Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Uso

Pampulha opera com 25% da sua capacidade atual

Câmara Municipal faz hoje audiência para debater caso da Pampulha

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Economista Carlos Alberto Teixeira, vereador Fábio Caldeira e o superintendente Silvério Gonçalves
Câmara Municipal faz hoje audiência para debater caso da Pampulha
PUBLICADO EM 19/03/12 - 21h55

Um aeroporto quase deserto de passageiros na tarde de ontem, com apenas dois guichês de empresas aéreas operando - Trip e Passaredo - cerca de 60 voos diários e uma sala de embarque com capacidade para operar com 360 passageiros por hora, mas que hoje recebe apenas 90. Essa é a realidade do Aeroporto de Belo Horizonte/Pampulha - MG - Carlos Drummond de Andrade, mais conhecido como aeroporto da Pampulha, na região Norte da capital, que está completando 75 anos, e já conquistou o licenciamento ambiental.

"Nosso aeroporto está ocioso. Está aquém da sua capacidade", afirmou ontem o superintendente do aeroporto, Silvério Gonçalves, durante reunião com o vereador Fábio Caldeira e empresários que foram visitar as instalações do Pampulha. Silvério Gonçalves, que está no cargo há pouco mais de um ano, disse que o Estado, a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vêm debatendo o perfil de aeronaves e a frequência dos voos. "A Anac já solicitou um estudo técnico sobre as restrições de infraestrutura", disse Gonçalves, sem informar quando o levantamento ficará pronto e quais são as limitações.

A Anac informou que aguarda da Infraero o "Plano de Segurança Aeroportuária e Estudo Relacionado à Operação de Aeronaves do Aeroporto da Pampulha", sobre a atual capacidade. "A partir do resultado desses estudos, a Anac definirá sobre a capacidade técnica e poderá avaliar os novos pedidos de voos", disse a Anac.

Hoje, acontece audiência pública na Câmara Municipal de Belo Horizonte com representantes da Anac, Infraero, governo do Estado, prefeitura e entidades que vão discutir a revitalização do Pampulha. Fábio Caldeira, autor do pedido de audiência, propõe a utilização de um sistema chamado por ele de "Pam-Con" (Pampulha e Confins). "Não queremos pensar o sistema aeroportuário isoladamente. Mas há uma subutilização do aeroporto da Pampulha", disse.

Pista reduzida

Adequação. Desde o dia 15 de março, o aeroporto da Pampulha está com uma pista menor, de 2.540 passou para 2.364 metros. A exigência foi do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DCEA).

 

O que achou deste artigo?
Fechar

Uso

Pampulha opera com 25% da sua capacidade atual
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter