Recuperar Senha
Fechar
Entrar

MÚSICA

Clássicos de Israel para BH

Orquestra Jovem de Israel estreia turnê brasileira em BH, o programa do concerto conta com clássicos de Brahms e surpresas

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
fdvfd
Orquestra de jovens do mundo todo se prepara para compor a Filarmônica de Israel
PUBLICADO EM 10/11/17 - 14h40
Belo Horizonte foi a cidade escolhida pela Orquestra Filarmônica Jovem de Israel para dar início à nova turnê pelo Brasil – a apresentação será neste domingo (12), na Sala Minas Gerais. O grupo, vale lembrar, é composto por estudantes da Buchmann-Metha School of Music, vinculada à Filarmônica de Israel. Depois da capital mineira, a agenda segue por cidades como Curitiba, São Paulo e Rio Preto.
 
O programa contempla duas peças de Johannes Brahms, a Sinfonia n° 3 e o Concerto para Violinos Op. 77. O maestro Eyal Ein-Habar lembra que a apresentação é educativa. “Por isso, temos que equilibrar as necessidades técnicas e emocionais dos alunos com a expectativa do público. E Brahms é querido tanto pelos intérpretes quanto pela audiência”, afirma ele, que é coordenador da escola e primeira flauta da Filarmônica de Israel. 
 
A turnê convida, como solista, o violinista Guy Braunstein, em cujo currículo consta participações em apresentações das filarmônicas de Zurique e Israel. Não bastasse, foi o mais jovem primeiro violinista da Filarmônica de Berlim. “Para os alunos, é excelente poder estar ao lado de um músico do nível de excelência de Braunstein. Isso os ajuda a se manterem na direção certa”, destaca Ein-Habar.
O maestro também revela, de forma bem-humorada, um dos grandes desafios da turnê. “Os jovens querem se divertir, e estão em um país diferente, em uma nova cultura, com festas e distrações… Queremos que se divirtam, mas é preciso que estejam afinados, em seu melhor”, brinca. 
 
Mas sim, a passagem pelo Brasil reserva um compromisso que mescla diversão e didatismo. A Buchmann-Metha programa visitar a sede de uma escola de samba paulista, quando se apresentará para as baterias e, em troca, poderá conferir, in loco, o mais emblemático gênero musical brasileiro.
 
Bolsas
 
Como a Orquestra Jovem foi criada com o intuito de preparar músicos para a Filarmônica de Israel, o regente lembra que os alunos precisam atingir um nível de excelência, “mas sem perder a empolgação e o desejo de tocar”. “Procuramos equilibrar técnica e emoção na formação”, explica. 
 
Por conta de um programa de bolsas direcionadas a jovens talentos de todo o mundo, a orquestra abriga, hoje, cinco brasileiros – que, aliás, estão na atual turnê.
 
É o caso de Rudá Alves. O estudante de violino possui mestrado pela Universidade de Tel Aviv e atualmente completa a graduação em Diploma Artístico – espécie de pós-graduação – na Buchmann-Metha. “Tive – e tenho – colegas dos mais variados países, como nossos vizinhos Argentina, Chile e Uruguai, ou europeus, como Alemanha, Espanha, Itália e Finlândia. Ou mesmo mais distantes, como China, Japão, Myanmar. A lista não acaba aqui, o que comprova a universalidade da música”, diz Rudá.
 
 
Orquestra Jovem de Israel
Concerto com peças de Brahms. Sala Minas Gerais (r. Tenente Brito Melo, 1.090). Neste domingo (12), às 20h30. A partir de R$ 25 (terraço, inteira)
 
(*) Sob a supervisão de Patrícia Cassese
 

 

O que achou deste artigo?
Fechar

MÚSICA

Clássicos de Israel para BH
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter