Recuperar Senha
Fechar
Entrar
Sala de Recepção - A casa do Samba
Zu Moreira
07 de Novembro - Quarta-feira - 13:21

Por Almanaque do Samba

                                                                                                                                         Foto: Luis Evo/Primata Films

 

Uma das principais artistas da nova geração do samba, Giselle Couto lançou nesta semana uma campanha de financiamento coletivo de seu primeiro CD.

"Hoje começa uma nova empreitada. Um passo muito importante para minha carreira. Está no ar a campanha de financiamento coletivo para gravação do meu Cd. Em 2016, gravei um EP com 5 faixas autorais, que me deu muitas alegrias e depois de dois anos trabalhando esse disco, chega a hora de um projeto novo. E você, vai ser peça importante para que esse projeto aconteça", afirmou ela nesta segunda-feira (5/11), em postagem no Facebook.

A pessoa interessada em participar da campanha terá várias recompensas. A meta é arrecadar R$ 27 mil até 15 de dezembro.

Até o fim da campanha, Giselle Couto planeja várias ações para a divulgar a ação, incluindo participações em rodas de samba e choro pela cidade.

Acesse a plataforma www.catarse.me/gisellecouto e saiba tudo sobre a campanha.

 

 

 

05 de Novembro - Segunda-feira - 12:41

Por Almanaque do Samba

Templo do samba do Rio de Janeiro, a quadra do Cacique de Ramos recebeu, no primeiro dia de novembro, fãs, amigos e parentes do mineiro mais carioca das rodas de samba: Toninho Geraes.

Autor de clássicos da música popular brasileira (um exemplo é Mulheres, gravada por Martinho da Vila) e compositor de hits ou hinos do samba (Seu balancê, Se a fila andar, Alma boêmia e Preceito), o artista fez show de gravação de seu primeiro DVD, intitulado Tudo que sou.

O registro resume mais de 35 anos de atividade do sambista, que vive um dos seus melhores momentos na carreira.

Sob a direção musical de Alessandro Cardoso, e com time de músicos reforçado pelos mineiros Fernando Bento e Robson Batata), Toninho Geraes comandou o público por mais de três horas, fazendo o que mais gosta: cantar. Foram 20 músicas selecionadas.

Descontado o desgaste com as inúmeras paradas em função da parte técnica do trabalho audiovisual, o público respondeu à altura o chamado e contribuiu ao dar aquele clima descontraído a roda, bem ao estilo do autor de Uma prova de amor .

O show contou com as participações especiais de Xande de Pilares, Marcelle Mota e Ana Clara. A abertura do espetáculo foi feita pelo mestre Bira Presidente, que não poupou elogios à cria da Casa. Outro que também se destacou foi o coreógrafo Carlinhos de Jesus, esquentando a roda com seus passos de dança de salão.

Depois de um início de semana conturbado devido à polêmica com Anderson do grupo Molejo por conta das eleições presidenciais, Toninho Geraes abre os trabalhos para os festejos de fim de ano, com energia renovada, graças ao carinho de quem o admira, à proteção da Tamarineira e às bênçãos de São Jorge.

Tudo certo, Geraes.

23 de Outubro - Terça-feira - 12:38

Olá, amigos e amigas do portal! Depois de um longo período de ausência, estamos aqui de volta com a missão de retomar os assuntos e temas referentes ao samba. O assunto do momento é o segundo turno das eleições e a polarização entre as preferências eleitorais está cada vez mais acirrada. Como é de praxe, nesses momentos artistas e personalidades se posicionam a favor ou contra certa candidatura. 

Nesta quinta-feira, vai rolar um movimento nacional de sambistas em prol da democracia. Aqui em Belo Horizonte, a roda vai ser na Praça Sete, a partir das 15 horas, com a presença de vários nomes do samba montanhês: Marina Gomes, Fernando Bento, Dé Lucas, Nanda Bento, Lico, Tico Percussão, Alexandre Rezende, Rafael Soares, Bobô da Cuíca, Lucas Fainblat, Sérgio Pererê, Zanarth, Fran Januário, Heleno Augusto, Dudu Nicácio, Ramis, Pakinha, Manu Dias, Betinho Moreno, Cabral, Kellynda, Willian, Carlos do Tambor, Carlos Felipe, entre outros que ainda devem confirmar presença.

O samba sempre foi e sempre será um ato de resistência. Em um cenário nebuloso, com riscos reais à democracia e à perda dos direitos humanos, a união dos sambistas é uma forma de resistir a desmandos e alertar a população sobre a ameaça de governos autoritários. 

 

 

 

 

 

 




 

05 de Dezembro - Terça-feira - 14:00

Samba da Criação é um dos principais projetos do gênero em curso na capital mineira. Além de contar com um time de peso (Gabriel Goulart, Alexandre Rezende, Fernando Bento, Giselle Couto, Rodrigo Martins, Pedro Lopes, Marina Gomes e Tiago Ramos), o projeto permite ao autor (a) apresentar ao público suas composições, muitas inéditas, em uma roda de samba bem intimista.

É um foco de resistência em meio ao turbilhão de clichês que cercam o movimento. Ali não há lugar para a mesmice, o mais do mesmo, que a maioria das rodas da cidade oferece.

Para fechar o ano, o Samba da Criação recebe o coletivo de sambistas Reduto de Compositores Vários Dons para uma apresentação no Espaço Cultural Casa d@ Jornalista, nesta quarta-feira (6/12), a partir das 20h. A casa abre às 19h e o ingresso custa R$ 15.

“Este é o 13º show do projeto Samba da Criação, cujo objetivo é fortalecer as batucadas e os poetas mineiros. Sem deixar de reverenciar os mestres da Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e de outras partes do Brasil, Samba da Criação afirma que em Minas se faz bom samba e quer fazer jorrar a fonte mineira. Nesse projeto, só se toca samba de Minas Gerais”, diz o release de apresentação do projeto.

Coletivo - Formado em 2017, o Reduto de Compositores Vários Dons segue uma estrutura que vem se tornando tendência na cena autoral do samba mineiro: os coletivos. Ele reúne as mais diversas características e pluralidades, desde as naturalidades de seus integrantes – há compositores de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo – até a formação do próprio nome, inspirado na canção “Vários Dons”, de Evandro Mello, um dos fundadores do grupo.

Em seus periódicos encontros, Reduto prima pela manutenção da melhor linhagem do samba. Seus integrantes são: Betinho Moreno, Bruno Cupertino, Evandro Mello, Ítalo Batista, Junho de Sousa, Nelson Peão, Rafa di Souza, Tito Amorim e Vinícius Mineiro.

 


Samba da Criação com o Reduto de Compositores Vários Dons

Dia: 6/12/2017

Horário: 20h (abertura da casa: 19h)

Local: Espaço Cultural Casa d@ Jornalista (Avenida Álvares Cabral, 400, Centro)

Entrada: R$ 15

Informações e reservas: (31) 9-9619-0213

03 de Dezembro - Domingo - 11:00

Dé Lucas e o Quintal do Divina Luz representam, talvez, o que há de melhor no samba produzido em Belo Horizonte desde o início do século XXI.

Wanderson Vieira Lucas ou simplesmente Dé Lucas, autodidata nascido e criado no morro da Serra, está na linha de frente de uma safra de cantores (as) e compositores (as) que renovam a cena cultural da cidade, sem com isso se desligar da tradição, da verdadeira cultura do samba. Serginho, sambista com espirito empreendedor, faz de seu quintal no bairro São Marcos, periferia de BH, uma trincheira de resistência do samba, aglutinando a nata do gênero e um público eclético, em busca de música de qualidade em um ambiente bem familiar, com a benção de São Jorge e Ogum!

Neste domingo, a partir dsas 17 horas, para encerrar o projeto Casa de Bamba 2017, Dé Lucas e o Samba na Batuta recebe Nelson Rufino, baiano criador de vários sucessos e referência pra nova geração. Só pra ilustrar é de Nelson Rufino o clássico de Zeca Pagodinho: Verdade! De quebra, Vivi Cruz (esposa de Dé Lucas e mãe de Cícero Lucas, o herdeiro e talentoso sambista-mirim) aproveita a roda para comemorar mais um aniversário.

Um ótimo programa para fechar o fim de semana do Dia Nacional do Samba!

DÉ LUCAS E O SAMBA DE BATUTA CONVIDAM NELSON RUFINO
3/DEZEMBRO (Domingo) - 17:00
Quintal Divina Luz - R. Maria Aparecida, 375 - São Marcos, Belo Horizonte - MG, 31920-470
PREÇO
25$

 

01 de Dezembro - Sexta-feira - 14:20

Amanhã é o Dia Nacional do Samba, mas as comemorações pelo centenário do gênero musical mais popular do país começam nesta sexta-feira, com vários eventos dedicados ao ritmo nacional. O blog selecionou alguns eventos que vão reunir vários sambistas em Belo Horizonte, com destaque para a roda de samba do Botequim São Jorge, que irá homenagear vários artistas e personalidades do meio. Fico feliz e honrado por fazer parte desta festa. 

 

 

 

30 de Novembro - Quinta-feira - 14:50


Na véspera do Dia Nacional do Samba, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais fará uma homenagem  aos sambistas mineiros em reunião especial marcada para logo mais, às 20h, no Plenário da ALMG, para comemorar os 100 anos do Samba. Entre os homenageados, Dé Lucas, Manu Dias, Ronaido Coisa Nossa, entre outros.

 A iniciativa é da deputada Marília Campos (PT). “O samba, mais do que um gênero musical, é uma das principais manifestações culturais do povo brasileiro”, lembra Marília Campos. Ela acrescentou que, nestes 100 anos, Minas Gerais vem sendo celeiro de sambistas - intérpretes e compositores - que não têm o devido reconhecimento.

“Foram dezenas de sambistas mineiros que morreram no esquecimento. Queremos contribuir para mudar essa história, valorizando homens e mulheres sambistas em vida, e reafirmar que Minas tem uma bela tradição do maior gênero nacional”, ressaltou a deputada. (Fonte: Portal Almg)

 

22 de Novembro - Quarta-feira - 14:07

Dezembro, mês em que se comemora o Dia Nacional do Samba (02), Belo Horizonte receberá muitos eventos para celebrar o gênero musical mais popular do país.

Uma das atrações que promete sacudir a capital mineira é o projeto “Rua do Samba”, programado para o dia 8 de dezembro, na rua Sapucaí (esquina com Tapuais) no bairro Floresta, a poucos metros da Praça da Estação e do Viaduto Santa Tereza, dois cartões portais de Belo Horizonte. A entrada será um quilo de alimento não perecível.

O projeto foi inspirado na maior roda de samba realizada no Rio de Janeiro, mês passado, que entrou para o Guinness, o livro dos recordes. “Estamos precisando fortalecer o movimento de samba em Belo Horizonte”, disse Kelly Kellinda, da KBW Produções, que ao lado da irmã, Manu Dias, organiza a festa.

“Vamos fazer uma roda gigante, reunindo o maior número possível de sambistas, montar uma grande estrutura e colocar nosso bloco na rua”, avisa Manu Dias, uma das mais requisitadas cantoras da nova geração mineira. Foram convidados cerca de 60 profissionais, que já começam a confirmar presença: Fabinho do Terreiro, Pirulito da Vila, Mandruvá, Cynara Ribeiro e Marina Gomes são alguns nomes confirmados.

Como ainda não contam com nenhum apoio público, a ideia é se juntar aos tradicionais bares de samba de BH (Cacá, Lava Jato, entre outros) para que a infraestrutura seja custeada pelos estabelecimentos comerciais.

Mais uma boa ideia que tem tudo para dar certo!

Serviço: Rua do Samba
Data/horário: de 08 de dezembro de 2017 - 12h até 18h
Local: Rua Sapucaí esquina com Tapuais, Bairro Floresta
Entrada: 1Kg de alimento não perecível
Email: kbwproducoes@gmail.com

27 de Outubro - Sexta-feira - 15:00

Depois de ter parte da quadra destruída por causa de um incêndio (perdeu três salas, onde ficavam a oficina de violão, o camarim, as fantasias e os instrumentos da bateria), a escola de samba Cidade Jardim se prepara para a escolha do samba-enredo que irá embalar a escola no Carnaval de BH 2018. No próximo ano, a agremiação desfila com o enredo "A Cidade Jardim Canta as Flores", do carnavalesco Paulo Balbino.

 
A final será neste domingo (29/10), a partir das 15h, com entrada franca, e quatro sambas disputam o prêmio tendo como compositores Serginho Beagá, Evair Rabelo e Pirulito da Vila, Nonô do Santo Antônio e Guilherme Mocidade, Carmo Antunes e Ubiratan Santos.

“É um imenso prazer disputar o concurso de samba-enredo da Escola de Samba Cidade Jardim, a maior campeã, a mais antiga em atividade, a única com quadra, espaço que julgo fundamental para o incremento do nosso Carnaval, um dos pavilhões que na minha opinião melhor representa este nosso movimento de resistência”, afirma um dos concorrentes, Guilherme Mocidade.

Conheça o samba de cada concorrente:

Pra não dizer que não falei das flores

Serginho Beagá

 

CARNAVAL 2018

“CIDADE JARDIM CANTA AS FLORES”

AUTOR DO SAMBA ENREDO CONCORRENTE: (NONÔ DO SANTO ANTÔNIO)

INTÉRPRETES: (BIRA FAVELA e NONÔ DO STO ANTÔNIO)

 

A PRIMAVERA CHEGOU

MATIZANDO A NATUREZA

QUE ESPLENDOR...

QUANTA BELEZA...

 

AS FLORES EXALAM SEU PERFUME EMBRIAGADOR

ENFEITANDO A PASSARELA                                                   (BIS)

ANUNCIANDO QUE O CARNAVAL COMEÇOU Ô Ô...

 

SOU PEDRA NOVENTA

COMIGO É ASSIM

JOGO ROSAS NA AVENIDA             (REFRÃO)

SOU CIDADE JARDIM

 

(VOU PULAR AS SETE ONDAS...)

 

VOU PULAR AS SETE ONDAS

FLORES BRANCAS VOU JOGAR

MEU MANDACARU FACEIRO

NO SERTÃO MANDEI BUSCAR

IPÊ ROXO PRA IO-IÔ...

AMARELO PRA IA-IÁ...

NO JARDIM DESSA AVENIDA

HOJE AS ROSAS VÃO FALAR

 

FLOREIA AÍ MORENÔ...

FLOREIA AÍ MORENÁ...            (REFRÃO)

 

BOTA O TAPETE QUE A “CIDADE” VAI PASSAR             (A PRIMAVERA...)

 

 

 

25 de Outubro - Quarta-feira - 13:22

Hoje à noite a capital mineira, mais precisamente o Bar 41, no Santa Efigênia, vai se transformar em uma extensão da região do Recôncavo Baiano, berço do samba de roda, com a apresentação do projeto "Samba Chula em Trans-Missão". O evento promete reunir a tradição dos Mestres do samba de roda baiano e a vitalidade de jovens amantes da cultura popular. Um dos organizadores é Danilo Amarelo, integrante dos grupos Herança Ancestral e Coco da Gente, e um dos mais atuantes na cena de cultura popular de Belo Horizonte.

Participantes:

Mestre Nelito: Eusébio dos Santos nasceu em Santiago dNelitoo Iguape em 1944. Sua família mudou-se para Santo Amaro e ainda jovem começou a trabalhar na usina de cana, despalhando, limpando e cortando cana. É compositor, cantador e liderança do grupo Samba Chula Vendaváis. Capoeirista, foi aluno de Mestre Cobrinha Verde e, nas percussões, aprendeu com Mestre Zé Carlos. Por quase 30 anos comandou a bateria percussiva do famoso bloco Mudança do Garcia, que se apresenta no Carnaval de forma bastante politizada e irreverente.

Mestre Gato Góes: Sinésio Souza Góes – Mestre Gato Góes, capoeirista, percussionista, sambador, coordenador da Associação dos Sambadores e Sambadeiras do Estado da Bahia – ASSEBA. Nasceu em Santo Amaro/BA em 1950, filho de Jose Gabriel Góes o saudoso Mestre Gato com quem começou a aprender capoeira e tocar berimbau no ano de 1959 na A.C.B (Academia de Capoeira Baiana) Salvador/BA. Gato Góes após passar vinte e cinco anos em turnê por toda a Europa e outros continentes atuando em shows, espetáculos, e concertos com grupos e bandas musicais como dançarino, percussionista, capoeirista – tocador de berimbau – solista produzindo e participando de produções culturais. Além de tocar outros instrumentos de percussão M. Gato Góes considera “O Berimbau” seu principal instrumento e sente-se honrado e agradecido pela base do aprendizado que recebeu de seu saudoso pai e mestre.

Mestre Elsinho: Nelson Bispo dos Santos, nasceu em Opalma, nElsinho WEBa antiga usina Cutinga, próximo a Santiago do Iguape. Como tantos outros mestres, trabalha na agricultura. A inspiração do samba veio desde os avós. Junto com Antônio dos Santos, Elsinho compõe a dupla de chula no grupo Samba Raízes do Acupe.

Mestre Paião: Carlos Bispo dos Santos, mestre do samba de roda de Teodoro Sampaio, que assumiu a liderança do grupo Samba Chula União Teodorense. Aprendeu o samba chula na familia com seu pai, que era cantador e tocador de pandeiro.

Mestre Aurino: Aurino de Jesus ou Aurino da Viola. Tocador de viola e cantador de chula, nasceu em Teodoro Sampaio. O samba vem de família: seu pai, sua mãe e seu irmão também tocavam viola machete e seu tio era famoso construtor de viola machete

Dona Zélia: Zélia Maria Paiva de Souza, sambadeira do grupo Samba Chula de São Braz.

Cássio Nobre: Músico, compositor, produtor musical, historiador (Bacharelado/UFBA, 2001) e etnomusicólogo (Mestrado/UFBA, Cassio Nobre WEB2008; Doutorado/UFBA, 2017). Trabalhou com ensino de práticas musicais, ministrando cursos e oficinas de música em instituições particulares e públicas. Dedica-se também à pesquisa sobre instrumentos de cordas, e à produção de registros audiovisuais sobre as músicas das tradições populares brasileiras, tendo produzido e dirigido 8 álbuns de samba de roda do Recôncavo Baiano. Produziu e lançou 4 álbuns autorais. (Fonte: www.akara.com.br)

As apresentações são gratuitas, mas a organização pede uma "contribuição consciente", ou seja, devem passar o chapéu para que o público ajude a produção a bancar os custos da festa. Ótimo programa para uma quarta-feira de primaveira!

 

SAMBA CHULA no Brasil 41!
QUARTA - 25/10/2017
Horário: 19h às 22h
Local: Avenida Brasil, 41. Bairro Santa Efigênia.
*Contribuição Consciente!