Recuperar Senha
Fechar
Entrar
Olho neles
11 de Outubro - Quinta-feira - 18:18

Eleições 2018

O deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM), que foi eleito senador no pleito disputado no último domingo com o maior número de votos no Estado, declarou voto ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno presidencial. 

"Diante das opções de segundo turno, meu voto será dado ao Bolsonaro, por entender que o retorno do PT não seria bom para o país", disse o senador ao blog Olho Neles. Rodrigo Pacheco recebeu mais de 3,6 milhões de votos. 

 

 

11 de Outubro - Quinta-feira - 18:18

Para coordenar área econômica

A associação dos Economistas de Minas Gerais (Assemg) emitiu nota de repúdio pela escolha do economista Gustavo Franco para coordenar a área econômica de um eventual governo de Romeu Zema (Novo). Franco é natural do Rio de Janeiro e a categoria se mostrou inconformada pela escolha de alguém de fora do Estado.

“Minas Gerais conta com um vasto quadro de renomados e competentes economistas aptos a formular e executar o resgate econômico do Estado e de promover o seu crescimento e desenvolvimento com justiça social”, diz a nota Assemg.

Gustavo Franco foi um dos idealizadores do Plano Real e era um dos coordenadores do plano de governo de João Amoêdo, candidato à presidência pelo Novo.

11 de Outubro - Quinta-feira - 17:04

Olho Neles

Candidato rebateu declarações de adversário de que ele iria acabar com incentivos culturais

O candidato do Novo ao governo de Minas Gerais, Romeu Zema, rebateu as declarações de seu adversário de que ele iria acabar com os incentivos culturais no Estado. O candidato do PSDB, Antonio Anastasia, publicou nessa quinta-feira em suas redes sociais críticas ao empresário de Araxá. "O outro candidato vai desmantelar a cultura do Estado, acabar com todos os incentivos e com a Secretaria de Cultura", disse o tucano.

Zema disse que artistas famosos foram privilegiados nas gestões anteriores e afirmou que a melhor política cultural é garantir que a população tenha dinheiro para atividades de lazer. "Eu diria que a cultura tem privilegiado artistas famosos, protegidos dos reis. Eu sou totalmente favorável à prática cultura. O que faz um povo ter cultura forte é um povo que tem emprego, que pode sair a noite e ir em um show, que pode viajar para participar de um congado. Não adianta nada o governo dar milhões para alguns artistas se a grande maioria sequer tem dinheiro para ir no cinema, no teatro ou participar de um evento cultural"

Zema disse ainda que conhece mais de cultura popular do que Anastasia e deu a entender que considera a construção do novo prédio da Filarmônica de Minas Gerais um desperdício. "Quero que a população tenha força para exercer essa cultura popular. Eu vim do interior, conheço muito mais do que ele sobre folia de reis, congado que provavelmente ele viu poucas vezes na vida e eu já vi muito. Quem tem dinheiro vai preservar essa cultura tão rica que nós temos. Não é construindo um edifício fenomenal para uma elite frequentar que nós estaremos fazendo cultura. A cultura é do povo e não de uma elite que frequenta uma monstruosidade que custou milhões"

O novo prédio da Filarmônica, situado no Barro Preto, região Centro-Sul de Belo Horizonte, custou aos cofres públicos R$ 114 milhões e foi viabilizado ainda na gestão de Antonio Anastasia. 

10 de Outubro - Quarta-feira - 18:32

ALMG

Ao final da reunião de Plenário na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) desta quarta-feira (10), o deputado Sargento Rodrigues (PTB) valeu-se de questão de ordem para comparar os planos de governo de Romeu Zema (Novo), candidato ao governo de Minas, e Jair Bolsonaro (PSL), que disputa a Presidência.

 
Entre as comparações, o parlamentar citou que Zema considera que os servidores públicos não trabalham, quer “soltar bandidos” e privatizar a saúde. Já Bolsonaro, de acordo com Sargento Rodrigues, quer valorizar o servidor, reforçar as polícias e investir na saúde.
10 de Outubro - Quarta-feira - 17:48

Olho Neles

Mesmo com o pior índice de popularidade desde a redemocratização, presidente tem comentários de apoio de usuários do Facebook que não querem vê-lo deixar o comando do país

Em meio ao clima de indecisão sobre qual será o próximo presidente a governar o Brasil, alguns internautas decidiram manifestar apoio a Michel Temer, que assumiu a Presidência logo após Dilma Rousseff ser tirada do cargo, em 2016. Mesmo com o pior índice de popularidade desde a redemocratização, Temer tem recebido mensagens carinhosas de usuários do Facebook que não querem vê-lo deixar o comando do país.

Os comentários têm sido postados em sua foto do perfil no Facebook, onde aparece sorrindo. “Volta mozão, volta mozão”, escreveu uma internauta. Outras pessoas ainda lamentaram o pouco tempo que o presidente ainda tem para governar o Brasil. “Não acredito que só temos mais dois meses com você, você é tão bom e eu nem te dei valor, precisamos de você agr”, escreveu outra pessoa. “Tudo que é bom dura pouco né ? Quer mais 4 anos ? Eu te dou”, comentou um internauta.

Veja:

O segundo turno das eleições será definido no próximo 28 de outubro. Jair Bolsonaro, do PSL, e Fernando Haddad, do PT, vão disputar o cargo. No primeiro turno das eleições, realizado no último domingo, o militar recebeu 49.276.990 votos (46,03% dos válidos), contra 31.342.005 (29,28%) do petista.

 

 

10 de Outubro - Quarta-feira - 16:47

Minas Gerais

Deputados aliados discutiram acaloradamente no comitê, enquanto Anastasia se refugiou em Brasília

Com a surpreendente passagem de Romeu Zema (Novo) para o segundo turno, deixando o então favorito Antonio Anastasia (PSDB) em segundo lugar, um clima de apreensão e desentendimento tomou conta da campanha tucana. A coordenação da candidatura do parlamentar nega qualquer atrito interno.

De acordo com informações de bastidores, na terça feira (9), deputados aliados discutiram acaloradamente e quase chegaram às vias de fato no comitê da coligação, enquanto Anastasia se refugiou em Brasília, deixando a campanha de lado. Como prometeu no primeiro turno, o candidato foi ao Senado para participar de sessões legislativas, que ocorrem entre terça-feira e quinta-feira.

Um tucano que acompanha todo o processo chegou a dizer a correligionários durante o bate-boca que é “impossível ganhar uma eleição onde o próprio candidato perdeu o interesse”. Um outro deputado disse que “ou o Anastasia assume de vez a campanha, mostrando mais ação do que postando foto no Instagram, ou a vaca vai pro brejo”.
 

Resposta 

O coordenador da candidatura dos tucanos, Alexandre Silveira, se disse indignado com essa informação, a qual classificou como “inverdade”. Segundo ele, não houve nenhum desentendimento na campanha que, nas palavras dele, está completamente harmônica, animada e disposta a salvar o Estado das mãos de um novato (Zema) que menos de 24 horas depois das eleições começou a “tropeçar na própria língua”. 

“(Zema) vai ter muito que explicar, inclusive sobre o plano de governo dele, com relação aos funcionários da segurança, a terceirização da saúde. O professor Antonio Anastasia está completamente empenhado na campanha. Ele (Anastasia) só não deixou de ir ao Senado porque vive do salário dele, não é herdeiro, e muito menos rico, e não pode abrir mão do salário e muito menos do compromisso dele junto ao Senado”, disse Silveira.

 

 

09 de Outubro - Terça-feira - 18:21

Segundo turno

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) definiu nesta terça-feira o horário eleitoral no rádio e na televisão, no segundo turno das eleições no Estado. A propaganda terá início no dia 12 e se estende até 26 de outubro, antevéspera da eleição.

O TRE comunicou que foi realizada a distribuição do tempo para os programas em bloco, que será iniciado pelo candidato Romeu Zema por ser o candidato mais votado no 1º turno. O horário eleitoral gratuito em bloco será dividido em dois períodos diários de 10 minutos, iniciando-se às 7h e às 12h, no rádio, e às 13h e às 20h30, na televisão.

O tempo de cada bloco diário será dividido igualitariamente entre os candidatos a governador, ou seja, cinco minutos por bloco para cada concorrente. Os blocos são veiculados de segunda a sábado. Em relação às inserções, serão 25 minutos diários (inclusive domingo), divididos entre os dois candidatos.

 

 

03 de Outubro - Quarta-feira - 15:45

Humor

Os humoristas do "Barba, Cabelo e Bigode", programa da Rádio Super Notícia 91,7 FM, decidiram criar um jingle para o presidenciável Cabo Daciolo (Patriotas), que tem viralizado nos últimos debates. O candidato tem afirmado que gastou pouco mais de R$ 700 durante a campanha frente às milionárias campanhas concorrentes.

O jingle agrega várias declarações de Daciolo que movimentaram a internet. A URSAL, a subida aos montes e os memes estão presentes na música. 

Veja o vídeo:

O Cabo Daciolo disse que só gastou R$750,00 na sua campanha, então o Barba, Cabelo e Bigode, de bom coração que é (Glória a Deus), resolveu dar uma força e produziu esse maravilhoso jingle independente para o dono das Eleições 2018. pic.twitter.com/6ILucm0EeS

— Barba, Cabelo e Bigode (@bcbigode) 3 de outubro de 2018

 

 

 

 

 

 

01 de Outubro - Segunda-feira - 14:41

EM FAMÍLIA

 Neto do ex-governador Hélio Garcia, o empresário Lucas Garcia, candidato a deputado federal, recebeu o apoio de antigos aliados de seu avô. O ex-ministro da Previdência Roberto Brant e os ex-secretários Geraldo Santana, Paulo Paiva e Ildeu Casagrande assinaram cartas de apoio a Lucas, entregues a ele na última semana.

Durante a campanha pelo interior do Estado, Lucas Garcia tem dito que muitas pessoas o procuram para comentar sobre seu avô. "O pessoal comenta que precisamos de políticos como ele era, gente democrata, republicana e que se preocupava em melhorar a vida das pessoas", contou o empresário.

27 de Setembro - Quinta-feira - 20:33

Apoio

Prefeito fica fora até o dia 5 de outubro e não receberá remuneração no período

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), pediu licença do cargo até o dia 5 de outubro, último dia útil antes da votação de primeiro turno das eleições. Segundo a assessoria do prefeito, o motivo do afastamento está relacionado a alguns exames de rotina que Kalil teria que realizar. Diante disso, ele vai aproveitar para intensificar sua participação na campanha dos candidatos que receberam o seu apoio.

Kalil se dedicará sobretudo a pedir votos para o candidato ao Senado Carlos Viana (PHS). Ele está em uma disputa acirrada pela segunda vaga. O prefeito também participará mais efetivamente dos atos em defesa da candidatura à presidência de Ciro Gomes (PDT), que tenta subir nas pesquisas para chegar ao segundo turno. Nesse período de afastamento, Kalil não irá receber remuneração.