Recuperar Senha
Fechar
Entrar

LITERATURA

Orquestra pelo traço de Ziraldo

Orquestra Ouro Preto, Ziraldo e Mig reúnem-se em publicação para contar a história de Bia, uma menina que reconhece o mundo pelos sons, concerto no dia 14 marca o lançamento

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
jhkhf
No dia do lançamento, a Orquestra Ouro Preto também apresentará o show “The Beatles”
PUBLICADO EM 06/10/17 - 15h38
Algumas histórias familiares contam que, quando criança, o maestro Rodrigo Toffolo (atual regente da Orquestra Ouro Preto) colocou uma panela na cabeça e jurou ser um personagem de Ziraldo. 
Se, na infância, viver nas páginas do cartunista era um sonho, na vida adulta Toffolo pôde estreitar os laços com o ídolo. Agora, ele divide com Ziraldo e com o desenhista Miguel Mendes (Mig) a assinatura de um livro infanto-juvenil, o seu primeiro.
 
Com lançamento marcado para o próximo sábado (14), inclusive com a presença de Ziraldo e Mig, “Amiga Música” é a primeira empreitada literária promovida pela Orquestra Ouro Preto. O livro conta a história de Bia, uma menina apaixonada por música que aprende, aos bocados, a importância dos sons para a vida. A criação da obra é uma das iniciativas do grupo com o objetivo de ensinar música por meio de uma literatura leve e didática. “Nos espetáculos cênicos, nós temos esse cuidado de formação do público e o livro é outra oportunidade para isso”, diz o maestro. 
 
Toffolo inspirou-se no modo como a música mergulha no universo das crianças e na necessidade de oferecer explicações simplificadas à teoria musical. “A Bia vai interagindo com a música e percebe que a vida de todos está rodeada de sons. Nós estamos rodeados de símbolos musicais que as pessoas sequer conhecem. O mais famoso é a hashtag que, na verdade, é o sustenido. Muita criança acha até que foi inventado agora, mas usamos há uns 300 anos na música”, diz. 
 
Para ele, o livro sobrepõe o entretenimento e mantém uma função educativa. Em determinado ponto da narrativa, por exemplo, um mapa conta a história de compositores de todo o mundo e aponta a necessidade de enxergar a composição clássica fora da Europa. “O mapa é sem fronteiras. Quis trazer compositoras mulheres importantes, compositores da Ásia e da África”, exemplifica.
 
Traços ‘maluquinhos’
 
Trinta e sete anos depois da primeira publicação de “O Menino Maluquinho”, Ziraldo e Mig mantêm os traços característicos dos personagens da história em outras produções. Foi esta a razão que motivou a escolha da Orquestra pelos ilustradores. Feito o convite, eles elaboraram os personagens a partir das ideias de Toffolo. “A base foi ele quem criou, mas o maestro queria que também fosse um livro do Ziraldo, com o estilo do Ziraldo”, explica Mig. 
 
A paixão de Bia pelos sons e pela música despertou a atenção de Mig para a importância da canção na vida das pessoas. “Cada vez que eu a desenhava, ela estava mais crescida. Isso foi feito de um modo cuidadoso para convencer o leitor a entender a música como uma parceira para a vida. A leitura do livro não vai transformar crianças em músicos profissionais, mas vai ensinar sobre esta arte que sempre melhora quem você é”, defende.
 
 
Lançamento do livro “Amiga Música”
Sesc Palladium (av. Augusto de Lima, 420, centro). Dia 14 (sábado), às 18h, noite de autógrafos com Rodrigo Toffolo, Ziraldo e Mig. Entrada gratuita (o livro estará a venda por R$ 35). Na sequência, às 20h, haverá apresentação do concerto “The Beatles” da Orquestra Ouro Preto. R$ 20 (inteira).
 
(*) Sob supervisão de Marília Mendonça
 

 

O que achou deste artigo?
Fechar

LITERATURA

Orquestra pelo traço de Ziraldo
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter