O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Destilado

Esquecida há décadas, gim está de volta às mesas de bares e das baladas

Bebida viveu tempos áureos, foi esquecida, mas volta com tudo em drinks refrescantes

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
gf
Na Growlteria de Arte, “Gin’s O’Clock” é finalizado com uma espuma de cerveja IPA para dar cremosidade ao drink
PUBLICADO EM 01/04/18 - 03h00

Criado na Holanda no século XVII, mas popularizado na Inglaterra por volta de 1700, o gim – bebida destilada feita a partir da infusão de cereais, especialmente da semente de zimbro – já serviu de fármaco, foi tanto celebrado com destaque na coquetelaria como rebaixado a categorias sem prestígio e, até poucos anos atrás, praticamente saiu da memória de bartenders e mixologistas.

O gim, entretanto, voltou à baila quando, há quase uma década, começou a ser base de coquetéis produzidos nos bares da Espanha durante o verão. Deixando de lado a sofisticação de outrora, a bebida voltou mais descontraída, sendo acompanhada por frutas e ervas aromáticas.

No Brasil, coquetéis com gim apareceram há cerca de três anos, e, mais recentemente, chegaram aos balcões da capital. A fabricação local da bebida (assim como aconteceu com a cerveja artesanal), associada ao desenvolvimento da mixologia, catapultou o retorno do gim, segundo indica o gerente de alimentos e bebidas do Sargas Restaurante, Luís Veríssimo Cence Lopes.

“Hoje em dia, é possível comprar várias qualidades de gim, porque muitas marcas surgiram para concorrer umas com as outras. O gim caiu nas graças das pessoas”, comenta Lopes. Para completar, o gim ainda tem baixo teor calórico.

No Sargas Restaurante, são servidos três tipos de coquetéis que levam gim e água tônica: um com abacaxi, outro com limão siciliano e ainda outro com chá de frutas vermelhas e laranja. “O de abacaxi é o que mais tem saído”, revela, destacando que a combinação com água tônica “é clássica na coquetelaria mundial”. Cada uma das bebidas pode ser consumida pelo valor de R$ 32.

Para todos os gostos. A versatilidade do destilado é outra característica lembrada pelos especialistas consultados pela reportagem. “O gim tem grande futuro. Dá para fazer tanto drinks clássicos, com um ar elegante, como usar a criatividade para preparar as bebidas. Ainda existem muitos ingredientes brasileiros que precisam ser explorados, como a jabuticaba. Cada um pode ter um drink com gim para chamar de seu”, brinca o barman da Growleria de Arte, Thiago Gazinelle.

Ele criou para o espaço o “Gin O’Clock”, que leva espuma de cerveja IPA. “Uso a espuma para dar cremosidade, e, como a IPA é mais amarga, o drink vai se transformando. Ela também serve para manter a temperatura da bebida, fora que compõe o visual do drink que faz toda a diferença”, avalia Gazinelle.

Já no Restaurante do Ano, o mixologista Tiago Santos explorou ingredientes bem diferentes entre si para criar o drink “A Noite” (R$ 22): graviola, licor de amêndoa, tangerina e suco de maçã. “Quando pensamos em usar esses sabores juntos, logo imaginamos: ‘Não dá’. A ideia é usar uma fruta pouco explorada na coqueteleira, a graviola, com outra mais conhecida, a tangerina. O resto da magia fica por conta do licor de amêndoa, que dá um toque de sofisticação e um leve adocicado”, pontua Santos.

De acordo com ele, por mais que o gim tenda a ser mais seco, o aroma floral da bebida é fundamental para que sejam infinitas as combinações do destilado com outros ingredientes. A opinião de Santos é compartilhada pelo bartender Andrews de Souza, responsável pelos drinks do La Vera Pizzaria. Ele afirma que as “principais características de um coquetel como o gim são o gosto marcante da bebida e o aroma perfumado. A criatividade e a harmonia permitem desde coquetéis secos e amargos a doces e refrescantes”, destaca Souza.

O bartender misturou, além de gim, caldas de abacaxi e limão, gengibre e aperol para criar um “drink leve, com sabor cítrico, doce e bem refrescante”. “O Arapuru é frutado e cítrico. Isso torna o gim mais leve ao paladar”, conta Souza. O coquetel custa R$ 20.

Clássica e moderna. Para o Cabernet Butiquim, o mixologista Alexandre Loureiro recriou uma bebida clássica. Tradicionalmente feito com aperol, o Rouge Spritz do bar leva gim. “Além disso, o espumante e as frutas vermelhas combinam bastante”, reitera Loureiro. No Cabernet, também são servidos os drinks Long Beach Iced Tea e Negroni.

Loureiro recomenda que bebidas com gim sejam consumidas bem geladas. “Hoje, os drinks podem ser servidos em recipientes de diversos tamanhos com bastante gelo”, indica o mixologista.

Tomaz Gomide, à frente do Gomide, também recorre à coquetelaria clássica para criar um dos drinks com gim do restaurante. “O pepino é um clássico que acompanha o gim no mundo inteiro. O vegetal deixa o sabor do coquetel mais refrescante”, comenta.

A bebida custa R$ 37 e é uma das queridinhas da casa. Já houve noites de sexta-feiras em que até 200 drinks foram vendidos.

Receitas

A Noite, do Restaurante do Ano

FOTO: Thiago Santos/divulgação
0
 

Ingredientes:
50 ml de gim
50 g de polpa de graviola
1/2 tangerina com casca
10 ml de licor de amêndoa
50 ml de suco de maçã
Modo de preparo:
Misture os ingredientes suavemente.

Drink La Vera, da La Vera Pizzeria

FOTO: Paulo Cunha/Outra Visão Comunicação/divulgação
d
 

Ingredientes:
60 ml de gim Arapuru
50 ml de caldo de abacaxi
20 ml de caldo de limão siciliano
20 ml de simple syrup (xarope de açúcar e água)
Espuma de gengibre
Aperol para splash
Modo de fazer:
Mexa todos os ingredientes, menos a espuma e o Aperol. Coe. Passe para o copo com gelo. Encubra a bebida com espuma de gengibre. Finalize com raspas de limão siciliano e um splash de Aperol.

Gim tônica de abacaxi, do Sargas Restaurante

FOTO: Paulo Cunha/Outra Visão Comunicação/divulgação
d
 

Ingredientes:
50 ml de suco de abacaxi
6 sementes de zimbro
1 rodela fina de abacaxi sem o miolo
50 ml de gim
1 raminho de manjericão
1 copo de água tônica
Modo de preparo:
Antecipadamente, resfrie a taça do drink. Coloque o suco de abacaxi. Adicione gelo até metade da taça. Coloque as sementes de zimbro e a rodela de abacaxi. Complete a taça com gelo. Em seguida, adicione o gim. Misture. Coloque o raminho de manjericão. Complete a taça com água tônica até a borda sem fazer espuma.

Rouge Spritz, do Cabernet Butiquim

FOTO: Studio Tertulia/divulgação
g
 

Ingredientes:
50 ml de gim
London Dry
40 ml de redução de frutas vermelhas
10 ml de caldo de limão siciliano
150 ml de espumante brut
Modo de preparo:
Em uma taça de vinho tinto com muito gelo, coloque o gim, a redução e o limão. Mexa bem. Preencha com mais gelo e complete com o espumante. Na decoração, pode usar uma espiral da casca do limão, morangos e hortelã, por exemplo.

Serviço

Cabernet Butiquim. Rua Levindo Lopes, 12, Funcionários, (31) 3889-8799

Gomide. Rua Tomás Gonzaga, 189, Lourdes, Belo Horizonte, (31) 3292-4928

Growleria de Arte. Rua Sergipe, 629, Funcionários, Belo Horizonte, (31) 3261-2683

La Vera Pizzaria. Rua Pium-í, 784, Anchieta, Belo Horizonte, (31) 2515-0264

Restaurante do Ano. Rua Levindo Lopes, 158, Funcionários, Belo Horizonte, (31) 3327-6766

Sargas Restaurante. Avenida do Contorno, 7.325, Lourdes, Belo Horizonte, (31) 3298-4150

O que achou deste artigo?
Fechar

Destilado

Esquecida há décadas, gim está de volta às mesas de bares e das baladas
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter