Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Fábio Ramalho diz que PMDB nacional tem acordo para manter apoio a Pimentel em 2018

Apesar da briga interna no PMDB de Minas, já há um acordo entre as principais lideranças de que o partido vai estar novamente junto com o governador Fernando Pimentel (PT) nas eleições deste ano.

Apesar de o presidente do PMDB de Minas, o vice-governador Antônio Andrade, permanecer rompido com Pimentel e tentar afastar o partido da aliança com o petista, o deputado federal Fábio Ramalho (PMDB), que também é o coordenador da bancada mineira na Câmara, diz que as lideranças nacionais da sigla já têm um entendimento de seguir junto com o governador do Estado. “Aqui, em Minas Gerais, o PMDB fica com o Pimentel, já há um acordo com a diretoria nacional. A maioria dos deputados federais e também estaduais quer isso. Então, o partido estará ao lado do governador na tentativa à reeleição”, afirmou o vice-presidente da Câmara.

Ramalho inclusive disse que o momento do governo atual é difícil, mas é compreensível, pois são erros passados que estão afetando a maioria dos Estados brasileiros. “São dificuldades do nosso sistema, do momento da economia e também de erros passados que incharam a máquina pública. Não estou aqui para condenar ninguém, mas todos os governadores anteriores aumentaram o número de servidores, concederam reajustes que engessaram o Estado a ponto de ter que atrasar salários. Hoje, o governador é um mero administrador de uma enorme folha salarial que ele tem que se virar para pagar”, conclui o deputado.

Esse é mais um sinal de que a ala do PMDB mineiro comandada pelo presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Adalclever Lopes, sairá vitoriosa do racha interno do PMDB. Ele é o principal aliado de Pimentel no partido e um dos responsáveis pelo fato de o governador alcançar uma ampla base governista na Casa. Seu nome inclusive é cotado para ser o vice na chapa à reeleição. Com o PMDB praticamente acertado com o governador, o partido deve perder mesmo o deputado federal Rodrigo Pacheco. Em entrevista a O TEMPO, ele afirmou que conversa com outras legendas para viabilizar sua candidatura ao governo. Em 2016 ele disputou a Prefeitura de Belo Horizonte e terminou o primeiro turno em terceiro lugar, com 10% dos votos.

Sobre a eleição presidencial, Ramalho afirmou que é melhor o ex-presidente Lula ter o direito garantido de se candidatar. “Não é que estamos aqui querendo defender ex-presidentes a qualquer custo, mas precisamos cuidar de nossas instituições. No meu entendimento, o Lula vai poder ser candidato. Como você tira uma pessoa que tem quase 40% de intenções de voto da disputa?”, afirmou Ramalho. (Bernardo Miranda)

783

servidores públicos foram presos em ações da Polícia Federal no período de janeiro de 2013 a março de 2017. O resultado indica que, em média, três agentes públicos acabam atrás das grades por semana. Segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, o número de servidores detidos cresceu 57% nos 24 meses após a deflagração da operação Lava Jato, em 2014.

Marisa Letícia

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou, em nota, que vai respeitar a decisão da Câmara dos Vereadores de batizar um novo viaduto da cidade com nome de Dona Marisa Letícia. Porém, a administração diz considerar “injusta” a homenagem à mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, morta em fevereiro do ano passado, por avaliar que refere-se a alguém envolvido “no maior escândalo de corrupção já registrado no país e que nunca morou na cidade nem jamais lhe trouxe qualquer benefício”. A Prefeitura de São Paulo destacou que a escolha do nome é prerrogativa da Câmara Municipal. Apesar disso, a administração cancelou o evento de inauguração do viaduto, que estava previsto para 3 de janeiro. A via será aberta hoje, sem qualquer cerimônia.

Bolsonaro lidera

Em pesquisa realizada pelo site Uol Esportes, o candidato à Presidência preferido dos jogadores das Séries A e B do Campeonato Brasileiro foi o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O político teve 20,72% da preferência dos jogadores que declararam a intenção de voto. O ex-presidente Lula apareceu na segunda posição, com 5,4%; seguido de Luciano Huck, com 2,7%, que já anunciou que não concorrerá ao cargo; além do técnico Tite (isso mesmo!), em quarto, com 1,8%. Surpreende também na pesquisa o número de atletas que afirmaram não saber em quem votarão nas eleições presidenciais deste ano. A porcentagem chegou a 58,55%, enquanto outros 7,2% disseram que não votarão. Durante o ano, os jogadores Jadson, Felipe Melo e Roger manifestaram apoio ao candidato. 

FOTO: SANDRO PEREIRA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO – 21.12.2017

Preso. O ex-governador do Amazonas José Melo (PROS) passou a virada do ano na sede da Polícia Federal em Manaus. Ele foi preso no dia 31, por decisão da juíza substituta Ana Paula Silva Podedworny, do Tribunal Federal da 1ª Região (TRF-1). O despacho determinou que Melo fique preso por pelo menos cinco dias.

Ele é acusado de integrar uma quadrilha que promoveu desvios milionários na saúde. A Polícia Federal afirma que o ex-governador recebia pagamentos periódicos de uma quadrilha que atuava desviando recursos públicos. Além do ex-governador, três outros secretários da gestão dele passaram a virada do ano presos – Afonso Lobo (Fazenda), Wilson Alecrim (Saúde) e Evandro Melo (Administração). Ontem, Pedro Elias, que também comandou a secretaria de Saúde, entregou-se.

“No conjunto da obra, sob intensa vigília popular e da imprensa, sob intensa vigília da cidadania, as instituições brasileira avançaram (em 2017), notadamente as impeditivas do desgoverno.”

Ayres Britto

ex-ministro do STF