Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Thiago Nogueira

As brechas que restam pra salvar Primeira Liga

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM Fri Oct 06 03:00:00 BRT 2017

Os presidentes dos clubes que integram a Primeira Liga vão se reunir nos próximos dias para tratar do futuro do torneio e escolher um novo presidente. De saída do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares não poderá mais ser o mandatário da entidade criada para peitar a CBF, mas que acabou batendo cabeça na fórmula de disputa, transformando uma revolução em sucessivas críticas e piadinhas.

Mas esse nem é o assunto mais importante da pauta, e, sim, o futuro da competição, que está diretamente relacionado aos “buracos” nas datas da temporada e à relação com a TV, que compra os direitos de transmissão. A CBF acabou de divulgar o calendário de 2018, ainda mais apertado por causa da Copa do Mundo, ignorando novamente a Primeira Liga (nem a cita). A pré-temporada, que deveria acontecer toda ela em janeiro, num período de 30 dias, foi reduzida pela metade. Os Estaduais estão marcados para começar no dia 17. O Campeonato Mineiro, que usa 15 das 18 datas separadas, pode começar um pouco depois. A tabela ainda não foi divulgada.

Encaixe

O plano A da liga é realizar a competição justamente na parada da Copa, que começa dois dias depois da 12ª rodada do Brasileirão. Bem, se um Mundial cabe em 30 dias, porque um torneio regional não caberia? O intervalo entre um jogo e outro de Copa é menor do que o habitual e o máximo de jogos que uma equipe faz são sete (campeão e vice). Na Primeira Liga deste ano, os dirigentes arranjaram seis datas ao longo do ano, usando, inclusive as paradas das Eliminatórias.

Atropelos

Dezesseis equipes estiveram na disputa da Primeira Liga deste ano, incluindo clubes da Série B, como o América e o campeão Londrina. Para 2018, o que pega é que a CBF pediu e a Fifa atendeu à solicitação de não interromper os Brasileiros das Séries B, C e D. E aí? Vamos ter novamente dois jogos de um mesmo time marcado para um dia seguinte ao outro ou mesmo no mesmo dia, como coincidiu neste ano? Eis mais um problema para colocar o torneio na parada da Copa. 

Sem parada

Para o ano que vem, há dez datas Fifa no calendário, fora o período de Copa do Mundo, mas, diferentemente das paradas para as Eliminatórias, esses dias reservados para jogos de seleções se dão para partidas amistosas – quatro antes do Mundial e seis depois do Mundial – e não interrompem o Campeonato Brasileiro. Assim, caso um jogador de uma equipe do país seja convocado, é provável que ele desfalque seu time, já que tem que se apresentar antes.

FOTO: Primeira Liga/divulgação

Pausa

Tradicionalmente, as paradas de Copa são chamadas de intertemporadas, justamente por aproveitar o período sem jogos para equilibrar o desgaste – mesmo que o aspecto fisiológico, ultimamente, seja praticamente ignorado pelos dirigentes, mesmo com o alerta dos especialistas. O período também é bom para fazer caixa, com excursões ao exterior. Em 2013 e 2014, o Cruzeiro foi para os Estados Unidos. Em 2014, o Atlético viajou para a China.

Televisão

Para discutir calendário e achar data para disputar a competição, a Primeira Liga precisa sentar, sobretudo, com a televisão, que é quem paga os direitos de transmissão. Neste ano, a TV investiu R$ 23 milhões, além de bancar as despesas de transporte, translado e hospedagem. O que pega é que os executivos de televisão não gostaram da decisão da maioria dos clubes de poupar jogadores ou escalar times reservas, o que deprecia o produto.

O que achou deste artigo?
Fechar

As brechas que restam pra salvar Primeira Liga
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter