Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Alimentação

Miúdos e molhos aumentam cristais no organismo 

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 12/01/15 - 04h00

O maior responsável pelo acúmulo de ácido úrico no organismo é o fator genético, com 90% do total. Os 10% restantes são obtidos por meio da alimentação. Evitar alguns alimentos e privilegiar outros é a chave entre ter ou não uma crise de gota.

No caso do fotógrafo Gustavo Black, ele não tinha casos na família, e sua dieta praticamente só de carnes favoreceu que ele tivesse a crise. “Um prato de comida meu era só carne – muitas vezes, mais de um tipo – e um pouquinho de arroz ou outro acompanhamento”, confessa.

Dentre as carnes, pacientes com gota devem evitar ao máximo os miúdos – coração, fígado, moela etc. “Não são recomendados, pois têm alta concentração de purinas – proteínas cujo metabolismo final é a formação de uratos. Em alta concentração, esses uratos se juntam e formam cálculos”, explica o médico nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Molhos prontos também precisam ser evitados, pois são ricos em pirinidina, que tem processamento igual ao das purinas.

Por outro lado, quem tem gota pode abusar das frutas, verduras e dos legumes. Junto com os derivados do leite, esses alimentos auxiliam na eliminação do ácido úrico do organismo. Mas Ribas Filho faz um alerta: “Água, água, água! Sem água, não adianta ingerir esses alimentos”. (RS)

O que achou deste artigo?
Fechar

Alimentação

Miúdos e molhos aumentam cristais no organismo 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter

Alimentação

Miúdos e molhos aumentam cristais no organismo 

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 12/01/15 - 04h00

O maior responsável pelo acúmulo de ácido úrico no organismo é o fator genético, com 90% do total. Os 10% restantes são obtidos por meio da alimentação. Evitar alguns alimentos e privilegiar outros é a chave entre ter ou não uma crise de gota.

No caso do fotógrafo Gustavo Black, ele não tinha casos na família, e sua dieta praticamente só de carnes favoreceu que ele tivesse a crise. “Um prato de comida meu era só carne – muitas vezes, mais de um tipo – e um pouquinho de arroz ou outro acompanhamento”, confessa.

Dentre as carnes, pacientes com gota devem evitar ao máximo os miúdos – coração, fígado, moela etc. “Não são recomendados, pois têm alta concentração de purinas – proteínas cujo metabolismo final é a formação de uratos. Em alta concentração, esses uratos se juntam e formam cálculos”, explica o médico nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Molhos prontos também precisam ser evitados, pois são ricos em pirinidina, que tem processamento igual ao das purinas.

Por outro lado, quem tem gota pode abusar das frutas, verduras e dos legumes. Junto com os derivados do leite, esses alimentos auxiliam na eliminação do ácido úrico do organismo. Mas Ribas Filho faz um alerta: “Água, água, água! Sem água, não adianta ingerir esses alimentos”. (RS)

O que achou deste artigo?
Fechar

Alimentação

Miúdos e molhos aumentam cristais no organismo 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter