Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Governo do Estado culpa Anastasia pelo calote milionário na Embraer em BH

O governo de Minas reagiu às informações publicadas nessa quarta-feira (11) pelo Aparte sobre a dívida do Estado com a Embraer, que ameaça a manutenção do escritório da fabricante de jatos em Belo Horizonte. Em nota enviada à coluna, o Estado culpa o ex-governador de Minas e hoje senador Antonio Anastasia (PSDB) pela crise financeira do Estado, que impossibilitou efetuar os repasses anuais à empresa desde 2015, acumulando uma dívida que pode ultrapassar R$ 12 milhões.

Foi no mandato de Anastasia (2011- 2014) que Minas firmou parceria com a Embraer para instalar em território mineiro o centro de engenharia e tecnologia. “Num momento de profunda instabilidade política e severa crise financeira, são absolutamente lamentáveis as declarações oportunistas feitas por Anastasia sobre as dificuldades encontradas pelo Estado com relação a repasses de recursos a convênios e termos de cooperações em vigor. Lamentáveis, sobretudo, porque ele é um dos grandes responsáveis pelo desequilíbrio das contas públicas enfrentado pela atual administração do governo do Estado, que herdou déficit de mais de R$ 8 bilhões deixado por Antonio Anastasia e seu grupo político”, rebateu o governo do Estado.

À coluna, Anastasia disse que a vinda do escritório da Embraer foi um esforço para diversificar a economia do Estado. “Tais comentários revelam o perfil aproveitador de quem diz defender, no Senado, medidas de apoio aos Estados endividados – que é precisamente a situação em que ele deixou Minas Gerais quando foi governador”, continuou a nota. Em seu posicionamento, o Estado não negou a existência da dívida milionária com a Embraer, dizendo, inclusive, que o governador Fernando Pimentel (PT) esteve no escritório da empresa em agosto para conversar com funcionários.

Anastasia foi procurado nessa quarta-feira (11) pelo Aparte e, por meio de sua assessoria, se disse espantado com a rispidez da nota do governo. “Primeiro, porque o senador Anastasia somente lamentou o impasse, sem fazer qualquer crítica. Depois, porque o tom da nota é bem diferente daquele do constante pedido de apoio em temas nacionais que o governo lhe faz, em termos muito mais corteses. Quanto ao desempenho das gestões... caberá aos mineiros julgar o atual governo nas eleições do ano que vem”. (Angélica Diniz)

R$ 458 mi é o montante de recursos que o governo federal contingenciou para o Sistema Único de Assistência Social (Suas). De acordo com levantamento da Confederação Nacional dos Municípios, esse valor corresponde a um corte de 19% do que estava previsto.

Cargo ameaçado I

O governador Fernando Pimentel (PT), por meio de sua equipe política, já começou a articular a troca de membros de partidos que hoje ocupam cargos no serviço público estadual. Legendas que ainda não declararam apoio à reeleição do petista no ano que vem perderão seus cargos no governo. Fontes ligadas a Pimentel disseram à coluna que o vice-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig), Gustavo Pires, é um dos próximos alvos e deve ser dispensado do cargo nos próximos dias. Pires foi indicado pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS).

Janaina alega perseguição I

Reprovada no concurso para professora titular da Universidade de São Paulo (USP), uma das autoras do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, Janaina Paschoal, vê “perseguição” no processo. Ela leciona na Faculdade de Direito desde 2003 e concorreu com três colegas a duas vagas de titularidade – último degrau da carreira acadêmica – e ficou em quarto lugar. Janaina entrou com recurso no qual pede a anulação da disputa e diz que o primeiro colocado apresentou um trabalho sem originalidade, um requisito para a aprovação.

Frase do dia

“Não são fatos, mas a versão expressa por uma pessoa acometida de grave crise de ciúmes e que havia degustado algumas taças de vinho a mais... Tal lesão (olho roxo) foi causada pelo tombo que se sucedeu ao escorregão que sofreu sobre o Listerine e que a levou a bater com o rosto na banheira.”
Admar Gonzaga, ministro do Tribunal Superior Eleitoral, se defendendo-de da acusação de que teria agredido a mulher

Era uma vez...

FOTO: Reprodução Fecebook @micheltemer

Aproveitando a semana do Dia da Criança, o presidente Michel Temer, 77, postou em seu Facebook uma fotografia da época de sua infância, na década de 1940. Os seguidores do peemedebista não deixaram por menos e fizeram comentários. A maioria era de críticas, algumas irônicas (como o usuário da rede social que demonstrou surpresa por já existir máquina fotográfica naquele tempo).

Cargo ameaçado II

Sem conseguir unir a legenda em apoio à reeleição de Pimentel em 2018, a ordem de dispensar Gustavo Pires da Codemig já teria sido dada. Um membro do PROS também confirmou ao Aparte que há uma insatisfação do governo em relação a Pires. A coluna não conseguiu contato com o vice-presidente da Codemig. O presidente estadual do PROS, Eros Biondini, negou que esteja havendo crise com o governo e reafirmou que o partido integra a base de apoio de Pimentel. “Tenho tido o compromisso e a coerência de apoiar e ajudar as ações do governador. Sobre aliança para 2018, ainda não houve conversas a respeito”, afirmou. 

Janaina alega perseguição II

“Não tenho como negar a perseguição, não é só política. É maior do que isso, é de valores mesmo”, afirmou Janaina. “Eu já sabia que não teria a menor chance de ganhar pelas questões políticas, eu já esperava ser reprovada. Eles me veem como uma conservadora”, disse a docente. A direção da faculdade, no entanto, negou quaisquer irregularidades no concurso. O diretor da instituição, José Rogério Cruz e Tucci, classificou o pedido como absurdo e disse que ela está “tomada pela perseguição”.