Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Projeto ambicioso

Aeronáutica vai para Lagoa Santa e investe R$ 216,4 mi

Estudos apontam ampliação do terminal, pista e até um shopping

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 25/01/10 - 21h00

A região do Aeroporto da Pampulha deve ficar de cara nova até a Copa 2014. A Força Aérea Brasileira (FAB) assinou contrato de R$ 216,4 milhões para a construção do novo Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (Ciaar), que será transferido para Lagoa Santa até o fim de 2012. Com isso, a área do atual centro de formações, ao lado do aeroporto central, será destinada à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) para expandir o terminal.

O órgão que administra os aeroportos brasileiros tem planos para construção de outro terminal de passageiros, com capacidade para atender até 3 milhões de usuários, por ano, o dobro da atual estrutura. Há estudos ainda para a ampliação da área de estacionamento e da pista de pouso e decolagens.

Segundo o tenente-coronel Luiz Carlos de Lima Lei, responsável pelo projeto do novo Ciaar, a ideia é que o início da mudança ocorra em agosto do próximo ano. "Esperamos que até essa data teremos condições de iniciar a mudança", disse. Atualmente, cerca de 700 pessoas ocupam a área de 227 mil metros quadrados da base da FAB em Belo Horizonte, incluindo a Vila dos Sargentos.

O novo Ciaar será construído em uma área de 700 mil metros quadrados, de propriedade da Força Aérea Brasileira, e será composta por 60 salas de aula, ginásio de esportes, seis alojamentos, dois hotéis, edifício de comando, entre outras instalações, totalizando 57 mil metros quadrados de área construída. O prazo para a execução das obras é de 900 dias, a contar da data da assinatura do contrato.

Em uma licitação disputada por oito empreiteiras, quem levou a melhor foi a Schahin Engenharia, com sede em São Paulo. A construtora já iniciou o planejamento do projeto. A expectativa é que o canteiro de obras seja instalado até abril deste ano, com uma geração de até mil empregos diretos no pico das obras.

"Nossa expectativa é que os empregos indiretos cheguem até 5.000 vagas", completa o tenente-coronel Lei. Segundo ele, os alojamentos do novo Ciaar terão capacidade para atender cerca de 580 alunos, quase três vezes mais que o atual (200 alunos).

O centro é a principal escola de nível superior da FAB e forma cerca de 75% dos oficiais da Aeronáutica brasileira. Um contingente de engenheiros, médicos, advogados, dentistas, administradores, farmacêuticos, arquitetos, entre outros profissionais.

O que achou deste artigo?
Fechar

Projeto ambicioso

Aeronáutica vai para Lagoa Santa e investe R$ 216,4 mi
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter