Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Editorial

Um mês sem Marielle

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 16/04/18 - 03h00

Os assassinatos no Rio de Janeiro da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes completaram um mês sem que as autoridades avançassem nas investigações, não obstante as pressões da sociedade.

No Brasil e no exterior, multiplicam-se as manifestações pedindo a elucidação do crime. A cada dia que passa sem que sejam identificados os culpados, aumentam os riscos para os que defendem os direitos humanos no Brasil. 

Entre os dias 3 e 11 de maio, na República Dominicana, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA realizará uma audiência pública sobre o caso. A Anistia Internacional também acompanha a situação e pede prioridade na investigação. 

Ao contrário de outros assassinatos, que acabaram esquecidos, esses não deverão passar em branco. O crime pode ter relação com outras mortes e é nessa direção que as investigações poderão caminhar.

Nos últimos dias, apareceram algumas pistas. Uma emissora de televisão reconstituiu o trajeto do carro usado no crime desde que ele foi roubado. Dois homens apareceram mortos por cápsulas iguais às que mataram Marielle e Anderson.

Um deles era líder comunitário, ligado a um vereador, e outro, um PM reformado, que foi assassinado em seu carro, um BMW blindado. 

Aos poucos, vão se descortinando as facetas da miséria brasileira. Menores sem instrução e emprego são recrutados para trabalhar para os traficantes de drogas, e adultos mal-empregados e mal pagos, pelas milícias. 

Na semana passada, 150 pessoas foram presas em uma festa promovida por uma milícia denominada de Liga da Justiça. Os que resistiram à prisão morreram. Com eles foram encontrados dez carros roubados, armas e drogas.

As milícias estão a exigir um estudo aprofundado. Elas interferem na vida de 2 milhões de pessoas, vendendo segurança, transporte, gás e até TV a cabo. São formadas por policiais e bombeiros da ativa e desligados das corporações. 

O que achou deste artigo?
Fechar

Um mês sem Marielle
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter