O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Revitalização

Prefeitura reassume gestão do Ceabe e dá início a obras

Mercado Central de Betim será reinaugurado no próximo dia 27 depois de passar por uma reforma que deixará o local “um ponto de encontro dos betinenses”

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
1
Ceabe está passando por obras de revitalização desde o dia 2, após prefeitura reassumir gestão

Veja Também

PUBLICADO EM 11/01/18 - 20h43

A prefeitura reassumiu, no último dia 2, a gestão do Mercado Central de Betim, mais conhecido como Ceabe. Desde então, o local, que enfrentava uma acentuada decadência com problemas de drogas, prostituição e precarização, passa nesse mês de janeiro, por intervenções visando a repaginação do seu aspecto visual e melhorias de funcionamento. A reinauguração do Ceabe está prevista para o próximo dia 27.

A decisão de reassumir o local foi tomada pela prefeitura para cumprir um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público (MP) em 2011, mas que não foi cumprido pelas administrações passadas e assumido só agora pelo atual prefeito. O MP denunciou irregularidades que deixavam o funcionamento prejudicial à segurança. Isso porque a Associação dos Vendedores Ambulantes de Betim (Assovamb) administrava o local desde 2005 sem atendimento de regras contratuais, ainda sem nenhuma licitação para a escolha dos comerciantes que ocupavam o espaço.

“Apesar de explorar o serviço de estacionamento do Ceabe e a locação das lojas, a associação não repassava nenhum recurso para o município. Também era ilegal o fato de os comerciantes não terem sido selecionados através de um processo legal. O Ministério Público firmou um TAC com o município em 2011 dando prazo à prefeitura para regularizar a situação, mas Maria do Carmo antes, e Carlaile Pedrosa em seguida, não tomaram providência”, afirmou o procurador-geral do município e secretário de Governo, Bruno Cypriano.

No TAC do MP, a prefeitura tinha duas opções: assumir a gestão do local ou estabelecer um contrato de concessão pública com gerenciamento privado. Chegou a ser feita uma licitação para realizar essa concessão, mas o processo não se concluiu. Em 2015, renovou-se o convênio com a antiga associação contrariando o TAC. “Agora, com o fim do convênio assinado em 2015, a administração municipal decidiu reassumir a gestão, pois a associação dos comerciantes não conseguiu deixar  o Ceabe dentro dos parâmetros de sustentabilidade e eficiência”, ressaltou Cypriano.

O objetivo  do governo municipal agora é que o Mercado Central de Betim, que existe há 37 anos, volte a ser referência na cidade. “Estamos repaginando e reformando o Ceabe para resgatá-lo como ponto de encontro da população de Betim. Vamos, nos próximos dias, entregar para a população um Ceabe totalmente reestruturado”, declarou o prefeito  Medioli.

Desde o dia 2, foram iniciadas várias ações, como a demolição de equipamentos mal utilizados, cercamento e ampliação do estacionamento, limpeza e retirada de entulhos e adequação do espaço para os camelôs e feirantes, que após a reinauguração, irão compor mais uma unidade da Feira Bem Popular que funcionará no local.

A partir de agora, o espaço será administrado pela Secretaria de Governo. O cargo de direção do mercado caberá ao servidor efetivo Edson Silva Batista.

Revitalização

Ainda, segundo Cypriano, o espaço externo e interno do Mercado Central está sendo reformado e na parte externa revisto o aspecto paisagístico, coordenado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, pela Empresa de Construções, Obras, Serviços, Projetos, Transporte e Trânsito de Betim (Ecos) e pela Secretaria Municipal de Governo.

Outra mudança será a padronização de normas operacionais que os comerciantes terão que adotar em seus estabelecimentos, que seguirão as orientações da Vigilância Sanitária.

O estacionamento também sofrerá mudança. O espaço que hoje abriga 175 vagas, vai passar a oferecer cerca de 250. O preço cobrado para estacionar, que era de R$ 6 a hora, cairá para R$ 5 a hora, a partir da reinauguração.

Os moradores de rua, que estavam abrigados no entorno do Mercado Central de Betim, receberam o acompanhamento da Secretaria Municipal de Assistência Social e foram encaminhados para o Centro Pop, para serem inseridos em abrigos ou no programa Aluguel Social.

Mix de lojas

Conforme decreto publicado pela prefeitura no “Órgão Oficial” do município, os comerciantes do antigo Ceabe vão permanecer no local por oito meses até que seja realizada uma licitação. De acordo com o secretário de Governo, Bruno Cypriano, o objetivo da prefeitura é reformular o mix de lojas para atender melhor às necessidades dos betinenses.

“Queremos oferecer opções que atendam às necessidades dos frequentadores do mercado, como padaria, casa lotérica, lojas de artesanatos e queijarias. Por isso, vamos rever todo o mix de lojas, além de disponibilizarmos alguns serviços da prefeitura no espaço, que terá comerciantes autorizados e credenciados, exercendo as suas atividades dentro da lei”, adiantou Cypriano.

Com a reinauguração, também haverá um posto da Guarda Municipal permanentemente no local.
“Nossa intenção é fazer com que as famílias betinenses voltem a frequentar o Mercado Central de Betim, que perdeu esse público por problemas sérios, como prostituição, tráfico de drogas e até a degradação do ambiente. Por isso, além da revitalização, estamos levando para o local um posto permanente da Guarda Municipal. Nosso objetivo é transformar o antigo Ceabe em um ponto turístico da cidade, assim como é em Belo Horizonte”, ressaltou Cypriano.

O que achou deste artigo?
Fechar

Revitalização

Prefeitura reassume gestão do Ceabe e dá início a obras
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter