Recuperar Senha
Fechar
Entrar

MÚSICA

O ‘balzaquiano Bazar’ de Tutti

O apresentador de rádio leva seu programa par o palco para celebrar 30 anos de estrada, formato trará artistas e histórias de todos esses anos

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
TUT
O Bazar Maravilha entrou no ar em 1983, mas foi suspenso em 1987, retornando em 1991
PUBLICADO EM 10/11/17 - 15h23
Resiste: é com esse verbo que o apresentador Tutti Maravilha, 67, explica a longevidade de seu programa “Bazar Maravilha”, que completou este ano 30 anos no ar, pela rádio Inconfidência FM (100,9 MHz). “Durante esse tempo, a música brasileira mudou muito, foi uma resistência mesmo sobreviver às enxurradas de música da moda. Mas eu tento colocar a boa música brasileira no ar diariamente, divulgar e lançar uma galera boa. Acho que é isso que segura. Além, claro, do bom humor”, comenta Tutti.
 
É para comemorar essa trajetória bem-sucedida que ele realiza uma versão com plateia do programa na próxima terça (14), o “Bazar Maravilha 30 anos”, no Sesc Palladium. No palco, Tutti contará histórias de todos esses anos de programa e receberá artistas que fazem parte dessa trajetória. Estarão lá Ana Cristina, Babaya, Carona Brasil, Cobra Coral, Célio Balona, Chico Lobo, Jairo de Lara, Lô Borges, Mauricio Tizumba, Marcos Frederico, Marina Machado, Roger Deff, Thiago Delegado, Tianastácia, Túlio Mourão e Zé da Guiomar.
 
“São artistas da cidade que têm relação forte com o Bazar, que lançamos aqui no programa, que desde o início nos deram o prazer de lançar seus discos. Foi difícil fazer essa seleção”, diz, adiantando que também haverá uma surpresa. 
 
Cada um dos convidados vai tocar uma música e conversar um pouco com o apresentador. O Bazar será transmitido ao vivo pela primeira vez à noite pela rádio Inconfidência – o programa de Duda Ramos, “A Noite Vai Ser Boa”, que é transmitido no horário, vai ao ar excepcionalmente das 14h às 16h, horário de Tutti.
 
O radialista comemora a possibilidade do encontro com seu público, de quem se considera íntimo, mas que nem sempre conhece seu rosto. “O ouvinte é muito parceiro, mas eu só os conheço pelo telefone. Tem gente que eu nunca vi, mas nos tratamos como amigos íntimos. Já ajudei a juntar casais que hoje têm filhos que me ouvem, mas muita gente ainda se surpreende ao ouvir minha voz na rua, não sabe quem eu sou. É bom ter essas oportunidades de encontro”, afirma.
 
Ao final, Tutti ainda receberá um presente: a marchinha “Balzaquiano Bazar”, que Thiago Delegado e Marcos Frederico fizeram para ele, será tocada, com direito a letra para a plateia acompanhar.
 
O passar do tempo tem feito bem ao Bazar, como observa Tutti. “Eu ouço os programas antigos e fico nossa, como eu falava desse jeito. Mas a prática vai tornando as coisas melhores e tento aprender com os erros”, afirma o apresentador.
 
Além disso, existe uma rotina bem delineada pra que tudo corra da melhor forma. “Como é diário e ao vivo, eu começo a viver o programa um dia antes, buscando o que vai estar acontecendo na cidade no dia seguinte e faço a programação em cima desse tema. Mas às vezes está tudo prontinho às 13h30 e eu resolvo mudar tudo, porque descubro outra música ou outro convidado que funcionaria melhor. O Bazar está vivo o tempo inteiro, é quase uma crônica diária do rádio”, comenta. 
 
Bazar Maravilha 30 anos
Sesc Palladium (r. Rio de Janeiro, 1.046, centro, 3270-8100). Dia 14 (terça), às 20h. Ingressos esgotados

O que achou deste artigo?
Fechar

MÚSICA

O ‘balzaquiano Bazar’ de Tutti
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter