Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Diversão

Adeptos de jogos de tabuleiro resistem à era da tecnologia

Pessoas de idades variadas têm o costume de se reunir e mantêm viva essa prática

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
xg
Encontro. Em Belo Horizonte, adeptos de jogos de tabuleiro se reúnem aos fins de semana em locais voltados para a prática
PUBLICADO EM 10/01/18 - 03h00

Atualmente, a era da tecnologia predomina. São oferecidas milhares de opções de atividades digitais, como aplicativos que unem pessoas em locais distantes em um jogo online. Mesmo assim, os jogos de tabuleiro estão conseguindo resistir à modernidade.

De acordo com Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), 8,9% das vendas de brinquedos são representadas por esses produtos, o que gera um faturamento que gira em torno R$ 600 milhões por ano. Títulos clássicos como War, Banco Imobiliário e Jogo da Vida ainda continuam conquistando novas gerações, mas títulos novos e com dinâmicas diferentes colaboram para esse retorno de interesse.

É o caso da universitária Ana Clara Oliveira, 23, que prefere os jogos mais clássicos. “Eu gosto de War e Detetive”, conta. Ela diz que costuma se reunir com amigos e familiares para jogar. Apesar da competição ser entre colegas, as discussões são inevitáveis. “Em War sempre tem algum tipo de debate. Às vezes, a gente nem resolve, fica um de cara fechada para o outro”, diz.

Para o programador Marcelo Guimarães, 29, fã desde a adolescência, não importa o jogo, mas a convivência. “Jogo com minha família quase todos os dias e tento reunir os amigos para jogar pelo menos uma vez por semana. Se eu pudesse, jogaria todos os dias”, conta ele, aficionado por jogos de estratégia.

De acordo com Vicente Mastrocola, professor de plataformas digitais e game design na ESPM, há vários motivos para esse cenário. “O papel da internet em auxiliar a renascença dos jogos à moda antiga é reconhecido entre os fãs. Entre as principais razões estão o acesso a lojas especializadas e a criação de comunidades específicas físicas e em sites ou fóruns, além da difusão de informações sobre os jogos”, explica.

Foi de olho nesse mercado que o empresário Fábio Pereira, 56, abriu as portas do pub Soho Orbi, em Belo Horizonte, para os aficionados por tabuleiro. “Já virou um point para os jogadores, desde crianças até adultos. Recebemos até 250 pessoas nas noites de sexta e sábado”, afirma o empresário.

Expectativa. Ele acredita que o mercado brasileiro caminha em um bom ritmo. “Isso tudo impulsiona e estabelece novas portas de entrada para o consumidor. O nosso mercado ainda está longe de se igualar àqueles que são referência no mundo. O desenvolvedor aqui ainda carece de apoio. Mas estamos em um caminho positivo”, afirma o professor.

 

Na matemática, iniciativa é usada para ensinar operações básicas

Um estudo realizado pela Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, mostrou que jogos de tabuleiro com números ajudam a melhorar o desempenho de alunos nas quatro operações matemáticas básicas. Os resultados foram divulgados pelo jornal “Wahsington Post”.

No estudo, foram avaliados dois grupos de estudantes, entre 4 e 5 anos de idade. O primeiro, com 22 membros, jogou durante a semana de aula. O outro grupo, também com 22 alunos, não usou os jogos de tabuleiros. No período de nove semanas, os estudantes que brincaram apresentaram melhoras matemáticas nas nove semanas seguintes.

De acordo com os pesquisadores, essa prática incentiva as crianças pequenas a pensarem estrategicamente e planejarem com antecedência.

Minientrevista

Bianca Frate

Psicóloga

Psicóloga fala quais são os principais benefícios dos jogos

Quais são os principais tipos de jogos de tabuleiro? Eles podem ser competitivos ou cooperativos. Os da primeira categoria estão relacionados à superação do próprio potencial e ao sentimento de realização em determinadas competências, que variam conforme o jogo.

E os jogos de natureza cooperativa? Eles colocam os jogadores competindo contra o jogo, mas também podem significar subgrupos de usuários competindo entre si. Esse tipo de jogo envolve colaboração entre todos os participantes em prol de um objetivo, e eles podem compartilhar tanto a satisfação da vitória como a decepção da derrota.

Quais são os outros benefícios? Qualquer pessoa pode ter ótimos resultados com o hábito de brincar com os jogos de tabuleiro, mas há benefícios determinados que atingem principalmente as crianças. Mesmo assim, num sentido mais amplo, o jogo físico e presencial, comumente realizado em grupo, trabalha aspectos sociais (interação e convivência), cognitivos (concentração e estratégia) e motores (movimentos). Além deles, há ainda o reconhecimento de regras, a construção de hipóteses e o aprimoramento da destreza manual.

O que achou deste artigo?
Fechar

Diversão

Adeptos de jogos de tabuleiro resistem à era da tecnologia
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter