Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Mobilidade Urbana

Seminário vai discutir trajetos de bicicleta em Belo Horizonte

Oficina, que será realizada neste sábado (18) resultado vai identificar a implantação de ciclorrotas na capital

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Seminário vai discutir trajetos de bicicleta em Belo Horizonte
Seminário vai discutir trajetos de bicicleta em Belo Horizonte
PUBLICADO EM 17/03/17 - 16h09

A Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) promove no próximo sábado (18), das 10 às 17 horas, a Oficina de Ciclorrotas – Região Leste, para identificar, mapear e estabelecer vias de uso adequado para o compartilhamento do tráfego de veículos com o transporte por bicicletas.

O encontro acontecerá no Centro Mineiro de Referência em Resíduos, na Avenida Belém, 40, bairro Pompéia. Essa é uma das ações do Plano de Governo da atual gestão municipal para implantação de ciclorrotas nas nove regionais da cidade e faz parte do Programa Pedala BH.

A oficina é destinada a todos os ciclistas e, em especial, àqueles que já trafegam por ruas e avenidas da região e que conhecem os locais viáveis e importantes para receber a implantação de uma ciclorrota.

Ciclistas serão convidados a participar do seminário por meio de divulgação nas mídias sociais e de folhetos que serão distribuídos por equipe da BHTRANS na Avenida dos Andradas com a Avenida Silviano Brandão, na sexta-feira, a partir de 17 horas. O convite e a identificação de quem pedala na região ganham reforço com os grupos de ciclistas, parceiros da BHTRANS no programa de implantação de ciclovias em Belo Horizonte.

Informações sobre o seminário também serão divulgadas no portal da empresa www.bhtrans.pbh.gov.br. O evento é aberto a todos os ciclistas e a qualquer pessoa que queira participar e contribuir com opiniões e sugestões.

Durante os trabalhos, os participantes apresentam as rotas que já realizam, seja em vias dentro dos bairros ou em avenidas, que consideram seguras, importantes para ligação entre pontos de interesse, com características urbanas e de tráfego compatíveis para o compartilhamento com as bicicletas. Serão discutidas também as medidas necessárias para que a via se transforme em um local apropriado para o deslocamento dos ciclistas.

A partir deste diagnóstico, com o material coletado e consolidado, equipe técnica da BHTRANS realizará os estudos, desenvolverá projeto e definirá, em parceria com os ciclistas, a infraestrutura cicloviária necessária para cada trajeto. “Alguns locais poderão ser incorporados como ciclorrota porque o compartilhamento da via já oferece segurança, assim como outros que tiverem características para se tornar um trajeto mais significativo para os ciclistas poderão passar por um tratamento urbanístico mais amplo e receber uma infraestrutura cicloviária adequada”, afirma Eveline Trevisan, coordenadora do Programa Pedala BH.

Os projetos contemplarão implantação de sinalizações verticais (placas), horizontal (pintura no solo) e, em determinados casos, a área receberá obras de adequações geométricas, redução do limite de velocidade - como as chamadas Zona 30 -, e medidas que trazem mais conforto e segurança para o deslocamento por duas rodas.

O que são as ciclorrotas?

As ciclorrotas são sinalizadas a partir da identificação de vias por ciclistas que conhecem bem caminhos adequados para se deslocarem e já fazem uso deles. No geral, esses trajetos estão dentro dos bairros.

Diferentemente das ciclovias, em que há a separação física da faixa, nas ciclorrotas os ciclistas dividem o uso da via com os carros.

A sinalização instalada permite a identificação para outros ciclistas de quais as melhores ruas para se utilizar, tanto quanto para torná-las seguras e com mais condições de compartilhamento com outros modos de transporte.

As ruas que se transformam em ciclorrotas indicam a presença da bicicleta e de sua preferência sobre os demais veículos, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Um dos benefícios a serem ressaltados é de que essas vias podem ser usadas a qualquer dia, em todos os horários, e como está caracterizada, estimula o uso compartilhado e o respeito. A redução da velocidade, comum nas ciclorrotas, é um ponto importante para a segurança de todos, ciclistas, pedestres e motoristas de veículos automotores.

Para a implementação, as vantagens estão nos menores custo e tempo de instalação de infraestrutura e da não necessidade de redução do espaço destinado ao automóvel.

 

O que achou deste artigo?
Fechar

Mobilidade Urbana

Seminário vai discutir trajetos de bicicleta em Belo Horizonte
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter