Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Descontentamento

Após quatro meses, Roger começa a ter trabalho questionado no Galo

O empate com a URT e a derrota para o Libertad-PAR foram o estopim para um descontentamento que começou ainda na derrota para o Cruzeiro

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Roger Machado
Torcida não tem demonstrado muita paciência com o técnico após recentes atuações
PUBLICADO EM 21/04/17 - 03h00

A chegada de Roger Machado ao Atlético foi uma aposta na jovialidade e em conceitos modernos. Com perfil de estudioso do futebol, o comandante logo impressionou nos primeiros dias de trabalho na Cidade do Galo e em suas entrevistas – sempre regadas de ricas explicações sobre tática e convincentes leituras de jogo. Quatro meses depois, o cenário começa a se alterar, mesmo que ainda de forma tímida. Sem atuações convincentes – principalmente nos últimos cinco jogos –, Roger e boa parte do elenco começam a ter o desempenho questionado pela torcida.

O empate com a URT e a derrota para o Libertad-PAR foram o estopim para um descontentamento que começou ainda na derrota para o Cruzeiro, no início do mês. Em busca da classificação à final do Estadual e sem poder perder mais pontos na fase de grupos da Libertadores, Roger e seus comandados precisam entrar em campo buscando a vitória e, principalmente, uma atuação convincente para não correr risco de perder a tranquilidade para o andamento do trabalho.

Também recém-chegado ao clube, o volante Elias saiu em defesa do técnico. O jogador elogiou o trabalho desenvolvido por Roger e fez um alerta para a mudança de comportamento no Brasil, onde há pouca paciência com o trabalho dos treinadores.

“O Roger é um dos melhores treinadores com que eu já trabalhei. É da nova geração e está buscando seu espaço. Ele vem mostrando ser uma pessoa bem capacitada para dirigir qualquer clube do mundo. É um treinador novo, e as pessoas não têm muita paciência. Acho que tem que mudar essa estigma no Brasil. Posso falar pelo Tite, que foi eliminado pelo Tolima-COL, na Libertadores, foi mantido e depois foi campeão brasileiro”, comparou o volante.

Momento. Uma das principais dificuldades do time no ano é o fato de não conseguir manter a regularidade dentro do próprio jogo, sempre fazendo tempos distintos. Para Elias, no entanto, falta pouco para que o time consiga se encaixar de vez e ser mais convincente. “A gente sabe que o rendimento está irregular, durante todas as partidas, durante os minutos jogados, mas o trabalho está sendo bem feito, tanto por parte do Roger como dos jogadores. Acho que está faltando só uma faísca para o time acender”, defendeu o volante.

Apoio do grupo

“Não tenho nada que falar do treinador. Roger é o melhor técnico que tive na minha carreira. Não sei o que está acontecendo. A gente joga bem, depois não joga bem. Temos que ter regularidade para atuar, fazer grandes partidas. Agora é levantar a cabeça para ganhar os jogos. Não é culpa do treinador, e sim de nós, jogadores que estamos dentro de campo.”
Otero
Meia do Atlético


Números de Roger

4 meses de trabalho tem o técnico Roger à frente do Galo

18 jogos ele comandou até agora, em três competições diferentes

11 vitórias é o saldo positivo do treinador até agora 

O que achou deste artigo?
Fechar

Descontentamento

Após quatro meses, Roger começa a ter trabalho questionado no Galo
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (10)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter