Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Derrapou

Sada Cruzeiro cai para o Sesc fora de casa em jogo de cinco sets

Cariocas mantiveram liderança da Superliga masculina, aproveitando inconstância celeste em momentos decisivos do duelo

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Partida entre Sesc-RJ e Sada Cruzeiro pela Superliga Masculina
Sada Cruzeiro não conseguiu manter pequena vantagem aberta no tie-break para confirmar vitória
PUBLICADO EM 14/01/18 - 00h20

Retomar a dianteira na tabela para abrir vantagem sobre os adversários e ainda ter um jogo a menos era o objetivo do Sada Cruzeiro na noite deste sábado. No Rio de Janeiro, contra o Sesc-RJ, o time do técnico Marcelo Mendez enfrentou o líder em um duelo dos times de melhor campanha na Superliga masculina.

Em jogo com o ginásio do Tijuca lotado e com clima de decisão, os cruzeirenses foram pra cima do rival para mostrar suas garras e marcar território, mesmo longe de seus domínios. Não seria com tranquilidade que o resultado final viria para qualquer dos lados. As pequenas diferenças no placar foram uma marca constante com os dois lados buscando alternativas de estar na frente.

Tendo o levantador Thiaguinho acelerando as jogadas, o Sesc fez o bloqueio rival ter trabalho do início ao fim. Para equilibrar as ações, o Cruzeiro teve boa presença do oposto reserva Alemão, que fez uma de suas melhores partidas desde que chegou ao clube. Um apertado 3 a 2 (28/26, 20/25, 25/23, 16/25 e 20/18) foi definido nos detalhes a favor dos donos da casa. A nota triste foi a atuação da arbitragem, que cometeu diversos erros para os dois lados, aumentando a pressão sobre os responsáveis por comandar os jogos. O troféu Viva Vôlei foi para o ponta João Rafael, que entregou o prêmio para o companheiro de posição Maurício Borges. 

Caminhos para vencer. Para incomodar o favorito azul, o Sesc tratou de usar do mesmo veneno que fez o adversário ter sucesso por seguidos anos. Foi por meio do saque que os cariocas conseguiram pressionar e dar trabalho para a recepção mineira, que tinha trabalho para jogar a bola pra cima. O bloqueio cruzeirense teve dificuldades para achar o ataque carioca no primeiro set, definido na vantagem mínima, depois dos 25 pontos, a favor do Sesc, em erro de ataque de Evandro.

Para aumentar as chances de vitória, o time azul precisava deixar para trás os altos e baixos que insistiram em aparecer na primeira parcial. Sem conseguir imprimir um ritmo constante, o Cruzeiro seguia tendo trabalho contra um adversário bem postado e aguerrido. Assim como no set de abertura, o Sada saiu em desvantagem no 4 a 1 para correr atrás do prejuízo. Mesmo com seu saque não conseguindo ter a melhor continuidade, os mineiros conseguiram empatar e virar o placar.

Estar na frente não era sinônimo de folga para nenhum dos dois lados, que precisaram estar com a concentração em dia para evitar distâncias no marcador. Foi com o bloqueio mais presente que o Cruzeiro conseguiu abrir quatro pontos no segundo set, contando com a presença do oposto Alemão no lugar de Evandro. O equilíbrio das ações celestes, contando com o saque mais afiado, fez um 16 a 11 aparecer, engatando a busca pelo empate.

Os cinco pontos abertos, maior diferença que um dos lados havia conseguido abrir até então, caíram para dois em poucos minutos, mostrando como um jogo deste nível exige a todo momento. O cartão vermelho para o técnico Marcelo Mendez deixava claro como os ânimos se exaltavam a cada marcação. Aproveitando o pequeno respiro de dois ou três pontos, os visitantes foram com tudo para a reta final do set para confirmar o 1 a 1.

Errando menos no terceiro set, o Sesc conseguiu abrir um 11 a 8. Pra variar, a retomada logo apareceu para deixar imprevisível o lado que teria, em breve, o 2 a 1. Sem a mesma qualidade defensiva do set anterior, os azuis foram castigados com um 20 a 16 para o Sesc em momento decisivo da parcial. A recuperação conseguida na reta final pelo Cruzeiro foi em vão, mostrando como as falhas recentes pesaram nos 25 a 23.

Bastou o saque cruzeirenses voltar a entrar para que as coisas voltassem a fluir. O 5 a 0 veio já na primeira passagem de Leal, mostrando para os cariocas a vida dura que lhes esperava na parcial. Insistente, o Sesc tentou a reação, tendo na regularidade do Sada sua maior barreira. Com bom aproveitamento ofensivo e contando com erros do Sesc, o Cruzeiro levou a definição da liderança para o tie-break.

A necessidade de se tomar decisões precisas aumentou no quinto set. Vantagens mínimas, como a aberta no 6 a 5 pelos Cruzeiro, seriam importantes para dar confiança e deixar a vitória mais próxima. Aproveitando as chances, os visitantes não decepcionaram para aumentar a diferença. O Sesc conseguiu minimizar o prejuízo e pressionou o favorito, recuperando a desvantagem e levando a decisão para além dos 15 pontos, levando o jogo nos detalhes. 

Na próxima rodada, na terça-feira, o Cruzeiro recebe o Corinthians Guarulhos-SP em confronto de pesadas camisas do futebol que agora começa a acontecer nas  quadras de vôlei. Com um jogo a menos que o Sesc, o time de BH pode recuperar a liderança em casa de vitória por 3 a 0 ou 3 a 1. 

Escalações:

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan, Maurício Souza, Thiago Barth, Maurício Borges, João Rafael, Brendle. Entraram: Everaldo, Japa, PV. Técnico: Giovane Gávio

Sada Cruzeiro: Uriarte, Evandro, Simon, Isac, Filipe, Leal e Serginho. Entraram: Cachopa, Alemão, Éder Levi. Técnico: Marcelo Mendez

 

O que achou deste artigo?
Fechar

Derrapou

Sada Cruzeiro cai para o Sesc fora de casa em jogo de cinco sets
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter