O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Laudo

Explosão mata operário em aterro sanitário na 381 

Tragédia teria acontecido em função de combustão de embalagens de aerossol

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
GERAL - BETIM - MG.
Perigo. Cerca de 25 homens trabalharam para controlar as chamas
PUBLICADO EM 29/05/14 - 23h15

A uma semana do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de julho, Betim foi palco de um acidente ambiental que culminou na morte de um trabalhador. Na quinta-feira (29), um operador de retroescavadeira morreu atingido por uma explosão em um aterro sanitário às margens da BR–381.

Segundo o tenente Cristiano Soares, testemunhas relataram que Irismar Pereira dos Santos, 50, entrou no veículo com o objetivo de aterrar uma carga de aerossóis. No momento em que ele passou por cima dos frascos vazios, houve uma grande explosão. Santos morreu carbonizado. O resultado da perícia da Polícia Civil vai ser liberado em 30 dias. Há também a possibilidade de contaminação do solo.

A explosão, conforme o militar, pode ter sido resultado de uma reação química entre o gás que resta nos frascos e o gás que está acumulado no solo. Outra possibilidade é que as rodas do veículo tenham pressionado o gás, que é inflamável, causando as chamas.

Soares informou que frascos de aerossóis foram arremessados a até 200 metros do local do fato, o que iniciou outros pequenos focos de incêndio. Cerca de 25 homens trabalharam para controlar as chamas e aterrar o material para evitar novas explosões.

Um funcionário, que preferiu não ter o nome divulgado, disse que foi um momento desesperador. “Ele entrou no veículo e, de repente, explodiu”.

O aterro é de responsabilidade da empresa Essencis, que emitiu uma nota afirmando que todas as providências seriam tomadas. A prefeitura informou, também em nota, que, por se tratar de aterro de resíduo industrial privado, a fiscalização é de responsabilidade do Estado.

 

 

Outros casos
Informações obtidas pela reportagem de O Tempo Betim com funcionários da Secretaria Municipal de Meio Ambiente dão conta de que a Essencis Soluções Ambientais, empresa controlada pelos grupos Solví e Camargo Corrêa, atua na cidade desde 2001 e que esse seria o quinto acidente registrado envolvendo a unidade. 
 
Localizada na BR–381, no KM 499, a Essencis é licenciada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) desde março de 2010 para receber resíduos industriais classe I, denominados “perigosos”, que podem apresentar risco à saúde pública e ao meio ambiente. Segundo o ex-secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Ednard Barbosa, até essa época, a Essencis recebia apenas resíduos classes II A e II B, considerados não perigosos. 
 
Ainda de acordo com Barbosa, desde 2012, quando o aterro sanitário do Citrolândia, também em Betim, foi fechado pela ex-prefeita MDC, todo o lixo doméstico do município que antes era despejado nele passou a ser depositado no terreno da Essencis. 

O que achou deste artigo?
Fechar

Laudo

Explosão mata operário em aterro sanitário na 381 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter