Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Silvana Mascagna

Sai desse corpo!

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
0
PUBLICADO EM 03/08/16 - 03h00

A modelo tira foto de uma mulher tomando banho na academia e ridiculariza o corpo dela nas redes sociais. Com a repercussão negativa de seu ato, perde o emprego e vem a público pedir desculpas e dizer: “Aquela não sou eu”.

O médico posta na internet uma foto com um cartaz dizendo “não existe peleumonia e nem raôxis”, debochando da forma como um paciente humilde se expressou durante uma consulta com ele. É afastado do emprego, pede desculpas públicas e diz: “Aquele não sou eu”.

O que me faz questionar: será que existe algum espírito maligno que se apodera do corpo e da mente das pessoas, obrigando-as a fazer algo que elas abominam veementemente? Sim, porque, como ninguém é machista, misógino, racista ou homofóbico, só um fenômeno espiritual poderia levá-las a cometer atos tão asquerosos. Afinal, em condições normais de temperatura e pressão, argumentam, elas jamais fariam isso.

A emoção do momento, por exemplo, parece ter traído a torcedora do Grêmio que chamou o goleiro Aranha de “macaco”, há dois anos. “Eu não sou racista... Foi no calor do jogo”, jurou ela, depois de o caso ganhar repercussão nacional.

No caso de MC Biel, o “espírito maligno” atuou “jocosamente”, já que chamar uma repórter durante uma entrevista de “gostosinha” e dizer que a “quebraria no meio” caso mantivessem relações sexuais não foi assédio sexual, mas “brincadeira de menino”, segundo o próprio. Só depois de perder contratos que somariam R$ 1 milhão, ele percebeu que não deveria “ter brincado com um assunto sério”. Naquele momento, ele até afirmou que a forma como agiu não foi a educação que seus pais lhe deram e que o “Biel que deu aquela entrevista não é o Biel que vai continuar daqui pra frente”.

Só que o caso do MC parece ser de exorcismo mesmo, já que o espírito maligno insiste em se apoderar daquele corpo. Há alguns dias, ele usou as expressões “gostosinha” e “se te pego, te quebro no meio” numa música durante um show. Depois, durante uma entrevista, disse que, se encontrasse a repórter que o acusou de assédio sexual, a deixaria “ciente do quanto ela prejudicou” sua carreira.

Então, um alerta: você que não é racista, homofóbico, misógino, machista, você que não contribui para a cultura do estupro, cuidado! Um espírito maligno pode se apoderar do seu corpo a qualquer momento e te transformar num racista, machista, misógino, homofóbico... Já pensou, você dá azar e fica igual o Biel, possuído para sempre?

O que achou deste artigo?
Fechar

Sai desse corpo!
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter