Recuperar Senha
Fechar
Entrar

ARTES CÊNICAS

Entre mal-estar e esperança  

Cia. 5 Cabeças estreia a montagem “Uma Tendência para Alegria” que toca na temática dos limites que a vida impõe a mudanças, que escapam à nossa vontade

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
CCBB
Peça trata dos limites que a vida impõe a mudanças, que escapam à nossa vontade
PUBLICADO EM 02/12/17 - 04h00

Reunidos sob o mesmo teto, três personagens vivem numa espécie de suspensão, cada um a seu modo: Amado, um aspirante a cantor saudosista, Rara Magia, uma mãe à espera do retorno de seu filho, e Bernadet, uma mulher cheia de potenciais, mas que não tem forças para levantar da cama. Pontuado pelas mudanças de estação do ano, é em torno da vida dessas pessoas que gira o espetáculo “Uma Tendência para Alegria”, da Cia. 5 Cabeças, que estreia na próxima quinta (7).

 
Quarto espetáculo da companhia, “Uma Tendência” começou a ser delineado ainda em 2013, a partir de relatos da página “Escafandrista”, do escritor Louraidan Larsen. Codramaturgo da peça ao lado do ator e integrante do grupo Saulo Salomão, ele mantém o espaço no Facebook, onde publica histórias criadas a partir de conversas do cotidiano. “Vivíamos num Brasil completamente ‘inflamado’, com muitas questões à flor da pele. Não absorvemos tudo nem trata-se de um recorte sobre a situação política, mas são as pessoas atravessando esse período”, comenta Saulo.
Uma primeira versão do texto foi fechada à época e, posteriormente, referências da literatura, do cinema e da própria vida foram acrescentadas. “De algum modo, ele viveu algumas atualizações, de desejos de questões sobre as quais queríamos falar”, diz. 
 
“Os personagens vivem uma espécie de mal-estar, mas também há esperança entre eles. E existe uma discussão sobre liberdade, na medida em que uma mudança na vida desses personagens não depende somente do desejo deles. Existem outros fatores envolvidos, institucionais, governamentais. Não somos sozinhos no mundo”.
 
Saulo e as atrizes Carol Oliveira e Luisa Rosa foram dirigidas pelo colega de companhia e estreante na função Ronaldo Jannotti. Ele ainda contou com as contribuições da atriz e diretora Mônica Ribeiro, como provocadora artística, e do ator Byron O’Neill, autor e diretor dos trabalhos anteriores do grupo, que retornou de uma experiência no exterior ao longo do processo.
 
Passagem do tempo
 
A decadência e o desgaste causados pela passagem do tempo foram alguns dos conceitos que nortearam o desenvolvimento de cenários, figurinos, luz e trilha sonora. “O Jonnatha (Horta) fez um figurino lindo, trabalhando com referências de brechó e recompondo-as com outros tecidos. A trilha sonora é do Barulhista e tem uma música escrita pela dramaturga Marina Viana, com quem a gente tinha um desejo antigo de fazer uma parceria. Já no cenário, as arquitetas e bailarinas Bruna e Branca, que conhecemos há pouco tempo, fizeram um trabalho superinteressante”, afirma Saulo. 
 
O ator pontua que o espetáculo é uma espécie de marco na carreira da Cia. 5 Cabeças, que, até então, vinha desenvolvendo projetos independentes e, agora, pela primeira vez, conseguiu apoio. “Estamos muito felizes por poder ocupar o CCBB”, conclui.
 
 
Uma Tendência para Alegria
CCBB (praça da Liberdade, 450, Funcionários, 3431-9400). De 7 a 23, quinta a segunda, às 19h. R$ 20 (inteira)

O que achou deste artigo?
Fechar

ARTES CÊNICAS

Entre mal-estar e esperança  
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter