Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Projeto

Resgatando a memória afetiva através do bordado 

Exposição do “Mãos que Bordam” terá painel gigante com trabalhos vindos em todo o país

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
A-
Bordado de Fátima Coelho é um entre outros 500 de um painel
PUBLICADO EM 30/06/15 - 03h00

A vida tem suas tramas. Foi o que aconteceu com Fátima Coelho, pedagoga e professora nascida em uma família de bordadeiras: avó, mãe e tias. A aptidão foi deixada de lado, pois o mundo vivia a revolução feminina. Bordado era coisa de velho.

Anos mais tarde, já casada, com consultório e dois filhos, adoeceu e precisou ficar de repouso.

Uma tia pediu ajuda para bordar 50 paninhos, que se transformaram em 150, e ela não parou mais. Hoje, Fátima faz do bordado uma forma de resgate da memória afetiva, ouvindo muitas histórias e aprendendo com todas elas. Ela criou o projeto “Mãos que Bordam”, que vai expor um enorme painel que está sendo elaborado por bordadeiras de todo o país.

O grupo começou a se articular durante o 1º Seminário Nacional do Bordado, promovido pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), quando a pedagoga foi convidada a proferir uma palestra.

Com o tema “O Bordado e suas Histórias”, ela reuniu práticas e expressões artísticas feitas com agulha e linha sobre o tecido.

“Pedi que minhas alunas bordassem as mãos, com símbolos que remetessem a suas respectivas histórias de vida. Ao mesmo tempo lancei a ideia de unirmos todas as pessoas que amam o bordado, como uma forma de expressar os sentimentos e emoções por meio das mãos e estimular essa prática”, disse Fátima.

Desde que o projeto foi lançado, mais de cem bordadeiras e bordadeiros de todos os cantos do Brasil já enviaram seus trabalhos. As peças estão sendo unidas umas às outras para a construção de um painel que deve contar com pelo menos 500 bordados.

AGENDA: A exposição “Mãos que Bordam” acontece no próximo dia 4, das 9h às 18h, na Escola Brincar, à rua Urucuia, 62, Floresta. Informações: (31) 9992-6884 e (31) 3334-6884.

O que achou deste artigo?
Fechar

Projeto

Resgatando a memória afetiva através do bordado 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter