Recuperar Senha
Fechar
Entrar

João Vitor Cirilo

Positivas impressões sobre o Mineiro de vôlei

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 13/09/17 - 03h00

Nas últimas semanas, venho tendo a oportunidade de acompanhar, à beira da quadra, as primeiras partidas do Campeonato Mineiro masculino de vôlei, que tem transmissão online pelos canais oficiais de O TEMPO. Nossa equipe, costumeiramente formada pelo narrador Jorge Luiz, pelo comentarista e repórter Daniel Ottoni e por este que vos escreve — além de convidados e da ótima participação da competente repórter Lohanna Lima na última sexta —, tem viajado para todos os jogos, o que nos dá a possibilidade de uma melhor avaliação sobre o que tem acontecido. As conclusões, de um modo geral, são positivas.

Quem mais jogou, e venceu todas as cinco vezes, é o Sada Cruzeiro, que intensifica seu ritmo de preparação visando o que mais lhe interessa no ano: a Superliga, já em outubro, e o Mundial, em dezembro. O Sada adequou seu calendário com jogos seguidos para poder ir à Argentina ainda neste mês de ajustes, mas antes, faz amistoso hoje com o Bolívar e, na sexta, fecha a primeira fase contra o Minas.

Jogar consecutivamente tem sido importante para os celestes, que conseguirão acelerar a chegada do ritmo de jogo ideal e, além disso, se aproximar do entrosamento entre os atacantes e o levantador Nico Uriarte. É difícil cobrar paciência do torcedor, que se acostumou a ver o “mago” William comandando brilhantemente a armação nesta década, mas creio que o caminho de evolução será natural com a qualidade de Nico.

Montes Claros, por sua vez, tem mostrado bons valores. O time mudou sua estrutura quase que totalmente e não tem na formação titular nenhum remanescente da última temporada. Pelo que pudemos perceber no segundo jogo contra o Sada Cruzeiro, com o grupo completo, as perspectivas de bom desempenho são interessantes. Sandro é ótimo levantador e terá Lorena, ídolo do MOC, como principal atacante. A presença de Alan como líbero também é importante.

Já o Minas só esteve em quadra uma vez, contra o Sada, e mostrou que pode incomodar os times de maior investimento. Basta ver as parciais de 29/27 e 35/33 no 3 a 0 para o Cruzeiro, e a vitória em amistoso contra o argentino Bolívar, na segunda. Ter Marlon como levantador e referência é um ganho especial em um time que segue apostando em jovens de muito potencial, como o oposto Felipe Roque, o ponta Bisset e o central Flávio. Além disso, o ótimo treinador Nery Tambeiro apresentou as credenciais de um novo cubano, o central/oposto Elian, de apenas 17 anos e mais de 2 metros, e que será desenvolvido em longo prazo nos próximos anos.

O JF Vôlei de Henrique Furtado terá mais trabalho neste ano, apesar da fórmula da utilização dos bons valores da base do Sada Cruzeiro seguir. A diferença é que o número de jogadores com maior rodagem caiu ainda mais. Juiz de Fora estreou com duas derrotas para o Cruzeiro em três sets, mas com alguns momentos de equilíbrio. O oposto venezuelano Emerson Rodriguez e o ponta Leozinho certamente serão boas referências em quadra. Vejamos hoje, em Montes Claros, no duelo entre o MOC e o JF, também com transmissão a partir de 19h30 no Twitter, Facebook, YouTube e portal de O TEMPO

O que achou deste artigo?
Fechar

Positivas impressões sobre o Mineiro de vôlei
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter