Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Medicinal

Itália vai produzir maconha em laboratório do Exército

Remédios devem estar disponíveis no país no ano que vem

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Medical Marijuana
Produção de maconha na Itália será para fins terapêuticos
PUBLICADO EM 19/09/14 - 03h00

A Itália vai produzir maconha medicinal em um laboratório militar. O objetivo é distribuir a substância a custos mais baixos do que o atualmente cobrado no sistema de saúde nacional. O uso de maconha medicinal é permitido em território italiano desde 2007, mas os preços fizeram com que poucos pacientes, procurassem tratamentos a base da substância.

As ministras italianas da Saúde, Beatrice Lorenzin, e da Defesa, Roberta Pinotti, deram seu aval para a produção de maconha para fins terapêuticos no Instituto Químico, Farmacêutico e Militar de Florença.

Segundo a agência Ansa, o local que terá as plantações nasceu com o objetivo de fabricar medicamentos para as Forças Armadas.

“A utilização desses fármacos é permitida no nosso país desde 2007. No entanto, ao longo de 2013, apenas algumas dezenas de pacientes puderam recorrer a eles”, disse Luigi Manconi, presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado.

Para usar medicamentos à base de maconha, as pessoas eram obrigadas a importá-los, em um processo bastante caro e demorado. A expectativa é que esses remédios estejam disponíveis nas farmácias italianas no ano que vem.

Uruguai. No fim do mês passado, parte da nova legislação uruguaia, em que permite o plantio caseiro de maconha, entrou em vigor. No país é possível fazer um pedido ao Instituto de Regulação e Controle da Cannabis (IRCCA) para a cultivação. A medida faz parte da nova legislação do país, aprovada no dia 10 de dezembro de 2013 e encabeçada pelo presidente José Mujica.

O que achou deste artigo?
Fechar

Medicinal

Itália vai produzir maconha em laboratório do Exército
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter