonho de ser artista foi ridicularizado por um professor de artes que não acreditava no seu talento.

Anos mais tarde, quando Parr decidiu correr atrás de seu sonho, todas essas experiências e aspirações confluíram no princípio básico da arte – expressar os sentimentos mais profundos de seu criador. O resultado foi que ele se tornou um desenhista e escritor de livros infantis baseados no que ele chama de “reforço positivo”. É sobre essa experiência que Parr vem falar hoje no projeto Encontro com o Autor, às 14h30, na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil. Com tradução simultânea, a tarde ainda vai incluir a leitura de um dos seus livros, jogos e espaço para desenhar.

Mais do que historinhas ou narrativas ficcionais, as obras do norte-americano se alicerçam em mensagens como “é ok ser diferente” e “existem um monte de coisas boas na vida a serem apreciadas”, além de temas complexos como o medo de se destacar em um grupo e o relacionamento com outras culturas. “A arte é o que sempre me impulsionou. É ela que me ajudou a superar minha trajetória, e eu transformo isso em história com livros infantis”, explica o autor.

É isso que ele vem fazendo desde 1998, ano do lançamento de “Black & White”. A obra de estreia já trazia os traços fortes, cores vivas e frases simples – que servem quase como um diálogo entre Parr e seus pequenos leitores – que marcariam seu trabalho. Hoje, são mais de 30 títulos publicados em 14 idiomas, O mais recente deles, “O Livro da Gratidão”, foi editado em português, assim como todas as suas obras desde 2003. Além das livrarias, seu universo também já foi transposto para a TV na série “O Mundo de Todd”, da Discovery Kids.

Apesar do sucesso, a aceitação ao trabalho de Parr, que não seguia a estrutura clássica da literatura infantil, não foi imediata. “No início, as pessoas não tinham certeza se eram livros de autoajuda para crianças, ou didáticos. Elas não estavam prontas para abraçar essa literatura ‘funk’ imbuída de uma forte mensagem positiva”, reflete.

O diferencial, segundo o autor, veio do fato de que ele decidiu abrir seu coração e escrever sobre coisas que são complicadas. “Eu lembro de me sentir deslocado e excluído. De me sentir para baixo com minha vida. Eu sei como é isso. E eu pensei que, se conseguisse escrever um livro que ajudasse uma criança a lidar com algo assim, a se sentir melhor com sua vida, esse era o objetivo”, argumenta.

Nem só de temas pesados, no entanto subsistem as obras de Parr. No meio disso tudo, ele inclui muito humor, como a ideia de usar cueca na cabeça, e a presença de cachorros e muita comida – os principais interesses do escritor.

Como seu forte é o visual e o desenho, Parr revela que conta com um grande apoio de seu editor com o texto. “Eu sei o que quero dizer na minha cabeça e na minha arte, mas isso nem sempre se traduz numa lógica começo, meio e fim”, explica. Ele acrescenta ainda que, uma vez que suas obras nem sempre oferecem uma espécie de ‘resolução’ ao final, elas dependem fundamentalmente do professor ou pai que a apresenta às crianças.

“Eu acredito que, se o adulto perceber uma situação que seja apropriada, ele vai usar o livro, ou uma página dele, como um trampolim para oferecer à criança algo sobre o que refletir”, pondera. Para o autor, é o fato de que essas situações são vividas por crianças no interior do Wyoming, em Tóquio ou no Brasil que torna seus livros universais, mesmo com referências bem norte-americanas como o “mac and cheese” ou a neve.

“Eu escrevo sobre a ideia de que todos são iguais e têm direito às coisas básicas da vida. Que existe algo mais no mundo para crianças como eu. Essa mensagem é universal”, defende.

Programe-se

Encontro com o Autor

Quando. Hoje, às 14h30

Onde. Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de BH – rua Carangola, 288, Santo Antônio

Livro: “O Livro da Gratidão” (32 páginas, R$ 31,90)

Entrada gratuita

 

O que achou deste artigo?
Fechar

Literatura

Páginas de energia positiva 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter