Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Minas S/A

BH Airport

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM Mon Dec 18 03:00:00 BRST 2017

FOTO: Edy Fernandes

Durante almoço-palestra do Conexão Empresarial, evento que reúne empresários e políticos na VB Comunicação, em Nova Lima, da esquerda para a direita: Ricardo Rodrigues; Fabiano Abrão; presidente da BH Airport, Adriano Pinho; Carlos Conrado; Jair Aguiar Neto; e Diogo Paixão.

Manutenção

Mesmo com o embate judicial, o investimento da BH Airport em Confins está mantido. “No ano que vem, estão previstos mais R$ 110 milhões. No total, serão R$ 3,5 bilhões nos 30 anos de concessão”, informou Adriano Pinho. O executivo espera que o bom senso impere. “Não é razoável ter competição de dois aeroportos diminuindo a demanda e diminuindo o serviço”, disse. Sobre a Infraero, Pinho espera que não haja conflito de interesse nem competição predatória. “É bastante conflituoso imaginar que seu conselheiro (Infraero) esteja ao mesmo tempo dando opiniões sobre o desenvolvimento do Aeroporto Internacional de BH (Confins) e fazendo competição na Pampulha”, ponderou o executivo.

Consulado da Itália

A cônsul da Itália em Minas Gerais, Aurora Russi, está se despedindo. Em junho de 2018, quando completar quatro anos de mandato no consulado, Aurora retornará a Roma com resultados positivos, como o fim da lista de espera de 15 mil pessoas. É que quando chegou a Belo Horizonte, Aurora tinha uma lista de espera para adquirir cidadania italiana que se acumulava desde 2001. Neste momento, a lista está nos pedidos de 2012, e quando for a hora da partida, Aurora terá acabado com a lista de espera para brasileiros de origem italiana tirarem a cidadania. “A cada ano fazemos de mil a 1.500 cidadanias, e a cada ano fazemos cerca de 2.500 passaportes”, contou Aurora.

FOTO: arquivo pessoal

Fotógrafo do JORNAL O TEMPO Edy Fernandes recebeu homenagem da cônsul da Itália em Minas Gerais, Aurora Russi.

Reconhecimento

Para Modesto Araujo, o crédito desse reconhecimento vai para os mais de 7.000 colaboradores da drogaria que encantam os clientes todos os dias e fazem da Araujo essa empresa de sucesso. “Liderar essa equipe maravilhosa é um privilégio. Foi o time Araujo que me tornou o líder que sou hoje. E, somente juntos, podemos continuar crescendo e fazendo uma Araujo melhor a cada dia”, comentou. Aos 111 anos, a Drogaria Araujo não para de crescer, e, em 2017, foram mais de 57 lojas entre inaugurações, reformas e ampliações. 

FOTO: Edy Fernandes

Na festa dos 82 anos do Minas Tênis, em BH, o superintendente da Caixa Econômica, Janio Antunes; e o superintendente executivo do Minas, Geraldo Pedrosa.

FOTO: Edy Fernandes

Nas comemorações dos 50 anos da Tracbel, em BH, Gustavo Horta; Luiz Gonzaga Magalhães; Paulo Brasil; e o presidente da companhia, Luiz Gustavo Magalhães.

BH Airport

Além de ter entrado com um mandado de segurança com pedido de liminar no Superior Tribunal de Justiça pedindo a nulidade da portaria do Ministério dos Transportes que permite a reativação do aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, o presidente da BH Airport – concessionária que administra o aeroporto de Confins –, Adriano Pinho, tem outra ofensiva. “Nós ainda podemos ingressar na Justiça comum com uma ação ordinária. Temos uma série de argumentos e estudos técnicos que vão ser utilizados”, contou, depois de fazer palestra na VB Comunicação para um público de empresários e políticos. Terceiro maior aeroporto do país, Confins já recebeu investimentos da BH Airport da ordem de R$ 1 bilhão. “Em três anos de operação, desde o início da concessão, pagamos R$ 22,2 milhões em impostos”, calculou Pinho.

Dinheiro do BNDES

Adriano Pinho está preocupado com o financiamento de curto prazo que vence em 15 de janeiro de 2018. “Caso não seja postergado, isso vai exigir dos acionistas um aporte de capital para cobertura desse buraco no caixa. A expectativa que a gente tinha de assinatura em final de novembro e meados de dezembro, foi suspensa pelo BNDES. O impacto é muito grande”, disse. Para Pinho, obviamente o BNDES vai analisar o plano de negócios, os impactos e os cenários feitos pela BH Airport. “Dependendo da situação, ele (BNDES) poderá, num primeiro momento, postergar o empréstimo- ponte e reavaliar o empréstimo de longo prazo. Mas o impacto já aconteceu, e não teremos isso em janeiro”, informou, referindo-se ao vencimento de R$ 420 milhões e a tomada futura de R$ 507 milhões. 

Minas e Itália

Aurora Russi contou que viveu uma época especial do Brasil, com vários acontecimentos, e deu para ver o quanto Minas é importante no equilíbrio do Brasil e das relações entre o país e a Itália. “Foi muito positivo o tempo que passei por aqui, fui muito bem acolhida”, contou Aurora. No consulado da Itália em Minas Gerais, são 13 funcionários e um público de cerca de 28 mil pessoas. No Brasil, são sete consulados da Itália, e Minas Gerais tem um deles. 

Drogaria Araujo

FOTO: Kazuo Kajihara/divulgacão

Único representante de Minas Gerais homenageado, o presidente da Drogaria Araujo, Modesto Araujo, foi um dos escolhidos no prêmio Líderes do Brasil – categoria Minas Gerais. A diretora administrativa da Drogaria Araujo, Silvia Araujo, recebeu a premiação em nome de seu pai. Realizado pelo Lide – Grupo de Líderes Empresariais, o evento é o maior do país e reconhece os principais gestores em diversos setores que contribuem para impulsionar a economia nacional.

Caixa Econômica Federal

Durante o aniversário dos 82 anos do Minas Tênis Clube, o economista Janio Antunes contou à coluna que, no dia do seu batizado, teve como padrinho nada menos do que Jânio Quadros, que estava em pleno processo de corrida ao Palácio do Planalto, mas deixou a campanha de lado durante um dia para ser seu padrinho de batismo. Filho de Chico Antunes, renomado jornalista mineiro durante décadas, Janio é superintendente regional da Caixa Econômica Federal e está animado diante dos resultados que a instituição financeira tem apresentado em Minas Gerais e no Brasil entre a liberação de recursos para obras e empréstimos a consumidores e a grandes empresas, além da carteira de grandes investidores.

Tracbel aos 50 anos

Presidente de uma das maiores distribuidoras de equipamentos industriais e agrícolas do país – o grupo mineiro Tracbel –, Luiz Gustavo Pereira prevê uma alta de 10% nos negócios em 2018, principalmente em função do crescimento do setor de mineração, de agronegócios e de papel e celulose. A Tracbel, que completou 50 anos, emprega, atualmente, 500 funcionários e tem faturamento anual de R$ 550 milhões. Com atuação em todo o Brasil por meio de 16 unidades, Pereira vai expandir o tamanho da empresa com a abertura de mais duas lojas – uma em Itaituba, no Pará, e outra em Boa Vista, em Roraima. 

O que achou deste artigo?
Fechar

BH Airport
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter