Recuperar Senha
Fechar
Entrar

SAÚDE

Vício em videogame passa a ser classificado como distúrbio mental

O documento feito pela OMS descreve o distúrbio como padrão de comportamento frequente ou persistente de vício em games, tão grave que leva "a preferir os jogos a qualquer outro interesse na vida"

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
B-C
A 11ª Classificação Internacional de Doenças (CID) irá incluir a condição sob o nome de "distúrbio de games"
PUBLICADO EM 02/01/18 - 16h45

A Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a considerar, pela primeira vez, o vício em jogos de videogame como um distúrbio mental. A 11ª Classificação Internacional de Doenças (CID) irá incluir a condição sob o nome de "distúrbio de games".

O documento feito pela OMS descreve o distúrbio como padrão de comportamento frequente ou persistente de vício em games, tão grave que leva "a preferir os jogos a qualquer outro interesse na vida".

A última versão da CID foi finalizada em 1992, e a nova versão do guia será publicada neste ano. Ele traz códigos para as doenças, sinais ou sintomas e é usada por médicos e pesquisadores para rastrear e diagnosticar uma doença.

O documento irá sugerir que comportamentos típicos dos viciados em games devem ser observados por um período de mais de 12 meses para que um diagnóstico seja feito. Mas a nova CID irá reforçar que esse período pode ser diminuído se os sintomas forem muito graves.

Os sintomas dos distúrbios incluem:

- Não ter controle de frequência, intensidade e duração com que joga videogame;
- priorizar jogar videogame a outras atividades;
- continuar ou aumentar ainda mais a frequência com que joga videogame, mesmo após ter tido consequências negativas desse hábito

O que achou deste artigo?
Fechar

SAÚDE

Vício em videogame passa a ser classificado como distúrbio mental
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (3)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter