Recuperar Senha
Fechar
Entrar
15/10/17

Maia convidou Rodrigo Pacheco para filiar-se ao DEM e ser candidato em MG

As negociações de alianças e de possíveis candidaturas ao governo de Minas Gerais nas eleições de 2018 estão se intensificando com o passar dos dias. Com o intuito de aumentar a representatividade do DEM nos Estados, é dito nos bastidores do meio político que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, convidou o deputado federal Rodrigo Pacheco para deixar o PMDB e juntar-se ao DEM. A partir dessa mudança, o peemedebista “automaticamente” seria o nome da legenda para a disputa pelo comando da administração estadual no ano que vem.

Como O TEMPO mostrou, Pacheco já foi sondado por outras siglas para pleitear o governo do Estado. Entre elas estariam o Novo, Rede, PPS, PSB e PSDB. Mas, segundo uma fonte, por ser presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara (CCJC) e, consequentemente, ter que tratar de temas polêmicos no colegiado nas últimas semanas, como as denúncias contra o presidente Michel Temer, o peemedebista ainda estaria “analisando com calma” as opções antes de dar um veredito.

Mas isso não impediu que o tema fosse tratado entre ele e Maia. Um membro do primeiro escalão do DEM elenca os fatores que pesaram para iniciar essa aproximação. “A negociação está sendo feita a nível nacional. Ele é um político de primeiro mandato, mas tem mostrado que tem futuro. Fez uma campanha para a eleição da Prefeitura de Belo Horizonte boa, saindo do último lugar das pesquisas – por ser até então desconhecido – e terminando em terceiro lugar. O Rodrigo tem conseguido muita mídia por ser presidente da CCJC. É um candidato que todo o partido quer ter, mas tenho dúvidas se o PMDB abriria espaço para ele”, acredita o interlocutor.

O DEM acredita que Pacheco pode mudar de partido porque uma possível candidatura dele pelo PMDB ao governo de Minas esbarra em uma briga interna da legenda. Um grupo apoia a manutenção da aliança com o PT, do governador Fernando Pimentel, enquanto a outra ala da sigla, comandada pelo vice-governador e presidente do PMDB estadual, Antônio Andrade, quer candidatura própria. De olhos nas eleições de 2018, Pacheco e Andrade, inclusive, têm realizado várias viagens por cidades do interior. Esse gesto é visto como uma estratégia do vice-governador de manter o deputado “no ninho”, uma vez que ele foi sondado por várias agremiações.

A decisão do PMDB de ter um nome próprio para a disputa pela cadeira do Palácio dos Tiradentes e uma possível escolha de quem vai ser o candidato precisam ser aprovadas por delegados da sigla em uma convenção. Por isso, nas visitas, conforme aliados, o vice tem aproveitado para pedir apoio aos delegados. Ainda há a possibilidade de a executiva nacional do partido deliberar sobre o assunto. Nesse cenário, Andrade poderia levar vantagem, já que é próximo dos dirigentes. (Fransciny Alves)

Gastos

FOTO: Reprodução de vídeo . 14.10.17

Em viagem aos Estados Unidos para divulgar sua pré-candidatura à Presidência da República em 2018, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) usou as redes sociais para desmentir informações, divulgadas por sites ligados ao PT, de que estaria esbanjando verba pública para bancar o tour luxuoso pelas terras do Tio Sam. Junto com quatro de seus filhos, Bolsonaro publicou um vídeo do quarto do hotel, com capacidade para dois hóspedes, onde estão dormindo cinco pessoas. “Dizem que estou gastando horrores com verba da Câmara. Quem tiver dúvida, só entrar na Transparência do site da Câmara. No mais, tem cinco dormindo aqui e está tudo muito bem”, ironizou. Para se mostrar ainda mais econômico, Bolsonaro disse em entrevista que pretende gastar R$ 1 milhão em sua campanha. 

Burburinho

Um boato agitou as conversas de servidores da Secretaria de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) nos últimos dias. O burburinho é de que o governo estadual acabaria com a pasta, criada em 2015 por Fernando Pimentel. Os motivos para o suposto fim da Sedpac seriam o corte de gastos e a baixa produtividade de ações oriundas da secretaria. Parlamentares de oposição na Assembleia Legislativa de Minas já contestaram o alto número de filiados ao PT empregados na pasta. Questionado, o líder do governo na Casa, Durval Ângelo (PT), negou qualquer possibilidade de que a Sedpac seja extinta ou alterada em sua estrutura.

Purificado

O vereador Jair di Gregório (PP), da Câmara Municipal de Belo Horizonte, utilizou as redes sociais para responder à reportagem do Aparte desse sábado (14), que mostrou um vídeo do parlamentar na época em que ele integrava uma dupla sertaneja, além de citar passagens de um texto autobiográfico em que o vereador faz revelações sobre sua juventude. Segundo o parlamentar, a matéria tenta “manipular a opinião pública”. “Entre meu passado e presente, existe o Evangelho. O sangue de Cristo que purifica de todo pecado. Será que é essa graça de Deus, que o Cristão aceita e possui, que incomoda tanto?”, publicou o vereador da capital no Facebook.

Frase do dia

“Por que não permitir que o povo escolha diretamente em quem votar? Por que uma intermediação por partidos políticos desgastados, totalmente sem credibilidade? Existem algumas democracias que permitem o voto avulso, com sucesso.”
Joaquim Barbosa
Ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, defendendo as candidaturas avulsas (sem partido)