Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Por reeleição, Pimentel quer contas em dia e já articula apoio de pelo menos oito partidos

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), vai para o tudo ou nada nas eleições do ano que vem. Em busca da reeleição, o petista já tem viajado pelo interior do Estado e agora costura alianças políticas em busca de apoio. Além de começar a estruturar a equipe de campanha para o pleito, Pimentel também trabalha com a meta audaciosa de chegar em 2018 com as contas da administração estadual no azul.

Segundo fontes próximas do governador, ouvidas pelo Aparte, a prioridade do PT estadual é, em todas as esferas, reeleger Pimentel. A candidatura se mostra ainda mais importante com o ex-presidente Lula sendo, neste momento, pré-candidato da legenda ao Palácio do Planalto. No entendimento de membros da agremiação, por Minas possuir o segundo maior colégio eleitoral do país, a campanha de Pimentel precisa começar com o pé direito.

Um dos entraves para que isso aconteça é o rombo nas contas públicas, que levou o Estado a, por exemplo, parcelar o salário do funcionalismo. O governador quer terminar este ano com uma dívida menor, o que tem gerado o aumento do número de reuniões com o primeiro escalão. A aposta para o crescimento da receita recai sobre o Refis (programa de refinanciamento de dívidas tributárias de contribuintes) e sobre os fundos imobiliários – já aprovado no primeiro semestre pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Um interlocutor também confidenciou que o petista quer reduzir os gastos da administração estadual colocando em prática uma “economia de guerra”. No entanto, a fonte ressaltou que isso vai ocorrer sem que direitos dos trabalhadores sejam retirados. A expectativa á que essa economia na carne e no cafezinho fique mais clara nos próximos dias. “Não está muito longe de arrumar as contas de Minas”, disse.

Em meio a esse cenário, Pimentel e aliados já estão se reunindo com representantes partidários. O intuito é conseguir o apoio necessário para 2018 o quanto antes. Para isso, têm sido mantidas conversas com pelo menos oito legendas, seja para manter a atual aliança ou para criar novos vínculos. Entre as siglas estão PR, PRB, PHS, PSDC, PROS, PV, PCdoB e Podemos. Em relação ao PMDB, o grupo conta com o apoio da maioria dos representantes da agremiação em Minas, mas que dependem do quadro nacional. Outro atenuante com os peemedebistas é o fato de Pimentel ter rompido com o seu vice e presidente do PMDB de Minas, Antônio Andrade.

Além da tarefa de identificar deputados e partidos que vão estar com Pimentel nas eleições do ano que vem, aliados do governador já estão circulando pelo interior para dialogar com lideranças locais e comunidades. No entendimento da equipe do petista, o primeiro passo é trabalhar com interior, onde ele tem um desempenho melhor. Depois, vai ser a vez da região metropolitana e, por fim, Belo Horizonte.

Conforme um aliado, neste momento, Pimentel tem escolhido com muito cuidado as pessoas que vão formar a linha de frente de sua campanha. Além disso, é dito que elas devem se dedicar totalmente ao novo trabalho. Nessa situação está o secretário de Governo, Odair Cunha, que como o Aparte mostrou, desistiu de tentar a reeleição na Câmara dos Deputados para ser um dos coordenadores da campanha do governador. (Fransciny Alves)

R$ 16,8 mil é o valor que o Tribunal de Contas da União (TCU) vai empenhar com a aquisição de copos plásticos descartáveis para água, com capacidade para 200 ml. Segundo o edital da compra, os copos devem servir para líquidos frios e quentes. 

Datas comemorativas I

Tramitam hoje na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) 71 projetos que pretendem instituir no Estado a comemoração de datas comemorativas. Algumas delas chamam a atenção pela peculiaridade. O deputado Noraldino Júnior (PSC), por exemplo, quer criar o Dia da Escola Bíblica Dominical, que é o método de ensino semanal da Bíblia em igrejas evangélicas. O parlamentar também quer comemorar o Dia do Metodismo Wesleyano, com o intuito de homenagear os membros das igrejas de origem wesleyana. Já o Missionário Márcio Santiago (PTB) pretende instituir o Dia do Evangélico, enquanto o deputado Bosco (PTdoB) pretende estabelecer o Dia do Terço dos Homens. Em outra frente, o deputado Antônio Lerin (PSB) quer criar o Dia dos Gêmeos, em 27 de setembro – quando é comemorado o Dia de São Cosme e Damião. Também há várias outras ideias dos políticos de criação de dias, como o do advogado criminalista, do procurador do Estado, do coach, do cigano, do genealogista, do americano e do vaqueiro.

Pedreiro

FOTO: PSP / divulgação

O megaempresário e prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), se fantasiou mais uma vez de operário para tentar mostrar que sua gestão está afinada com os anseios dos paulistanos. Cotado com pré-candidato tucano à Presidência da República, Doria começou o domingo vestido de pedreiro em Guaianazes, bairro da zona Leste da capital paulista. Com o uniforme do programa Calçada Nova, Doria pegou na enxada, misturou massa de cimento, usou a colher de pedreiro e nivelou um trecho de passeio no bairro. “Vamos melhorar a acessibilidade das ruas e calçadas da periferia da cidade”, disse o prefeito em sua conta no Twitter. Com este tipo de ação – que ele vem repetindo desde que assumiu a prefeitura –, Doria pode desbancar internamente o nome de seu padrinho político, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que também é pré-candidato à Presidência. Alckmin já afirmou que quer “ser o presidente do povo brasileiro”. E em indireta a Doria, eleito como “novidade”, disse que: “o novo na política” é “falar a verdade”.

Datas comemorativas II

Já na Câmara Municipal de Belo Horizonte, tramitam atualmente outras 36 propostas de criação de datas comemorativas na cidade. O vereador Léo Burguês (PSL) quer instituir na capital mineira o Dia Municipal do DJ’s, enquanto que há outra proposta de autoria do então vereador Wellington Bessa (PSB) que quer comemorar em 13 de dezembro, anualmente, o forró. E mesmo com a comemoração nacional dessas datas, o vereador Autair Gomes (PSC) quer instituir o Dia dos Pais e o Dia das Mães no calendário do município. Também há quem queira estabelecer o Dia do Condutor de Veículo de Ambulância. O que também não falta é a criação de datas comemorativas relacionadas a religião, como as que querem instituir o Dia da Bíblia, do Obreiro da Igreja Universal, do evento “Graça Brasil” da Igreja Assembleia de Deus e da Reforma Protestante. Já o vereador Pedro Patrus (PT) quer criar o Dia da Parada do Orgulho LGBT.