Recuperar Senha
Fechar
Entrar
Loja
do super
Livreto + Pelúcia Urso polar
R$7,95

PREFEITURA NÃO REGULAMENTOU METRAGEM DE LOTE

Há mais de dez anos, eu e meus irmãos estamos solicitando à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) a regulação da metragem do lote na rua Java, 326, no bairro Nova Suíça, na região Oeste da capital. Estamos tentando cumprir todas as solicitações da PBH. Por exemplo, fizemos a planta da casa, tiramos o habite-se, chamamos engenheiro e topógrafo e providenciamos diversos documentos que nos exigiram. No entanto, até o momento, o órgão não resolveu nosso problema. Não sabemos mais a quem recorrer.

Judite Prazeres Virtuoso

Resposta

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana, informou que o projeto de regularização de edificações do terreno citado foi aprovado em 2013 e finalizado. A prefeitura esclareceu que não localizou nenhum protocolo ou processo pendente referente ao imóvel no que se refere à alteração das dimensões dos lotes aprovados. A PBH ressaltou que, para maiores esclarecimentos, o cidadão deve agendar um atendimento no Plantão Técnico da Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana, por meio do site http://agendamentoeletronico.pbh.gov.br/senhafacil. O interessado vai ser atendido por um engenheiro ou arquiteto da secretaria, que providenciará uma solução para a questão.

ÔNIBUS TRANSITAM SEM REFRIGERAÇÃO

Há algumas semanas, fiz uma reclamação na coluna Panelaço sobre as linhas de ônibus 511, 411, 412, 414, que estão sempre com o ar-condicionado desligado. O Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG) respondeu a reclamação afirmando que fiscalizaria os veículos e tomaria uma providência. No entanto, até o momento, nada foi feito, e nós continuamos na mesma situação. A refrigeração é ligada apenas quando os carros estão chegando a seus pontos finais. Isso é um absurdo! O motorista ainda consegue abrir sua janela, mas nós, passageiros, ficamos morrendo de calor e respirando o mesmo ar durante todo o percurso.

Carlos

Resposta

O Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG) informou que realizou ação de fiscalização em 12 de abril. Segundo o órgão, em todos os 20 veículos vistoriados, os equipamentos de acessibilidade e o sistema de ar-condicionado estavam funcionando de maneira correta. O órgão ressaltou que o abrir e fechar das portas para o embarque e o desembarque dos passageiros pode desregular a temperatura interna dos veículos. O DEER-MG esclareceu ainda que, para uma precisa identificação das irregularidades denunciadas, é importante informar números da linha e do veículo, placa, data, horário, local da ocorrência e outras informações que os passageiros julgarem relevantes. O departamento informou que disponibiliza três canais para o envio de dúvidas, sugestões e reclamações: o fale conosco no site www.der.mg.gov.br, o e-mail atendimento@der.mg.gov.br e o telefone 155, opção 6.

BAIRRO NA REGIÃO NOROESTE ESTÁ COBERTO POR MATO

Eu gostaria de fazer um apelo à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Moro no bairro Padre Eustáquio, na região Noroeste da capital, e a situação aqui não é nada boa. As ruas estão cheias de mato, principalmente na Via Expressa e próximo ao viaduto da avenida Silva Lobo. Esse matagal deixa o lugar com aspecto sujo, e nossas ruas, horríveis. Está passando da hora de a prefeitura fazer a capina no local. Até porque, quando o mato fica nessa situação, alguns moradores ateiam fogo ao local, o que deixa a situação ainda pior, pois as chamas se alastram e chegam a queimar até as árvores do entorno.

Ibajai Brito

Resposta

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Gerência Regional de Limpeza Urbana Noroeste, informou que a previsão para início de capina no bairro Padre Eustáquio será nos próximos dias. A PBH ressaltou que mantém um canal de atendimento, em que os cidadãos podem fazer sugestões e reclamações, pelo número 156 ou pelo site do órgão (www.portalpbh.pbh.gov.br).

COMPANHIA CORTA ÁGUA SEM AVISO PRÉVIO

Quero fazer uma reclamação sobre a Copasa. Sou morador do bairro Niterói, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, e constantemente estamos sofrendo com a falta de água, situação que afeta também os moradores do bairro Bueno Franco. Esse problema vem acontecendo com alta frequência, principalmente no decorrer do dia. Em março, por exemplo, faltou água durante dois sábados seguidos. Nesta semana, o desabastecimento aconteceu mais uma vez. Entrei em contato com a companhia, e me informaram que a falta de água era consequência das manutenções que estavam sendo feitas no local. O problema é que a Copasa não avisa quando isso vai acontecer, por isso, ficamos prejudicados. Às vezes, estamos fazendo algum serviço e temos que parar no meio da tarefa. A população precisa ser tratada com mais respeito e, pelo menos, ser avisada quando isso for acontecer. Sem contar que, se não ficarmos atentos e deixarmos o registro aberto, o relógio fica rodando, mesmo que nós não estejamos gastando água.

José Robson

Resposta

A Copasa informou que o abastecimento de água dos bairros Niterói e Bueno Franco, em Betim, na região metropolitana, já foi normalizado. Segundo a companhia, as intermitências ocorridas em março foram em decorrência das manutenções preventivas programadas. A Copasa ressaltou ainda que as atividades realizadas foram divulgadas pela mídia e também publicadas no site da companhia.

Vila está em situação precária

Gostaria de chamar a atenção da Prefeitura de Belo Horizonte para a situação da Vila Esporte Clube, onde moro. Parte dos moradores do local, situado no bairro Camargos, na região Oeste da capital, está sendo indenizada e mudando-se por motivos diversos. Porém, uma parte da vila, inclusive onde moro, não foi indenizada e provavelmente não será. Os moradores que ficaram estão sofrendo com o descaso total. Na rua Antônio Nunes, por exemplo, há dias que uma equipe não faz a limpeza do lugar, que está horrível. A única rua por onde moradores podem passar está coberta de mato e com esgoto estourado. Para piorar, a ponte está destruída. Sem contar que os moradores que foram indenizados abandonaram as casas em destroços. Entrei em contato com a prefeitura e fui informada de que a capina está em dia e que a limpeza está sendo realizada, o que não condiz com nossa realidade.

Eliane Silvestre Oliveira

Resposta

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), informou que a Vila Esporte Clube é beneficiada com coleta domiciliar de lixo às terças-feiras, às quintas-feiras e aos sábados. Segundo a PBH, a varrição é feita aos sábados, a cada 15 dias, conforme planejamento da SLU. O órgão esclareceu que a vila recebeu varrição em 8 de abril e será atendida no próximo sábado. A PBH informou ainda que há dois lotes próximo ao local que são de propriedade de terceiros, responsáveis por mantê-los limpos. A prefeitura ressaltou que os resíduos da demolição realizada pela PBH foram retirados em março deste ano pela Urbel. No mesmo mês, segundo o órgão, o serviço municipal de zoonoses dedetizou os espaços mencionados. A PBH informou que para fiscalizar a região e identificar os proprietários dos lotes vagos, é necessário que a denúncia seja feita pelo telefone 156 ou pelo www.pbh.gov.br.

MORADORES SOFREM COM LOCALIZAÇÃO DE CENTRO DE ATENDIMENTO DA COPASA

Moro no bairro San Genaro, em Ribeirão das Neves. Somos vizinhos dos bairros Metropolitano e Liberdade, próximos à BR–040, no sentido Sete Lagoas. Há alguns dias houve um vazamento em minha casa, e tive que ir ao centro solicitar a manutenção da Copasa. Queria saber por que a companhia não coloca uma central de atendimento próximo a nosso bairro. É uma região com muitos moradores, e conseguimos resolver nossos problemas por lá, exceto os que envolvem a Copasa.  Por isso, sempre que temos algum problema relacionado à companhia, perdemos um dia de trabalho e gastamos dinheiro para chegar ao local. A Copasa poderia tomar alguma atitude para nos auxiliar.

Vicente Luiz 

Resposta

A Copasa informou que disponibiliza duas agências de atendimento em Ribeirão das Neves – na rua Antônio Miguel  Cerqueira Neto, 220, no bairro São Pedro, em Ribeirão das Neves; e na avenida Denise Cristina da Rocha, 1.720, no bairro Cerejeiras, em Justinópolis. A companhia informou ainda que disponibiliza o atendimento pela Agência Virtual, no site www.copasa.com.br; e pela Central de Relacionamento com o Cliente, pelo telefone 115. A ligação é gratuita e funciona em tempo integral. 

PRAÇA TEM LIXO ESPALHADO

Eu gostaria de mostrar minha indignação com a Prefeitura de Belo Horizonte. A praça Cívica, localizada na esquina das ruas Domício Gabriel de Vasconcelos e Ramon Thome, no bairro Vale do Jatobá, na região do Barreiro, está totalmente abandonada. O local é cheio de lixo. Às vezes, aparecem até guarda-roupas velhos, fogão e móveis. É impossível levar as crianças para brincar na praça, pois há mato, latas e poças de água por toda parte. A estrutura deixou de ser um local de prazer. Moro próximo à praça há 20 anos e nunca vi uma equipe fazendo a manutenção do lugar. Os profissionais podam o mato e vão embora. O piso já está desgastado e quebrado, não existem mais bancos, e algumas árvores estão podres e sem sustentação. Cadê o investimento no lazer? Pagamos todos os impostos e não recebemos nada em troca. Entramos em contato com a Regional Barreiro, mas nada foi resolvido.

Gleyson Pereira

Resposta

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informou, por meio da Regional Barreiro, que a revitalização de nove praças foi aprovada no Orçamento Participativo (OP) em 2011/2012. A administração municipal esclareceu que o projeto da obra foi concluído e aprovado pela comunidade e está sendo orçado para licitação. Sobre o lixo, o órgão esclareceu que a coleta na região da praça é realizada três vezes por semana e há capina periódica. Quanto às árvores, a prefeitura informou que não existe demanda para vistoria ou supressão destas, mas que enviará uma equipe para verificar o risco.

TRINCHEIRA EM BETIM TEM ESGOTO A CÉU ABERTO

Existe uma trincheira no Jardim das Alterosas, próximo à avenida Santiago, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, que precisa urgentemente de uma solução. Há algum tempo, a prefeitura e a Copasa começaram uma obra no local, sem finalizar. O lugar ficou com esgoto a céu aberto. O problema está estendendo até hoje, e ninguém fez nada. Nós somos obrigados a conviver com o cheiro ruim diariamente, pois os órgãos competentes não fazem o trabalho que deveriam. Além disso, nós estamos sofrendo com a quantidade de mato que há no local. O matagal está altíssimo e pode até encobrir as pessoas. Sem contar no lixo que se vem acumulando. Há todo tipo de entulho no local. Queremos uma solução.

Jane Rodrigues

Resposta

A Copasa informou que o problema na avenida Santiago é na rede de drenagem pluvial. Segundo a companhia, esse problema é de responsabilidade da Prefeitura de Belo Horizonte; A Prefeitura de Betim informou, por meio da Empresa de Construções, Serviços, Projetos, Transportes e Trânsito de Betim (Ecos), que a trincheira em questão é um complemento das obras de infraestrutura da avenida Vasco Santiago. Segundo a administração, o processo licitatório para a finalização desta já foi concluído, e a liberação da ordem de serviço para a construção da trincheira aguarda a análise do processo executivo, bem como as desapropriações necessárias para a execução da passagem de nível. A prefeitura esclareceu ainda que a Ecos está tomando todas as providências para agilizar o processo de construção da trincheira e a finalização das obras.