Recuperar Senha
Fechar
Entrar
Loja
do super
Livreto + Pelúcia Urso polar
R$7,95

MORADORES INSATISFEITOS COM LINHAS DE ÔNIBUS

Nós, moradores do jardim Alterosa e do Mutirão, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, não aguentamos mais passar por tanto estresse e desânimo com a linha de ônibus 3280 (Jardim Alterosa 2ª Seção/Belo Horizonte). Esse ônibus, quase fantasma, opera das 4h 30 às 8h nos dias úteis. Depois desse horário, temos que dividir a linha 3285 (Bueno Franco/Belo Horizonte) com os passageiros do bairro Bueno Franco, que são atendidos pela linha 3265 (Conjunto Olímpia, Bueno Franco/Belo Horizonte). Antes de chegar ao nosso ponto de embarque, os ônibus da linha 3285 passam por mais quatro ou cinco bairros, ou seja, estão sempre lotados em horários de pico. Nos horários da manha, como às 5h 30, vemos trabalhadores cochilando em pé, em um carro lotado. Como se não bastasse esse descaso, nos fins de semana, os veículos têm os horários reduzidos, e alguns motoristas nos tratam com falta de respeito. Eles cortam caminho, não passam por dentro dos bairros e nos deixam esperando por horas. É um absurdo termos que sair de casa às 5h 30 para conseguir chegar ao trabalho às 8h. Eu, por exemplo, trabalho no bairro Anchieta, na região centro-sul de BH, e preciso passar por isso. Para complicar mais a situação, algum órgão estipulou que todas as linhas que atendem Betim tenham o ponto final em Belo Horizonte, no mesmo local, causando transtornos e confusão nas calçadas. A aglomeração de pessoas das 9h às 16h mostra o descaso com o trabalhador.

Resposta

O Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER - MG) informou que a linha 3280 (Jardim Alterosa 2ª Seção/Belo Horizonte) apresenta baixa demanda, o que não justifica alteração no quadro de horários. Por isso, após o horário de pico, o trajeto e coberto pela linha 3285 (Bueno Franco/Belo Horizonte - Via Alterosa 2ª Seção), que passa a atender também os usuários do bairro Jardim Alterosa. No que se refere à Mudança do ponto final da linha 3280, no centro de BH, a autarquia esclareceu que as alterações, quando necessárias, são feitas para atender o interesse da coletividade. O DEER-MG ressaltou que os usuários podem solicitar mudanças por meio de ofício assinado por representante da comunidade o de abaixo-assinado dos usuários, endereçado à Superintendência de Transporte Metropolitano e protocolizado na Cidade Administrativa. Sobre as irresponsabilidades dos motoristas nos fins de semana, o órgão esclareceu que uma equipe do DEER-MG será acionada para verificar se há descumprimento de horários e trajetos. O departamento informou que o consórcio será notificado caso seja constatada irregularidade e que o os usuários do transporte metropolitano podem encaminhar reclamações e sugestões para o e-mail participação@transportes.mg,gov.br ou telefonar 155 e escolher a opção 6. DEER-MG

Supermercado tem buraco na entrada do estacionamento

Existe uma loja do Carrefour na avenida Amazonas, próximo ao número 5.320, no bairro Nova Suíça, na região Oeste de Belo Horizonte, que tem causado grande transtornos aos clientes. No início deste mês, quando eu entrava no estacionamento, meu carro caiu em um buraco enorme que está bem na portaria do local, e um pneu do veículo estourou. Enquanto eu tomava as providências para tirar o carro da portaria, alguns vizinhos do bairro vieram me informar que várias pessoas passaram pela mesma situação. Apenas na mesma semana que tive esse problema, ao menos três outros veículos caíram no mesmo buraco, segundo eles. É impossível desviar da cratera, que é enorme.

Resposta

A Rede Carrefour informou que iniciou o processo de reparo do local assim que identificou o problema, que configura fato pontual. Segundo a empresa, a manutenção será concluída nos próximos dias. O Carrefour firmou seu compromisso com o bem-estar de todos que frequentam a loja e ressaltou que o local foi isolado até que as obras sejam concluídas. Carrefour

Moradores estão insatisfeitos com a administração

Somos moradores do condomínio Della Signoria, localizado na rua Desembargador Amílcar de Castro, no bairro Estoril, na região Oeste de Belo Horizonte. Nossas reclamações são sempre sobre os mesmos assuntos, e, como respostas, sempre recebemos a promessa de que uma equipe da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) vem ao local, mas, até hoje, nada foi feito. A equipe da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), por exemplo, não faz a varrição da nossa rua e atende esporadicamente a avenida Barão Homem de Melo. Nós é que acabamos fazendo toda a limpeza. Além disso, a capina do meio-fio e do acúmulo de plantas da área verde da região só é feita porque pagamos alguns profissionais para executar o serviço. Todos os anos solicitamos à PBH essa capina, pois, na época da seca, ocorrem muitos incêndios em nossa rua, mas nunca somos atendidos. Outra reclamação que temos é sobre os riscos de acidentes que sofremos quando saímos de carro na avenida Barão Homem de Melo. Nossa rua é inclinada, e os veículos sobem em alta velocidade pelo local. Alguns motoristas sempre estacionam carros em locais proibidos, dificultando nossa visibilidade. Além disso, os passeios da avenida tornam-se estacionamentos desordenados de carros e motos. A parte da rua que é interrompida e inclinada, onde crescem plantas, também é insegura, pois à noite não tem iluminação. Ainda nessa rua existe uma canaleta de alvenaria de escoamento de água pluvial que deságua em uma caixa externa na rua Vicente Pintor de Abreu, passando por dentro de nosso quintal, o que causa grandes transtornos. Todas as nossas solicitações nunca foram atendidas. Acreditamos que o problema seja a falta de informações cadastrais, pois todos os atendentes reclamam que não encontram nosso endereço. Não queremos nada além da retribuição dos altíssimos impostos que pagamos para sermos atendidos.

Jose Ismael Pereira

Resposta

RESPOSTA I A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) esclareceu, por meio da Superintendência de Limpeza Urbana que a varrição na referida via é realizada às segundas-feiras, a cada 15 dias. Já a capina, segundo o órgão, é feita pelo menos três vezes ao ano. A SLU destacou que as equipes responsáveis pela capina estão atuando no bairro e ainda nesta semana deverão atender ao local citado. Os demais serviços de limpeza urbana, como a coleta domiciliar, estão regulares na região. Sobre a iluminação do local, a concessionária BHIP informou que existe um chamado, ainda dentro do prazo, para substituição de lâmpada no local. Segundo o órgão, uma equipe já está mobilizada e fará a checagem do local em até 48 horas. A BHIP ressaltou que, em casos de não funcionamento, lâmpadas oscilando ou braço da luminária quebrado, o cidadão deve acionar o órgão por meio do site www.bhip.com.br, do telefone 0800-941-6789, ou do aplicativo BHIP para smartphones. Sobre o escoamento de água, segundo a PBH, a Gerência de Infraestrutura Urbana da região Oeste, verificará a situação ainda nesta semana. Sobre a falta de informações do condomínio, a prefeitura ressaltou que o endereço do Condomínio Della Signoria encontra-se devidamente registrado em seu sistema, não existindo problema com as suas informações cadastrais. Prefeitura de BH RESPOSTA II A Empresa de Transportes e Trânsito (BHTrans) esclareceu que realiza periodicamente ações em conjunto com a Polícia Militar na região do bairro Buritis, incluindo na rua Desembargador Amílcar de Castro. Apesar de autuar e até rebocar veículos estacionados irregularmente na região, a autarquia esclareceu que ainda há um número pequeno de condutores que cometem infrações e comprometem a segurança dos demais motoristas e de pedestres. Segundo a BHTrans, os agentes do órgão permanecem monitorando a região, e sempre que constatadas irregularidades, acionam a Polícia Militar, que toma as medidas cabíveis. BHTrans

BAIRRO EM IGARAPÉ NÃO TEM SANEAMENTO BÁSICO

Recentemente, a Prefeitura de Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte, deixou uma notificação em minha casa falando que, caso eu não faça uma fossa em minha casa no período de 60 dias, eu seria multado. Acontece que moro no bairro Pousada Del Rey há mais de 34 anos, e todo o local não tem saneamento básico, muito menos água encanada. É um absurdo termos que nos preocupar com isso, sendo que é papel da prefeitura, dar o mínimo de condição para o cidadão. Ligamos para a prefeitura para mostrar nossa insatisfação, e a única coisa que nos informaram é que poderiam prolongar o prazo da construção da fossa. Acredito que a obrigação de legalizar esse processo seja deles. Não é justo passar essa responsabilidade para os moradores.

Daniel Cláudio

Resposta

A Prefeitura de Igarapé informou que quaisquer tipos de advertência enviadas aos cidadãos são realizadas a partir de conhecimento prévio e informações presentes em leis. Segundo o órgão, o morador do bairro Pousada Del Rey foi notificado devido ao escoamento do esgoto da residência, que encontra-se na via pública. No momento da verificação, segundo a prefeitura, os funcionários da Secretaria de Meio Ambiente não conseguiram dialogar com as pessoas, uma vez que os moradores do local recusaram-se a atendê-los. A administração esclareceu que a responsabilidade da instalação da rede de esgotamento é da concessionária responsável pela prestação de serviços de saneamento no Estado. Porém, de acordo com a Lei Complementar 25, que institui o Código de Posturas do Município, o morador é responsável pela construção e manutenção de fossa séptica em imóveis que não são servidos por rede de esgotamento sanitário. A legislação ainda reforça, segundo a prefeitura, que é proibido o lançamento de qualquer resíduo de esgoto em vias urbanas ou propriedades particulares, sendo passíveis de penalidades, que vão desde notificação até multa, de acordo com o Decreto 1.275, de 17 de setembro de 2007. O órgão reforçou ainda que têm desprendido de grandes esforços para resolver problemas relacionados ao saneamento no município.

PASSAGEIROS SOFREM COM ASSALTOS EM PONTO DE ÔNIBUS

Nem a presença da 188ª Companhia da Polícia Militar (PM) está sendo suficiente para inibir a onda de assaltos à mão armada que vem acontecendo na avenida Campos de Ourique, no bairro Jardim Alterosa, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os crimes acontecem principalmente com pessoas que ficam esperando ônibus e vans. Em 1º de setembro, por volta das 4h30, uma dupla de assaltantes roubou bolsas, telefones celulares, relógios, aliança e carteiras de vários cidadãos que aguardavam os veículos. Depois da ação, os criminosos fugiram em um Fiat Palio prata. A situação nesse local está tão grave que as vítimas não registram mais os boletins de ocorrência, tamanho a desconfiança da população em relação aos serviços públicos de segurança.

Leitor

Resposta

A Polícia Militar (PM) informou que realiza diuturnamente ações e operações nos corredores e pontos de transporte coletivo, com patrulhamento ostensivo e preventivo da criminalidade. Segundo o órgão, o problema enfrentado é um fenômeno social, que deve ser combatido por todos os segmentos da segurança pública – órgãos policiais e de Justiça. A PM esclareceu que o resultado positivo deve ser alcançado com trabalho em conjunto, inclusive da sociedade, que possui o dever de comunicar aos órgãos competentes a ocorrência de crimes, a fim de que a polícia possa traçar a estratégia de policiamento e definir os locais de atuação. A corporação ressaltou ainda que a comunicação do crime no momento em que está acontecendo ou logo depois disso é extremamente importante para a resolução da ocorrência, na medida em que, a partir da ciência do delito, a PM pode desencadear operações de cerco e bloqueio, com objetivo de prender o infrator e recuperar os produtos frutos dos crimes cometidos.

CARRO ABANDONADO INCOMODA MORADORES HÁ MAIS DE DOIS ANOS

Eu gostaria de fazer uma reclamação à Superintendência de Limpeza Urbana (SLU). Há mais de dois anos, um automóvel foi abandonado na rua Aquidaban, no bairro Padre Eustáquio, na região Noroeste de Belo Horizonte. O veículo, modelo Gol, com placa HBA4843, aparentemente está sem o motor e acumulando lixo. Além disso, o carro é um ótimo local para esconderijo de drogas e para a proliferação de mosquitos da dengue. Essa situação não pode continuar.

Leitor

Resposta

A Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) informou que as equipes de fiscalização da Regional Noroeste realizaram uma vistoria no local e notificaram o responsável pelo veículo abandonado. Segundo o órgão, se o proprietário não retirar a carcaça da via pública dentro dos prazos legais, a Prefeitura de Belo Horizonte vai se encarregar da remoção.

TERCEIRA IDADE SOFRE COM SERVIÇO NOS POSTOS DE SAÚDE

Eu gostaria de usar este espaço para fazer um pedido especial pelos idosos. Sou aposentado e sofro com um problema nas pernas há alguns anos. Por depender da boa vontade da Secretaria Municipal de Saúde, que tem péssimo atendimento, estou correndo o risco de perder as pernas. Precisava ir ao médico por causa das dores que venho sentindo e, para isso, tive que esperar quatro meses. Quando finalmente fui atendido, o doutor me passou um pedido de exame de ultrassom. No mesmo dia, fui ao local e tentei marcar a consulta, mas percebi que a atendente somente anotou meu nome e meu telefone. Nunca mais tive notícias de como anda o processo e de quando serei atendido, e isso já se arrasta há mais de três meses, ou seja, há cerca de oito meses que procuro uma solução para minha doença. Duvido que serei atendido antes de completar um ano de espera. Aliás, os atendentes não mexem nem um pauzinho para poder nos ajudar. Esse órgão, há anos, deixa idosos morrerem nas filas de espera. Inclusive, conheço casos de pessoas que perderam seus parentes por causa dessa demora. Precisamos de soluções, seja a troca de toda a administração daquele local ou de todo o sistema. O que não podemos é continuar com essa situação desumana. É um absurdo o que somos obrigados a passar mesmo tendo idade avançada. Nós não podemos mais aguentar todos esses problemas calados.

Leitor

Resposta

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informou que o paciente que fez a reclamação passou por consulta com angiologista na Unidades de Referência Secundária (URS) Padre Eustáquio, em 2 de maio, para avaliação de varizes e membros inferiores. Segundo a PBH, o pedido de exame duplex scan foi incluído no sistema no mesmo dia. A prefeitura esclareceu ainda que o paciente está cadastrado e, de acordo com avaliação médica, não se trata de caso de prioridade. Assim que o exame for agendado, ainda conforme o órgão, a unidade entrará em contato com o paciente.

BAIRRO TEM PROBLEMAS COM LIMPEZA E TRÂNSITO

Em nome dos moradores do condomínio Della Signoria, localizado na rua Desembargador Amílcar de Castro, no bairro Estoril, na região Oeste da capital, eu gostaria de tratar de alguns assuntos com a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Nossas reclamações são sempre as mesmas, e, como resposta, recebemos promessas que não são cumpridas. A Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) não faz a varrição da via há vários dias e atende esporadicamente a avenida Barão Homem de Melo, onde começa nossa rua e única via que podemos usar para entrar e sair de nossa casa. Os moradores fazem a limpeza da rua, que deveria ser realizada pela SLU. Além disso, a capina do meio-fio e do acúmulo de colonião anexo à área verde, ao lado do condomínio, também são efetuados por nós, por meio de mão de obra particular. A PBH nunca faz esse serviço. Solicitamos isso todos os anos, devido aos incêndios que acontecem nesta época. Outra reclamação que temos é sobre os riscos de acidentes quando vamos entrar na avenida Barão Homem de Melo. Nossa rua é inclinada, e os veículos sobem em alta velocidade pela avenida. Além disso, alguns motoristas estacionam em frente às placas de estacionamento proibido, o que dificulta nossa visibilidade. Outros problemas que enfrentamos são com as ruas e os passeios que se tornam estacionamentos desordenados de carros e motocicletas. Além disso, parte da avenida não tem iluminação, o que faz com que corramos riscos constantemente. Acreditamos que esses problemas são causados por falta de informações cadastrais de nossa rua. Todas as vezes que entramos em contato com a prefeitura, os atendentes afirmam que não encontraram nosso endereço. Gostaríamos de receber um pouco de atenção para, pelo menos, amenizar esses problemas. Não queremos nada além da retribuição dos altíssimos impostos que pagamos.

José Ismael Pereira

Resposta

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Regional Oeste, informou que a rua citada é atendida por serviços regulares de limpeza urbana, com varrição às segundas-feiras, a cada 15 dias. Segundo o órgão, a coleta de lixo domiciliar é feita às terças-feiras, às quintas-feiras e aos sábados, e a rua recebeu serviços de capina em abril deste ano. Além disso, a prefeitura esclareceu que uma nova capina está programada para a segunda quinzena de setembro. Em relação às reclamações sobre o trânsito, a administração ressaltou que a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) realiza, frequentemente, operações de fiscalização na área, com o prosseguimento de ação fiscal para todas as irregularidades. A PBH informou, ainda, que nova vistoria será realizada no local para que sejam tomadas as medidas cabíveis em relação às demais solicitações do leitor.