Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Patrimônio

Uma joia do barroco mineiro

Restauração da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Mato Dentro, destaca valor cultural de Minas

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
ff
Restauro. Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Mato Dentro, data do século 18
PUBLICADO EM 08/11/17 - 03h00

Conceição do Mato Dentro. Um processo de restauração assemelha-se ao de um garimpo. No garimpo, é preciso paciência, cuidado e atenção na busca por pedras preciosas. No caso do restauro, a mesma tríade é fundamental no trabalho de recuperação da obra original. Apesar de moroso, o resultado é compensatório. Encontrar os primeiros desenhos do forro de uma igreja datada de 1723, do início do século XVIII, por exemplo, é o mesmo que achar ouro ao fim da escavação.

Foi essa a sensação da equipe que restaurou a sacristia da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição do Mato Dentro, na região Central do Estado. Importante símbolo do barroco mineiro, a igreja estava fechada desde 2004. Em cerimônia realizada na cidade, na terça-feira (7), a estrutura foi entregue. O trabalho é fruto de uma parceria entre a prefeitura, a paróquia e a mineradora Anglo American, responsável pela maior parte do investimento.

Depois de cinco anos de restauração, elementos artísticos como o altar do Senhor do Bonfim, pinturas, esquadrias e forro da sacristia foram recuperados. “A gente teve surpresas. Encontramos, no geral, três repinturas. No forro da capela-mor, por exemplo, encontramos uma Nossa Senhora da Conceição muito linda quando começamos a remoção da figura do Espírito Santo. Mas achamos estranho porque o estilo dela é rococó. Então, descobrimos que as partes escuras, que achávamos que era madeira, era, na verdade, uma imagem da assunção de Nossa Senhora, que é barroca”, revela Dulce Senra, restauradora e proprietária da Cantaria Restauro, empresa responsável pelos trabalhos de restauração da matriz.

A restauração da sacristia foi a segunda etapa do processo de reforma da igreja. Antes dela, foi restaurado um relógio inglês bicentenário, que também integra o santuário. Em agosto, o relógio, que estava parado desde 2006, voltou a funcionar, acionando o sino que toca a cada meia-hora. “A comunidade pôde voltar a fazer suas atividades em função do badalo do relógio. Muitas pessoas me param na rua para relatar a emoção de ouvi-lo. O trabalho em cima do relógio foi de 60 dias, e um especialista restaurou todo o maquinário”, conta Alexandre Leal, coordenador de projetos e obras da Anglo American e responsável pelo processo de restauração da igreja.

Com a sacristia e o relógio prontos, agora estão em processo de restauração o altar-mor, o arco do Cruzeiro e os outros dois altares laterais. A previsão é de que o trabalho seja concluído até o fim de 2018, quando a igreja finalmente será aberta para visitação.

Investimento. Inicialmente, estavam previstos para ser gastos na restauração da igreja R$ 4 milhões. Com o andamento das obras, no entanto, esse recurso precisou ser aumentado para R$ 8,5 milhões. Até agora, as obras consumiram cerca de metade do recurso disponibilizado pela Anglo American.

Estiveram presentes na solenidade o secretário de Cultura do Estado, Ângelo Oswaldo – que nasceu em Conceição do Mato Dentro –, o prefeito da cidade, José Aparecido de Oliveira, o padre da matriz, João Evangelista, o bispo dom Geremias, o presidente da Anglo American, Ruben Fernandes, e a presidente do Iphan, Célia Corsino.

A jornalista viajou a convite da Anglo American

O que achou deste artigo?
Fechar

Patrimônio

Uma joia do barroco mineiro
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter