Recuperar Senha
Fechar
Entrar
15/06/15

Prefeitura atrasa repasse e fundação dá cheque sem fundo 

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 15/06/15 - 03h00

A falta de repasses da Prefeitura de Belo Horizonte à Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab) está atrasando o pagamento de aplicadores de prova de um concurso público para agentes comunitários de saúde da capital. Uma prestadora de serviço entrou em contato com a coluna reclamando que teria recebido da fundação um cheque de R$ 70 sem fundo como pagamento pelo serviço prestado.

As provas objetivas foram realizadas no dia 26 de abril e, até esse final de semana, o pagamento não havia sido efetivado. De acordo com a fundação, os colaboradores de Belo Horizonte foram informados quanto à falta de repasse da prefeitura, que está com parcela vencida desde 24 de maio.

Contratada pelo Executivo municipal para aplicar a prova, a Funcab explicou, em nota, que não tem como efetuar o pagamento por conta própria.

“Infelizmente, estamos enfrentando uma certa dificuldade de receber o que nos é devido pelo cliente, Prefeitura de Belo Horizonte”, registra a resposta.

A fundação ainda alega que a falta de pagamento “ocorre diante da questão econômica pela qual o país atravessa”. A empresa ainda informou que só poderá fazer o repasse do dinheiro aos aplicadores das provas após a prefeitura efetuar o repasse.

Procurada nos últimos dias para esclarecer a situação, a Prefeitura de Belo Horizonte não enviou uma explicação para o problema até o fechamento desta página. Na última resposta, um assessor informou que as áreas técnicas da secretarias de Planejamento e de Saúde não haviam ainda enviado um parecer sobre o caso.

Convidados

Nem só tucanos também marcaram presença na Convenção do PSDB de Minas Gerais, no último sábado. O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), os vereadores Juliano Lopes Lobato (SD) e Bim da Ambulância (PTN), e o ex-governador do Estado Alberto Pinto Coelho (PP) estiveram na linha de frente do evento. O socialista, inclusive, ocupou uma das cadeiras no palanque, ao lado de Pimenta da Veiga, candidato tucano derrotado ao governo de Minas no ano passado. Os dois vereadores da capital postaram nas redes sociais fotos ao lado de nomes renomados da sigla, como os senadores Aécio Neves e Antonio Anastasia, e não esconderam a alegria. Bim da Ambulância é cotado para mudar de partido e o PSDB seria o preferido.

Haddad e coxinhas

Petistas e aliados do governo federal costumam se referir aos organizadores de protestos contra Dilma Rousseff como “coxinhas”. A expressão não é nova e tem um caráter mais amplo, que pode ser entendido como alguém que está naquilo por modismo. No caso em questão, alguém que não tem tanta familiaridade com manifestações, mas que resolveu também ir para a rua. É, portanto, uma crítica, utilizada nas redes sociais mas pouco vista nos sérios discursos políticos. Neste domingo, porém, o prefeito de São Paulo resolveu aderir a essa conceituação por meio de sua conta no Twitter. “Hoje (neste domingo) fui ao excepcional Veloso Bar comer coxinha e um coxinha reclamou das ciclovias. Fiquei confuso”, disparou.

FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK
01
Vereador de São Paulo Andrea Matarazzo (PSDB)

Parlamentar e fotógrafo. O vereador de São Paulo Andrea Matarazzo (PSDB) está atacando de fotógrafo e participa da exposição “Malditos Fios”, realizada para expor a situação da fiação elétrica nos postes da capital paulista. Em seu Facebook, aproveitando para divulgar a imagem que registrou para a mostra coletiva, ele acabou abrindo um espaço para que os cidadãos, seus seguidores, reclamassem bastante da concessionária que cuida da iluminação pública por lá. A Eletropaulo metropolitana foi alvo de praticamente todos os internautas que comentaram o convite para a exposição. Sobre a foto, restou a um colega de partido, o senador José Serra, elogiar: “Vejam como o Andrea Matarazzo é um grande fotógrafo”, disse o ex-governador de São Paulo em seu perfil, ao compartilhar o convite do amigo tucano.

R$ 273 mil É o valor que o Senado Federal desembolsou com o pagamento de diárias para senadores de janeiro a junho deste ano


Abaixo da linha de cintura
O deputado estadual Durval Ângelo (PT) comparou o PSDB e o DEM ao Estado Islâmico (EI). Para justificar o “elogio”, Durval citou que as legendas opositoras fazem terrorismo contra o PT ao atacar a sigla usando como argumentos a prisão do empresário Bené, durante a operação Acrônimo da Polícia Federal e a prestação de contas de campanha da petista Helena Ventura, feita pela contadora Rosilene Alves, filiada ao DEM. “A oposição está mostrando que seu jeito de fazer política é o terrorismo. É o mesmo modelo do Estado Islâmico”, acusou o líder do governo.

Criacionismo na escola

O deputado federal Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) desarquivou o projeto de lei que pretende incluir o ensino do criacionismo – que afirma que a criação do mundo se deu por meio de Deus –, na grande escolar das escolas públicas e privadas. Conforme o parlamentar, a intenção é que os alunos escolham em que acreditar: na ciência, como a teoria do Big Bang, ou em Deus. Em entrevista à TV Câmara, o deputado ainda afirmou que a proposta visa defender os valores religiosos. “Se não daqui a pouco vão tirar o Cristo Redentor do Rio de Janeiro porque ele aponta para alguma religião”.

O que achou deste artigo?
Fechar

Prefeitura atrasa repasse e fundação dá cheque sem fundo 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter