O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Reforma Política

Maioria dos vereadores aprova fim das coligações

Proposta, que foi votada pelo Congresso Nacional, extingue a possibilidade de partidos se juntarem em uma mesma chapa para a disputa da eleição proporcional em 2020

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Aprovação
Dos vereadores ouvidos pela reportagem, maioria aprovou fim das coligações proporcionais
PUBLICADO EM 09/11/17 - 19h31

A maioria dos vereadores da cidade ouvidos pela reportagem de O Tempo Betim aprovou a proposta votada pelo Congresso Nacional que extinguiu as coligações partidárias para as eleições proporcionais (vereadores e deputados) a partir de 2020. A medida é um dos pontos da reforma política aprovada, em Brasília, no mês passado.

Pela regra que acaba com as coligações partidárias em eleições proporcionais, os partidos não poderão mais se juntar em uma mesma chapa para a disputa das vagas para deputados e vereadores. Para 2018, essas coligações estão liberadas.

A intenção do Congresso foi acabar com o chamado “efeito Tiririca”, quando um candidato obtém uma votação muito expressiva e acaba levando consigo outros da mesma coligação que tiveram votação reduzida. Essa figura também é conhecida como “puxador de votos”. Em 2014, o deputado federal Tiririca (PR-SP), reeleito com mais de 1 milhão de votos, “puxou” mais cinco candidatos para a Câmara.

Pela redação original, as coligações ficam proibidas. No entanto, as legendas só poderiam se unir para formar as chamadas federações, que são grupo de partidos que se uniriam por “afinidade ideológica e programática”, e ficariam obrigadas a atuar de maneira conjunta nos Legislativos durante todo o mandato eletivo.

Para alguns vereadores da cidade, a medida é benéfica. O presidente do Legislativo local, Léo Contador (DEM), acredita que isso vai fortalecer os partidos. “As legendas precisarão ter mais organização na hora de escolher seus candidatos. Isso irá fortalecer a ideologia dos partidos em vez de algum candidato específico”, analisa.

O vereador Klebinho Rezende (PSD) concorda. “Eu sou favorável. Acho que é positivo porque ajudará mais pessoas que têm a mesma ideologia a ingressarem no partido, pois muitas vezes as coligações são formadas por partidos com tendências totalmente diferentes”, completou.

Daniel Costa (PT) também é favorável. “Hoje, o sistema brasileiro tem muitos partidos que, acabam, às vezes, servindo apenas para completar uma chapa na coligação. Acho que essa medida vai inibir muitas legendas de aluguéis, que acabam até se coligando com outros partidos que possuem ideologia contrárias”, ponderou.

Já o vereador Tiago Santana (PCdoB) se mostrou contrário à mudança. “Para mim, essa medida vai dificultar a presença das minorias nas Casas Legislativas. Por isso é que sou contra, pois vai prejudicar que pessoas com pensamentos contrários à grande maioria possam conseguir se eleger”, rebateu.

Para Layon Silva (PHS), a questão é mais complexa. “Aredito que irá dificultar um pouco a formação das chapas, de encontrar pessoas mais capacitadas. Porém, isso deve contribuir para selecionar melhor os candidatos”, destacou o vereador.
 

O que achou deste artigo?
Fechar

Reforma Política

Maioria dos vereadores aprova fim das coligações
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter